Golpes voltam na América Latina: desde 2009 no Paraguai e em Honduras em 2012

Essa nova fase da geopolítica dos EUA é fruto ainda da crise de 2008 que levou a intensificação por busca de novos mercados e assim voltar a ganhar mercados para não perderem o domínio do mundo como vinham perdendo para a China

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reforço minha persistência no tema que o Brasil pode ser a bola da vez se tentarmos tirar o Bolsonaro do poder, se tentarmos impedir o plano dos EUA no Brasil. Estamos sim por um fio. As táticas em alguns países golpeados foram semelhantes como: primeiro tentam ganhar as eleições presidências, quando não ganham abrem o processo de golpe. Caso ganhem governam até onde podem e buscam fazer as reformas neoliberais e assim extraem tudo que for possível desse país, dessa colônia, e enviam tudo para os EUA que são os donos do capital. Essa nova fase da geopolítica dos EUA é fruto ainda da crise de 2008 que levou a intensificação por busca de novos mercados e assim voltar a ganhar mercados para não perderem o domínio do mundo como vinham perdendo para a China. 

Escrevi, faz uns diz, que "Os EUA farão o necessário para manter assim o Brasil, por “n” fatores (como petróleo, sua importância na América do Sul etc). Logo, como já avisado, se formos às ruas sem força, o presidente Jair Bolsonaro terá apoio americano para pôr o exército na rua e, acontecendo, o “caldo” tende a engrossar, abrindo possibilidades da edição do novo AI-5 ou outros atos para institucionalizar um golpe dentro do golpe, e mais uma vez um período sombrio ao Brasil." Logo, não duvidem se o Brasil vier a sofrer intervenção militar de forma direta, pois indiretamente eles já estão no governo do presidente Jair Bolsonaro.

Em relação ao golpe dado na Bolívia, ontem dia 10, com a renúncia do presidente Evo Morales o mundo agora está sabendo que estão sendo expedido ordens de prisão contra o presidente deposto entre outros esquerdistas, indígenas. Mas, ORDEM?

Sim, pois essa “ordem” ao ser dada passa toda uma legalidade jurídica para ludibriarem os habitantes do pais golpeado e outros do mundo e passar a impressão que tudo foi feito com base legal na constituição do país, constituição essa que muitas vezes é criada por esse grupo que está dando o golpe que é a elite junto com seus militares entre outros e tradicionalmente com o apoio dos Estados Unidos. O modus operandi é prender, matar, esquartejar em quem for oposição. Buscam calar a todos, pois seu objetivo é não deixar ninguém que posso se rebelar contra o sistema. Estes, dificilmente sabem conviver com os que pensam diferente, com a democracia e a impõem normalmente pelo medo, pela repressão seja ela policial, religiosa e midiática. Interessante leitura da obra Punir e Vigiar, de Michel Foucault, pois ele trata bem sobre como controlar a sociedade e acredito que vai ao encontro da forma de agir da elite mundial para chegar ao poder e governar. 

Importante lembrar que governos socialistas ou movimentos socialistas que deram certo devem ser extinguidos da história para nunca mais voltarem a ser exemplo. No Brasil tivemos movimentos como o Caldeirão que aconteceu no Crato - Ce, na serra do Araripe,  e o grande líder foi Beato Zé Lourenço que junto com os seus seguidores, romeiros, construíram nessa fazenda, doada por Padre Cícero, uma grande comunidade onde tinha água o ano todo, produziam suas ferramentas de trabalho, faziam suas próprias roupas e calçados. Ou seja, viviam da própria terra e não precisam ser “escravos”, vender sua mão de obra, de forma barata aos fazendeiros da região, fato esse que gerou descontentamento nos coronéis que passaram a considerar a comunidade como uma má influência. 

Com a morte do Padre Cícero em 1934 e o aumento do poder do beato entre os romeiros a fazenda Caldeirão foi crescendo e chegou a ter aproximadamente um mil habitantes. Foi aí que Políticos, donos de terra, justiça e a igreja se juntaram e montaram um plano para destruir a fazenda. Em 1937 Caldeirão foi invadida e destruída pelas tropas do exército de Getúlio Vargas e o pretexto para a destruição é que eram comunistas. Mataram, oficialmente, quatrocentos pessoas. No entanto, outros dados dizem que número de mortos é bem maior e pode chegar a um mil. O beato José Lourenço e alguns romeiros conseguiram fugir.

Assim, como esse movimento tivemos o de Canudos entre outros no Brasil e no mundo que comprovam que o capital mostra, mais uma vez, que não aceita divergência, que os passos de seus "escravos" são vigiados e seu limite é não mexerem no bolso deles. Se a briga envolvesse a Europa teríamos uma Terceira Guerra Mundial, mas como envolve as colônias somente dos EUA não a teremos. A Europa também tem suas colônias, alguns países da África, já os EUA têm a América do Sul. Sem esses "escravos", sem essas colônias esses países NUNCA seriam de primeiro mundo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247