Globo deveria ter reagido com Glenn como reagiu com Patrícia Campos Mello

"No caso da agressão sexista e criminosa do Bolsonaro contra a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de São Paulo, o jornalismo da Globo agiu com o rigor e a dignidade que deveria ter adotado – mas não adotou – para defender o jornalista Glenn Greenwald, do site The InterceptBrasil", diz o colunista Jeferson Miola

(Foto: Adriano Machado - Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

No caso da agressão sexista e criminosa do Bolsonaro contra a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de São Paulo, o jornalismo da Globo agiu com o rigor e a dignidade que deveria ter adotado – mas não adotou – para defender o jornalista Glenn Greenwald, do site The InterceptBrasil.

A Globo repercutiu a agressão de Bolsonaro com a veemência devida no Jornal Nacional, no noticiário da Globo News e de todas emissoras e rádios associadas ou repetidoras; nos sites do G1 e do Globo.com.

Glenn Greenwald, assim como Patrícia Campos Mello, foi vítima de uma incriminação fascista.

Glenn, ao invés de Patrícia, que foi atacada diretamente pelo presidente da República [sic], foi atacado por um procurador Bolsonaro-lavajatista que montou um inquérito farsesco para intimidá-lo.

Naquele grave ataque à liberdade de imprensa e à democracia, contudo, a Globo precisou alguns dias para fazer a 1ª reportagem sobre o ataque do procurador Bolsonaro-lavajatista a Glenn.

É salutar, por isso, que diante do novo ataque à liberdade de imprensa e à democracia, desta vez personificado na competente profissional Patrícia Campos Mello, da Folha de São Paulo, a Globo tenha reagido prontamente e, o que é ainda melhor, tenha perfilado todos seus funcionários-comentaristas fazendo ordem-unida na condenação ao fascismo bolsonarista.

Fascismo, aliás, que também é misógino e homofóbico. Uma guerra preconceituosa que, em regra, extermina as mulheres.

E, em primeiro lugar, as mulheres negras.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247