General Mourão e a fantástica fábrica de desajustados

Como ignorância pouca é bobagem, o General agora resolveu nos mostrar a sua veia sociológica, e declarou, com todo o seu conhecimento pedagógico, que “Eminentemente, nas áreas carentes onde não há pai, nem avô, é mãe e avó, e, por isso, torna-se realmente uma fábrica de elementos desajustados 

General Mourão e a fantástica fábrica de desajustados
General Mourão e a fantástica fábrica de desajustados (Foto: Divulgação)

Como diz o ditado popular: “O diabo quando não vem, manda um secretário” Assim podemos definir as incursões e a ingerência do General Mourão, na campanha presidencial do candidato inominável. Até pouco tempo não se ouvia falar dele. Talvez, ele se resumisse a um General de dez estrelas que ficava atrás da mesa com a patente na mão. Porém, com o advento do fascismo em terra brasilis, o oficial decano se assanhou e enxergou a possibilidade de reviver nos dias de hoje, os momentos gloriosos da ditadura de outrora.

Tão logo foi anunciado como o vice na chapa do inominável, o General mostrou o seu cartão de visitas, chamando os Indígenas de indolentes e os afrodescendentes de malandros. Nada mal para o vice de um fascista. Mas, como ignorância pouca é bobagem, o General agora resolveu nos mostrar a sua veia sociológica, e declarou, com todo o seu conhecimento pedagógico, que “Eminentemente, nas áreas carentes onde não há pai, nem avô, é mãe e avó, e, por isso, torna-se realmente uma fábrica de elementos desajustados e que tendem a ingressar nessas narco quadrilhas que hoje afetam todo o nosso país.”

Antes de me expressar com relação ao equívoco contido na fala do General, gostaria de ressaltar que no mesmo evento, quando questionado sobre a suspeita de fraude nas urnas, levantada pelo titular da sua chapa, ele pediu para que tais declarações fossem relevadas, uma vez que o candidato esfaqueado acabou de passar por duas cirurgias e está fragilizado. Dando a entender que o mito não anda falando coisa com coisa. Se é que algum dia falou. Só eu fiquei com a impressão de que há um desajuste entre o General e o Capitão? Ou ele está só ensaiando um golpe mesmo?

Sobre a declaração do General Mourão, com relação a filhos criados sem pai se tornarem elementos desajustados, ela escancara, além de um machismo genuíno e burro - com o perdão da redundância - mais uma de suas leituras preconceituosas, diante daquilo que não é o espelho. Milhares de famílias brasileiras são chefiadas por mulheres, que trabalham duro para sustentar os seus filhos e para dar-lhes dignidade. Dizer que uma família que só tem mãe e avó produz criminosos, é o mesmo que dizer que uma instituição militar que produz oficiais com tal opinião, é comandada por fascistas.

Tenho a certeza de que não é o caso de nossas instituições militares, pelas quais tenho o máximo respeito. Apesar dos desajustes de alguns de seus elementos. Trocando em miúdos, podemos dizer que o General Mourão não vê competência suficiente nas mulheres, para darem uma boa educação a seus filhos, e , consequentemente, formar bons cidadãos.  Como homem, me envergonho de tal declaração e de tamanho desrespeito às mulheres. E gostaria de saber a opinião das nossas guerreiras a respeito desse assunto. Principalmente, a opinião daquelas mulheres que declaram voto no candidato do General

Gostaria de dizer para o General Mourão que, mesmo não tendo sido criado nas áreas que ele considera um ambiente favorável ao ingresso no crime, eu também não tive a famosa figura paterna presente em todos os momentos da minha vida. E, nem por isso, ingressei nas quadrilhas que transportam toneladas de pó, em helicópteros que pousam em sítios de cidadãos bem, ajustados e bem nascidos, que conviveram com pai e avô. Eu até confesso que eu sou meio desajustado mesmo. Mas, o meu desajuste é inofensivo a sociedade.

Ele não permite, por exemplo, que eu incite o ódio, estimule a intolerância, perpetue o racismo, se orgulhe do machismo, exalte a tortura, legitime o preconceito, ensine crianças a usar armas de fogo, faça apologia a violência e ainda me declare cristão. Aí já seria desajuste demais, né? Parece que o General quer erguer uma bandeira nacional a parte. Um pavilhão social onde só tem valor, quem pensa igual a ele, foi criado igual a ele e faz parte do seu meio. Uma forma nem tão sutil assim, de seguir excluindo as chamadas minorias e mantendo sobre elas o estigma da inferioridade.

É por essas e outras, que não consigo entender o que leva pretos, mulheres, gays e pobres, a votarem nesse desajuste ideológico, o qual eles chamam de mito. Será que estão todos desajustados ou é apenas uma questão de falta de amor próprio? Não bastou ele comparar um afrodescendente a um animal? Não bastou o cara dizer que trabalhador terá que escolher entre ter emprego ou ter direitos? Não bastou ele dizer que não empregaria uma mulher com o mesmo salario de um homem? Não bastou ele dizer que prefere ver um filho morto num acidente, do que saber que ele é homossexual?

Por uma questão de lógica, a chapa Capitão-General deveria receber votos apenas de homens héteros brancos e ricos. Mas, como o Brasil se transformou numa fantástica fábrica de desajustados, é possível que outros elementos tendam a ingressar nessas quadrilhas do fascismo, que têm tudo para destruir de vez o nosso país. E não terá pai e nem avô, que salve o futuro da nação de tamanho desajuste.

Ah! Eles estão desajustados!

 

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247