Fugindo dos debates, Bolsonaro confirma que é candidato a ditador

"Líder das pesquisas graças a uma decisão absurda da Justiça Eleitoral, que no inicio de setembro impediu a candidatura de Lula, Jair Bolsonaro ainda não está satisfeito: quer chegar a presidente sem participar de debater onde teria de prestar contas ao eleitor," escreve Paulo Moreira Leite, articulista do 247. "Num país no qual 64% da população diz nas pesquisas que prefere viver numa democracia, ele tenta fazer campanha com o discurso de si mesmo, sem  permitir que 145 milhões de brasileiros possam avaliar e comparar suas propostas com o projeto de Fernando Haddad, concorrente legítimo após o primeiro turno"

www.brasil247.com - Fugindo dos debates, Bolsonaro confirma que é candidato a ditador
Fugindo dos debates, Bolsonaro confirma que é candidato a ditador (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)


É errado mas é até possível compreender aquele candidato que, favorito nas pesquisas, evita comparecer em debates no primeiro turno.

Sabemos que o risco de enfrentar uma ação articulada de vários adversários pode transformar uma discussão civilizada num circo sem valor para a democracia.

O caso é diferente num segundo turno, quando se trata de um confronto cara a cara, entre dois oponentes.

O país inteiro aguarda por essa oportunidade na qual, com tempos iguais, dois cidadãos que pretendem assumir a presidência da República expoem suas ideias, desenvolvem argumentos e contestam o adversário.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Num país com 145 milhões de eleitores, o debate é o ponto alto de uma disputa democrática,  na qual os candidatos, em respeito ao eleitor, procuram mostrar o melhor de si, de suas ideias e seus projetos, permitindo que todos façam suas escolhas de modo informado e consciente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Numa campanha  dominada pelas redes sociais, que favorecem o discurso de um lado só, ensaiado e controlado, o debate é ainda mais fundamental. Impede que uma campanha eleitoral seja uma simples sequência de fake news e peças publicitárias.  

 No prazo de 60 minutos, ou até mais, é possível comparar os dois concorrentes,  avaliar a consistência de seus argumentos, a capacidade de enfrentar perguntas inesperadas e situações imprevistas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Não acaso, as ditaduras e os ditadores fogem dos debates, evitam discussões e conflitos que alimentam os regimes democráticos. Têm medo do debate de ideias, dos questionamentos. Na ânsia de monitorar o pensamento da sociedade, reprimir a divergência e censurar a oposição, alimentam o discurso único do pensamento único.

Líder das pesquisas graças a uma decisão absurda da Justiça Eleitoral, que impediu a candidatura de Lula, preferido por uma fatia imensa de brasileiros, Jair Bolsonaro ainda não está satisfeito. Quer chegar a presidente de um país com 215 milhões de habitantes, a oitava economia do país, sem prestar contas a ninguém.

Recusando-se a debater com Fernando Haddad, quer fazer o discurso de si mesmo, escondido numa muralha mentiras programadas que envergonham a democracia e corrompem a eleição.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Você pode até acreditar, como eu, que esse receio de Bolsonaro obedece a um cálculo previsível: o receio de enfrentar um candidato melhor preparado, com conhecimento profundo dos problemas do país e um projeto que a maioria da população conhece e compreende. O problema de fundo é outro, porém. A atitude de Bolsonaro revela um desprezo imenso pelos direitos da população brasileira e isso é inaceitável.  

Inimigo assumido do debate de idéias e da da liberdade, ao tentar fugir dos debates eleitorais Bolsonaro apenas confirma aquilo que sempre se soube: só consegue sobreviver no universo fechado e protegido de uma ditadura, regime rejeitado pela imensa maioria dos brasileiros (64%, segundo a mais recente pesquisa do Ibope). 

Alguma dúvida?

Inscreva-se na TV 247 e assista ao comentário de Paulo Moreira Leite:

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email