Globo mente para dizer que fracasso econômico de Temer, Bolsonaro e Guedes é culpa do PT - Até o capeta discorda!

A verdade é que a Globo mente e manipula para dizer que o fracasso econômico de Temer, Bolsonaro, Meirelles e Guedes é culpa do PT e de suas lideranças. Nem o capeta acredita nesse conto do vigário!

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Davis Sena Filho

A verdade nua e crua é que o Grupo Globo é aliado do presidente fascista, Jair Bolsonaro. Os Marinho, além de aliados, apoiam em todos os sentidos a política econômica de exclusão social, de traição à soberania brasileira e de rapinagem do Brasil o testa de ferro dos bancos nacionais e internacionais, Paulo Guedes, que se trata de um sujeito fundamentalista do mercado de capitais, um privatista fanático, que não tem quaisquer compromissos e responsabilidade com o Brasil. Aliás, as políticas econômicas implementadas pelo xiita ultraliberal denota todo seu caráter de um entreguista irresponsável.

O vendilhão Paulo Guedes, definitivamente, não tem compromisso com o País, volto a ressaltar, a não ser com seus chefes da plutocracia internacional, que receberão as estatais brasileiras como instrumentos preciosos para explorar o gigantesco mercado interno brasileiro e enriquecer ainda mais suas multinacionais e países de origens. Portanto, afirmo: esses são os Marinho, os imperialistas e colonizadores do Brasil. Se o Bolsonaro tentar ser um pouquinho mais educado e menos bruto e palatável, a famiglia Marinho até para de implicar com o fascista que ajudou, e muito, a eleger por meio de seu oligopólio midiático historicamente golpista. Entendeu cara pálida, ou quer que eu desenhe?

Enquanto isso, o irresponsável Grupo Globo, por intermédio de seus jornalistas capitães do mato, plenos de má-fé intelectual e infâmias ao apoiarem um golpe de estado em 2016, não repercutem que o Brasil, conforme o FMI, em apenas quatro anos após o golpe de 2016, deixa de ser uma das dez maiores economias do mundo e cai para 12ª. No período Lula e Dilma, o Brasil era a sexta economia do mundo e se preparava para ser a quinta. E o que aconteceu?

Os Marinho e seus capatazes apoiaram um golpe de estado, pois insatisfeitos com a política econômica desenvolvimentista do PT, liderada pelo professor estruturalista, Guido Mantega, sendo que atualmente manipulam a população para tirar a culpa do fracasso retumbante na economia por parte do chicago boy Paulo Guedes, sujeito fundamentalista do mercado financeiro mundial, como disse anteriormente, que só pensa em vender o patrimônio público, assim como se empenha diariamente para concentrar renda e riqueza, além de sistematicamente apoiar o fim dos direitos sociais conquistados pelo povo brasileiro, no decorrer do século XX.

Guedes, o irresponsável e apátrida desprovido de programas e projetos para o Brasil ser independente e soberano, afirma que quer pagar a dívida pública, ou seja, o malandro quer entregar, a preço de banana, joias como a Petrobras e a Eletrobras para pagar os credores privados do Estado, além de temerariamente e inacreditavelmente entregar o controle energético do Brasil a potências estrangeiras e a empresários gananciosos, que somente visam o lucro.

Perceba, camarada, o que ocorre no Amapá, onde uma empresa privada incompetente e irresponsável está a deixar o sofrido povo amapaense sem energia há dias seguidos, a causar gigantescos prejuízos à população e à economia do Estado da região norte do País. Agora imagine, prezado leitor, os empresários e multinacionais a tomar conta de empresas estratégicas e a expor a segurança do Brasil, inclusive para sua soberania, que ficaria, obviamente, nas mãos dessa gente empresarial, que, vale lembrar, inundou e soterrou duas cidades mineiras, Mariana e Brumadinho, por exemplo, porque não cuidou das barragens devidamente para não ter que investir, até que foram rompidas e a matar centenas de pessoas e a contaminar seriamente o meio ambiente.

Tudo isto é a real iniciativa privada para quem cantam loas e boas nos meios de comunicação, a exemplo do Grupo Globo, inimigo histórico dos interesses do Brasil. A verdade é que os controladores da Vale do Rio Doce jamais responderam por seus crimes e, com efeito, curtem a vida livres, lépidos e fagueiros, com o beneplácito da Justiça e do MPF. Como pode um indivíduo desclassificado como o Paulo Guedes, um pirata internacional da iniciativa privada, ditar o destino do Brasil? Esse sujeito sem eira nem beira e noção alguma de país e sociedade, na verdade, deveria ser preso com 30 anos de cadeia pelos seus gravíssimos crimes contra a segurança do Brasil e de seu povo. Ponto.

