Governar para o Bem Viver das Famílias – Chega de Destruição

o caminho que se coloca é administração pelo governo militar no estilo contra insurgência, no limite como o Haiti e Congo. Um governo de máfias de milícias, pois as políticas ultraliberais de Guedes não vão resolver os problemas do desemprego e do crescimento econômico

O presidente Jair Bolsonaro fala à imprensa após reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, no ministério.
O presidente Jair Bolsonaro fala à imprensa após reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, no ministério. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABR)

Assistindo o Prof. Paulo Arantes, falando comparativamente sobre 1º Abril de 1964 e 2019, tentando entender o que querem os militares, ele analisou o desenvolvimento histórico, ressaltando os seguintes pontos:

- Não existe governo de esquerda. O governo quer governar.

- Os governos do PT aplicaram políticas neoliberais inclusivas com atenção a problemas focais, como preconizavam programas do Banco Mundial, como minha casa minha vida, controlado por empreiteiras, e Universidade para todos, controlando pelos empresários da educação.

- O golpe, no sentido de trapaça, foi feito porque os governos estavam muito bons. Depois de Dilma 2, viriam Lula 3 e 4 , e achando um bom nome, PT 7 e 8 com vocação para um PRI ( ficou 50 anos no poder no México ).

- Os administradores públicos estavam entre os melhores quadros da universidade e estavam se desenvolvendo programas focais de inclusão social que permitiam praticamente um pleno emprego ( 4,5 % em 2014 ), com uma taxa de corrupção das mais baixas.

- Os governos do PT permitiam até os adversários como Aécio, mamarem no governo, que permanecia com seus esquemas ligadas as estatais, como Furnas.

- Antonio Ermínio, perguntado sobre os governos Lula, disse que estavam se saindo melhor do que o esperado. Indagado sobre o mensalão , disse que isto era perfumaria.

- Os governos do PT estavam realizando o desenvolvimentismo de Geisel, com Programa Nuclear ( submarino nuclear, e submarinos franceses) , Embraer, Programa Espacial , com Alcântara e empresas multinacionais brasileiras realizando obras no exterior, exercendo um sub-imperialismo regional. Com o pré-sal, os recursos para educação permitiriam um salto desenvovimentista.

- Frente ao sucessos dos governos do PT , Aécio , sem projeto, ligou o foda-se, com receio de exclusão da oposição do poder por muitos anos.

Frente a este quadro, Arantes se indaga, o que estão pensando os militares que tomaram o governo. Levanta algumas hipóteses|:

1. Os militares se consideram a elite dirigente que sobrou , alternativa aos políticos dinheiristas e ao balcão de negócios do stf. Daí ocuparem mais de 100 cargos na alta administração pública.

2. Vão fazer o que já faziam nos últimos 20 anos com as operações de garantia da lei e da ordem. Uma administração de contra-insurgência, sem insurgência, apenas motins, protestos isolados sem articulação. Para fazer isto de forma eficiente, vão tentar obter com ianques e Israel tecnologia para a vigilância e monitoramento dos pontos alvo, através da transformação do GSI no aparato de inteligência do controle social. A inspiração deste controle de contra-insurgência tem suas bases lançadas na Operação Phoniex do Vietnã, como explica DouglasValentine

3. Recuperam os militares assim o seu prestígio social. Foram traídos pela burguesia brasileira, pois após entregar o país varrido dos esquerdistas, foram considerados a ditadura que tortura. Como o Globo que após apoiar o golpe de 64, fez um mea-culpa 50 anos depois. Além disso escapam de condenações por crimes contra a humanidade , investigados pela Comissão da Verdade.

Frente a este quadro, o caminho que se coloca é administração pelo governo militar no estilo contra insurgência, no limite como o Haiti e Congo. Um governo de máfias de milícias, pois as políticas ultraliberais de Guedes não vão resolver os problemas do desemprego e do crescimento econômico.

O programa do Movimento de Bannon, que fala mal dos banksters para defender os bilionários, que o inominável assume, quer destruir toda economia e o Estado para impedir as regulamentações do capital financeiro, que o momento do sistema capitalista atual exige, somente possível através de um governo mundial.

A alternativa é a retomada daquilo que vinha dando certo, que é realizar um governo voltado para o bem viver das famílias, com trabalho assalariado, e o retorno do estado de bem estar social, crescente, aquilo que os governos do Pt vinham realizando, na linha do que propõe o professor Dowbor em O Capitalismo Improdutivo. Além das medidas do plano de emprego e renda, podemos propor, como os socialistas democratas americanos, a redução dos juros dos cartões de crédito para o máximo de 15% ao ano, a fim de iniciar a destravar a economia.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247