Foro de São Paulo é Força indispensável na luta popular latino-americana

O grande desafio do Foro de São Paulo, ao completar 25 anos de existência, é desenvolver um plano de ação em apoio aos governos progressistas que se encontram sitiados e ameaçados pelas estratégias desestabilizadoras do inimigo

Siga o Brasil 247 no Google News

Pela vigésima primeira vez, reuniu-se o Encontro de Foro de São Paulo, articulação de partidos de esquerda latino-americanos e caribenhos criada há exatamente um quarto de século numa histórica reunião em São Paulo liderada por Luiz Inácio Lula da Silva. Naquela ocasião, o mundo estava sob a onda contrarrevolucionária que liquidou o socialismo na antiga União Soviética e no Leste Europeu. Na América Latina, começava a fase das "ditaduras dos punhos de renda", de caráter conservador e neoliberal. Os partidos de esquerda eram ideológica e politicamente golpeados e tendiam à dispersão e fragmentação.

Desta feita, de 29 de julho a 1º de agosto, mais de 100 partidos reuniram-se na capital mexicana em um evento organizado pelo Partido da Revolução Democrática (PRD) e o Partido do Trabalho (PT), expressões da esquerda mexicana. Em 12 países da região estão no governo forças progressistas e de esquerda, num ciclo político inaugurado com a eleição de Hugo Chávez e a proclamação da República Bolivariana na Venezuela.

Como sempre, as reuniões do Foro de São Paulo caracterizam-se pela variedade temática, com abordagens sobre as grandes questões da atualidade do panorama político, social e cultural da América Latina. Este ano, os debates políticos se concentraram sobre a ofensiva que o imperialismo e as forças oligárquicas locais movem contra os governos progressistas e de esquerda e as conquistas por estes alcançadas. E, naturalmente, sobre a busca de entendimento e unidade para defender esses governos e encorajá-los a avançarem ainda mais na luta por reformas estruturais, pelo aprofundamento da democracia, a defesa da soberania nacional, o desenvolvimento econômico, o combate à pobreza e a promoção da integração latino-americana e caribenha.

Nesse quadro, o grande desafio do Foro de São Paulo, ao completar 25 anos de existência, é desenvolver um plano de ação em apoio aos governos progressistas que se encontram sitiados e ameaçados pelas estratégias desestabilizadoras do inimigo, principalmente a Venezuela, o Brasil, a Argentina, o Equador e a Bolívia.

PUBLICIDADE

A vigência dos governos democráticos e progressistas na região e os êxitos alcançados pela integração, cuja expressão máxima é a existência da Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos, têm tudo a ver com a ação empreendida pelo Foro de São Paulo ao longo dos 25 anos de sua existência. Na construção de sua agenda futura, o Foro de São Paulo apoia-se neste rico legado, com seu imenso acervo de ideias e realizações.

O Foro de São Paulo tornou-se indispensável à luta pela definitiva emancipação dos povos latino-americanos e caribenhos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email