A que ponto chegou este País, cujos servidores públicos da Justiça, MPF e até os generais cruzam os braços e se tornam cúmplices desse entreguismo e privatismo desenfreado e calamitoso, que rebaixa o Brasil a uma republiqueta das bananas, pois quem tem a obrigação de proteger e defender sua integridade nacional optou por ser subalterno e subserviente a interesses privados e estrangeiros. Porém, retornemos ao Fantástico que de fantástico não tem nada.

O Fantástico, da Globo, quer defender o indefensável, justificar o injustificável e a aprovar o reprovável. É bem de seu caráter de escorpião, que me desculpem os escorpiões por insultá-los. Afinal, se existe um grupo econômico e meramente financista, que jamais teve quaisquer compromissos com o desenvolvimento da sociedade brasileira, tanto no setor econômico quanto na área social, este grupo é o Globo, que era antes chamado de Organizações(?).

Tal nomenclatura remete a uma ideia de máfia, o que, sobremaneira, não se trata de equívoco ou erro de quem pensa dessa maneira sobre o oligopólio midiático, useiro e vezeiro em apoiar golpes de estado e a cooperar, com contundência, para o subdesenvolvimento do Brasil, bem como para a pobreza do povo brasileiro. Por isso o apoio a Paulo Guedes por parte da nefasta indústria de mentiras e manipulações, ou seja, um apoio que também é extensivo ao Bolsonaro, que para os Marinho e seus diretores de empresa peca apenas por ser um ogro, pois se o ex-capitão fossem um pouco menos destrambelhado, certamente que os Marinho estariam de braços dados com ele, como deram os braços, as pernas e a alma por 21 anos aos generais da ditadura militar de 1964.

E não é que o programa decadente, da Globo, chamado de Fantástico, que de fantástico não tem nada ou coisa alguma, ressalto novamente, veiculou no domingo (8/11) uma matéria que é o exemplo fidedigno e inquestionável do verdadeiro e genuíno jornalismo de esgoto, um lixo fétido e pegajoso, que envergonha a sociedade brasileira e os jornalistas que ainda têm alguma decência e vergonha na cara, no que diz respeito a falar a verdade, não tergiversar, não manipular e não mentir desbragadamente como se não houvesse amanhã e consequências para os autores de um jornalismo de baixíssima qualidade, maquiavélico e digno de mafiosos.

Esse tipo de gente até hoje finge que não tem culpa no cartório ou nada a ver no que é relativo ao golpe bananeiro de estado de 2016, que levou à deposição da presidente constitucional e legítima Dilma Rousseff. Porém, há muita culpa e envolvimento, sim. E a história colocará tais jornalistas e seus patrões nas páginas mais sombrias e infames da história do Brasil. Eles são os golpistas que tem a mais perfeita noção e consciência de seus papéis como vetores responsáveis por tudo o que é de mau que aconteceu para a soberania e o desenvolvimento do País nesses últimos dez anos.

Esses patifes ficaram anos a fio a combater politicamente os governos trabalhistas do Partido dos Trabalhadores, da maneira mais insidiosa e violenta possível para que as lideranças principais do PT tivessem suas imagens desconstruídas e suas integridades morais demonizadas. Essa turba de redações se juntou aos delinquentes e celerados da Lava Jato, que foram comandados pelo sociopata Sérgio Moro, um ativista político de extrema direita, que ao se aproveitar da toga politizou a Justiça, judicializou o sistema político e eleitoral, além de criminalizar até os atos e ações governamentais de rotina dos presidentes petistas, Lula e Dilma.

Depois Sérgio Moro — o Homem Muito Menor — foi servir ao governo fascista e militarista até levar um pé na bunda e sair todo desconjuntado do poder, porque moralmente desmoralizado, pois prendeu o Lula, o tirou da corrida presidencial para favorecer Jair Bolsonaro, que o encantou como tal qual a uma serpente ao prometer-lhe uma vaga no Supremo Com Tudo (SCT, Corte que vem a ser, indubitavelmente, a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil, pois permitiu os crimes da Lava Jato, protegeu as delinquências de Moro, Deltan Dallagnol e CIA, bem como é o garantidor e chancelador do golpe de estado contra uma presidente honesta.

O golpe da casa grande escravocrata, que destruiu a economia nacional e desempregou criminosamente dezenas de milhões de brasileiros, além de permitir que um homem inocente, como o ex-presidente Lula, fosse acusado levianamente e injustificadamente, de forma que o líder de esquerda fosse humilhado duramente por policiais, procuradores e juízes após a queda de Dilma e, posteriormente, encarcerado a mando de malfeitores protegidos por togas e becas, a se aproveitar de seus cargos públicos para agir como ativistas de direita e extrema direita e, por conseguinte, interditar o processo democrático e interferir nas eleições presidenciais.

