Globo é Golpe! Golpe é Globo!

(Foto: LULA MARQUES)

O Globo é incompatível com a democracia.

O Globo não combina com civilização.

O Globo mente!

Quando você vê, escuta e lê articulistas e editorialistas do Grupo Globo, outrora “Organizações”, um nome muito sugestivo, defender a “firme defesa da democracia”, os leitores, os ouvintes e os telespectadores não sabem se dão gargalhadas de perder o fôlego ou sentem repulsa, raiva ou desprezo por essa gente que trata o País e seus diferentes e diversificados grupos sociais como idiotas ou incapazes de perceber o óbvio, que é compreender que os jornalistas do maior grupo de comunicação do País, a serviço de seus patrões, os irmãos Marinho, distorcem a verdade, manipulam a notícia, confundem as realidades e, acima de tudo, fazem política.

A péssima política, diga-se de passagem, em prol dos interesses dos coronéis midiáticos, a fim de garantir, não somente seus empregos e salários, mas, sobretudo, ser grande parte dos profissionais de imprensa mancomunados com os interesses empresariais, além de cúmplices do golpe de estado de 2016, que terminou com a deposição da presidente legítima e constitucional, Dilma Rousseff, em um golpismo terceiro-mundista que ainda não terminou, bem como serviu como instrumento para a prisão injusta e covarde do ex-presidente Lula em abril de 2018, que hoje é considerado, inclusive internacionalmente, o preso político mais importante do mundo.

Isto mesmo. Toda a imprensa internacional e os mais importantes pensadores e políticos do mundo sabem que no Brasil houve mais um golpe de estado praticado por forças obscurantistas, economicamente hegemônicas e politicamente reacionárias, menos a imprensa de terceiro mundo, de propósitos alienistas, e que historicamente participa de golpes de estado, sempre contra presidentes trabalhistas e de esquerda, que não seguem a cartilha do neoliberalismo e da entrega de terras, do mercado interno, das riquezas naturais, do patrimônio público e da infraestrutura.

A famiglia Marinho, desde o longínquo ano de 1925, quando O Globo foi fundado, integra o establishiment brasileiro e depois o internacional. Tais magnatas bilionários de todas as mídias cruzadas e não democratizadas, porque no Brasil ainda não foi efetivado um marco regulatório para este setor da economia (por favor, não confunda com censura de conteúdo para gerar propositalmente confusão à sociedade), são pilares importantes do capital estrangeiro, mais do que o nacional, sendo que seus interesses superam o “Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”, lema ou mote do candidato fascista Jair Bolsonaro, um homem que homenageia os torturadores e defende o crime hediondo da tortura como instrumento de disputa e combate político, partidário e ideológico.

Jair Bolsonaro, autocrata da violência e do desrespeito total, geral e irrestrito, representa a extrema direita em forma de barbárie e perversidade, e os irmãos Marinho e seus empregados com índoles de Pica-pau do desenho animado são, sem sobra de dúvida, um dos maiores responsáveis pela ascensão do neofascismo no Brasil, de caráter entreguista, repressor e opressor, conforme demonstram as realidades das minorias, trabalhadores e aposentados, por se tratar de um governo fundamentalista, que mistura no mesmo balaio o mercado, religião, militarismo e ações policialescas, em um caldeirão diabólico que transformou o Brasil democrático em busca de sua soberania e independência em uma reles e humilhada republiqueta, que apenas serve de apêndice dos interesses dos Estados Unidos e das classes ricas e muito ricas que retrocederam o Brasil à República Velha.

Agora, vem o jornal dos Marinho, O Globo, com seus editorialistas e articulistas mensageiros do sofismo e do arrivismo sem igual, porque de uma hipocrisia e cinismo que levam as pessoas pensarem se essa gente desprovida de sentimento de cidadania e respeito à inteligência do próximo tem limites no que concerne às péssimas e graves realidades deste País com vocação para ser uma eterna colônia, já que a atual classe dirigente, que milita no campo da direita, está a destruir os alicerces civilizatórios do Brasil, no que diz respeito à sua autonomia e soberania, industrialização, mercado interno, patrimônio público e influência entre as nações.

O Grupo Globo, juntamente com seus sócios da Lava Jato, que tiveram suas ações criminosas chanceladas pelo Supremo Com Tudo (SCT), que vem a ser a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil, há décadas interfere na política brasileira, combate a democracia e o Estado de Direito, além de fazer oposição ao desenvolvimento econômico e social do povo brasileiro, que luta incessantemente pela sua emancipação, mas não possui e não domina as ferramentas e os instrumentos políticos que o permitam a ter acesso à cidadania, a questão mais importante para a humanidade. Cidadania significa liberdade e igualdade.

Cito cidadania na forma de segurança, saúde, educação, moradia, saneamento básico, urbanização, emprego, acesso pleno ao consumo ou poder de compra, além de ter a garantia de que as empresas públicas, principalmente as estratégicas para o desenvolvimento do Brasil não sejam entregues pelos traidores da Pátria de baixo nível intelectual e totalmente descompromissados com a independência da nação, porque sujeitos de irresponsabilidades incomparáveis com quaisquer classes dirigentes dos países emergentes e desenvolvidos, sendo que governantes a exemplo do Amigo da Onça e abjeto *mi-shell temer e o fascista apoplético Jair Bolsonaro se lançaram com ódio para atender seus compromissos com o mercado, a fazer do Brasil um lugar de ninguém e aberto aos abutres do capitalismo internacional.