E todos esses pulhas estão soltos, a falar um monte de mentiras e a se mostrar hipocritamente como os mosqueteiros da família, de Deus, da Pátria e da propriedade privada, em um cinismo e sordidez que deixariam satanás com as bochechas vermelhas de tanta vergonha, para logo sentir inveja dessa gente arrogante, prepotente e plena de preconceitos, como demonstraram com suas ações e pelas redes sociais.

E tudo para montar a base de sustentação do golpe de terceiro mundo, com a cara e o focinho da imprensa de negócios privados mais corrupta, deletéria e golpista do mundo ocidental, cujo símbolo máximo é o Grupo Globo. A imprensa meramente de mercado e de essência golpista apoiou toda essa sujeira, e, mais do que isto, foi a porta-voz de facínoras togados aboletados nos subterrâneos fétidos da Lava Jato.

Então, pergunto: os jornalistas e seus patrões da imprensa mercantilista pensam que enganam a quem? Ninguém, uai! Nem mesmo os coxinhas que migraram eleitoralmente para o campo extremo dos bolsominions, em decisão tão lamentável moralmente e estéril quanto à inteligência. Um verdadeiro deserto de conhecimento, cultura e história do Brasil e dos partidos políticos. Porém, existe um grande contingente do povo brasileiro que compreende muito bem para quem trabalham a famiglia Marinho e seus áulicos da mentira e da manipulação — os seus empregados de redações e reportagens, que tiveram a insensatez e a canalhice de culpar o governo de Dilma Rousseff pelos fracassos retumbantes na economia brasileira.

Trata-se de um deboche, porque os números e índices de Dilma são quase todos positivos, mesmo seu governo democrático a ser alvo de pautas bombas, processo de impeachment, desrespeitos atrozes à sua pessoa, engavetamento de seus projetos e decretos no Congresso e uma campanha insidiosa e perversa, mentirosa e violenta por parte da grande imprensa privada, à frente o Grupo Globo, que durante todo o período do PT no poder não deu trégua e combateu com fakes news, distorções, manipulações e mentiras as realidades dos fatos.

Os jornalistas desse grupo monopolista e golpista se recusaram ouvir sistematicamente os agentes políticos de esquerda, que estavam sendo agredidos pela oposição partidária e pelos meganhas de togas, ternos e becas, sem dar chance às respostas, a fim de premeditadamente contrariar o bê a bá do jornalismo profissional: ouvir os dois lados ao mesmo tempo e favorecer que o contraditório e a ampla defesa sejam efetivamente realizados.

Há anos que tal imprensa porta-voz do capital abandonou o jornalismo e se tornou apenas e unicamente um balcão de negócios, cujos vendedores de “peixes” já apodrecidos são os jornalistas empregados dos plutocratas das mídias monopolistas. A imprensa comercial e privada é um lixo e, como tal, procede, pois uma máquina de moer reputações, porque o que interessa é ter seus direitos financeiros, econômicos, políticos e até ideológicos atendidos. Temos no Brasil, sem sombra de dúvida, o verdadeiro, o autêntico e o genuíno jornalismo de esgoto. E muitos coleguinhas ainda sentem orgulho de seus lamentáveis papéis. Durma-se com um barulho desse.

Pois é... E mais uma vez de milhares de vezes o Grupo Globo, por meio de sua concessão pública que há muito tempo deveria ter sido retirada dos irmãos Marinho, além de ser uma empresa privada que vive há décadas do dinheiro público, resolveu cometer os mesmos pecados: o pecado da mentira e da manipulação calhorda e sórdida, que tem por finalidade culpar o PT pelo ultraliberalismo criminoso e covarde imposto ao povo brasileiro pelos governos incompetentes e perversos de Michel Temer e Jair Bolsonaro.

Ambos nomearam para o Ministério da Economia dois banqueiros entreguistas e neoliberais dos naipes de Henrique Meirelles e Paulo Guedes, a comandar a economia do Brasil. Dilma Rousseff, que sofreu todo tipo de sabotagem e picaretagem em seu segundo governo, é a culpada pelos fracassos dos presidentes golpistas e fascistas, de acordo com os caras de pau do Grupo Globo. Hum, hum...

A verdade é que a Globo mente e manipula para dizer que o fracasso econômico de Temer, Bolsonaro, Meirelles e Guedes é culpa do PT e de suas lideranças. Nem o capeta acredita nesse conto do vigário! O fracasso econômico pertence também ao Grupo Globo e dos irmãos Marinho, sem dúvida. Eles apostaram em mais um golpe de estado e apoiam desde sempre a política de pirataria econômica e exclusão social de Paulo Guedes e Jair Bolsonaro. É isso aí.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247