O editorial cretino e debochado de O Globo é um acinte à sensatez e um insulto à civilidade, além de uma ode à sordidez e à infâmia. Será que os editorialistas de O Globo e do Grupo Globo pensam que todos os cidadãos são burros ou burros são eles? Afinal, os seus discursos mequetrefes em defesa da democracia não passam meramente de dissimulações e de altissonante choro para confundir, principalmente, as classes média e média alta, no que é relativo ao inconformismo dos barões de imprensa que estão furiosos e por isto desejam que o governo fascista e preconceituoso de Jair Bolsonaro reveja seu ato de acabar com a exigência de que balanços de empresas sejam obrigatoriamente publicados em jornais impressos como O Globo dos Marinho.

Aliás, trata-se da única ação sensata do governo fascista, no que tange a todos seus atos governamentais predatórios, que, geralmente, são contra os interesses dos trabalhadores e do Brasil. Bolsonaro, na verdade, assinou tal decreto pelo motivo de vingança e não para acabar com a mamata milionária dos Marinho. O capitão tresloucado adora os empresários e odeia os trabalhadores e os pobres, conforme comprovam suas ações como chefe de governo e de estado, bem como deputado federal por quase 30 anos.

Além disso, as mudanças tecnológicas ratificam que é anacrônico e ultrapassado publicar balanços de milhares de empresas para que o Grupo Globo e outras empresas midiáticas fiquem a deitar e rolar eternamente ou mamar deitadas para fingir que são leitões. A verdade é que os irmãos Marinho e seus escribas pagos a preço de ouro para servir aos interesses dos magnatas bilionários é um desserviço à nação, porque a real verdade é que a democracia, o estado de direito ou o que o valha sempre foram questões que os irmãos Marinho e seus antepassados sempre desprezaram, pois apoiadores de golpes de estado e de programas econômicos que deixam e sempre deixaram o Brasil e seu povo de joelhos — à míngua.

O Globo se preocupar com a democracia ou desenvolvimento são coisas que, definitivamente, não combinam com suas ações históricas, a exemplo de água e óleo ou soberba e dinheiro ou ignorância e poder. Não combinam, como o Globo em relação à democracia. A verdade é que o oligopólio midiático quer dinheiro, muito dinheiro e influenciar o poder, nem que tenha de fazer chantagens, acusações infundadas e denúncias vazias. É a praxe e o DNA, como confirmam o apoio até hoje à Lava Jato, mesmo a saber que os procuradores, os juízes e os delegados incorreram em crimes, destruíram a economia e usaram o Direito para perseguir a quem tais criminosos consideram como inimigos, a exemplo de Lula, José Dirceu e Dilma Rousseff, dentre muitos e muitos outros.

O Globo e seus escribas de má-fé intelectual e social consideram que não publicar balanços de milhares de empresas em suas páginas é um ato contra a democracia e quiçá um estupro contra a transparência. Só que não. Se o Globo e os Marinho tivessem tanta preocupação com a democracia não apoiariam golpes de estado de direita, seriam contra o congelamento por 20 anos dos orçamentos da educação e da saúde, combateriam o fim dos programas de inclusão social, seriam contrários à venda de estatais estratégicas para a defesa e o desenvolvimento do Brasil.

Os irmãos Marinho e seus empregados plenos de má-fé também seriam contra a precarização do trabalho e contra a desconstrução das leis trabalhistas — a CLT, além de afirmarem que a reforma previdenciária é um roubo contra os trabalhadores e aposentados. Os Marinho se mostrariam também indignados com o crime de lesa-pátria, que é a entrega do Pré-Sal para os estrangeiros, bem como não aceitariam o esquartejamento da Petrobras, de forma que a poderosa estatal fique apenas com o papel subalterno de prospectora de óleo, sem, no entanto, ter o controle dos combustíveis, dos transportes, das refinarias, dos oleodutos e gasodutos, além de muitas outras questões que fazem o Brasil se tornar uma colônia a ser explorada à exaustão pelos ricos brasileiros, como os Marinho, e estrangeiros e suas poderosas multinacionais.   

Esta é a verdade. O Grupo Globo é um câncer letal e que não mede consequência para que o Brasil seja um eterno país colonizado, com um povo sem acesso à educação e à saúde, além de emprego digno. O Globo é a própria discórdia, o golpe e a dor que flagela o povo brasileiro, um dos mais criativos e trabalhadores do mundo. O Globo mente, porque nunca em sua história se preocupou ou defendeu a democracia e a verdade.

O Grupo Globo é o maior responsável, juntamente como o Supremo Com Tudo, pela demolição da economia brasileira e pela ascensão dos fascistas ao poder. O Grupo Globo é igualmente fascista, bem como sua fome por dinheiro e poder é sem igual no mundo midiático. O Globo apoiou golpes, prisões ilegais, governos elitistas e agora posa de “bom moço”, pois se diz preocupado e a favor da democracia. Globo é Golpe! Golpe é Globo! É isso.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

O histerismo ideológico do clã Jair Messias e seus seguidores
Ariovaldo Ramos

Depressa!

Se houvesse necessidade, frente a qualquer inimigo externo, Deus levantava um ou uma líder, chamado de juiz ou de juíza, que comandava o povo contra o invasor e, assim, protegia o território e o...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247