Governo Bolsonaro já é um cadáver putrefato a céu aberto

Colunista Leandro Fortes, do Jornalistas pela Democracia, diz que resta agora a Paulo Guedes "viver o papel que lhe restou, o de espectador privilegiado do fim trágico do circo de horrores que ele ajudou a montar"

www.brasil247.com - Ministro de Estado da Economia, Paulo Guedes e Jair Bolsonaro
Ministro de Estado da Economia, Paulo Guedes e Jair Bolsonaro (Foto: Marcos Corrêa/PR)


Por Leandro Fortes, para o Jornalistas pela Democracia - Paulo Guedes, como um violonista do Titanic, montou seu show de medidas tarde demais: o governo Bolsonaro, a maior e mais triste tragédia política da democracia brasileira, já acabou. Trata-se de um cadáver putrefato a céu aberto, uma presença que se impõe apenas pelo mau cheiro.

Guedes lamenta, ao quatro cantos, que a pandemia do coronavírus veio justamente na hora em que o País, depois de patinar em um PIB ridículo de 1,1% de crescimento, em 2019, iria decolar, já no primeiro trimestre de 2020.

O ministro, de falso profeta, tornou-se um mentiroso compulsivo, exatamente como o chefe.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao assumir o cargo, em janeiro de 2019, anunciou que o Brasil iria crescer, no mínimo, 2%, naquele ano. Estava chutando. Agora, prepara a narrativa para o fim, antes de se mandar, novamente, para a segurança da banca. Avisa de que a economia naufragou por causa do Covid-19.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A verdade é que a economia segue naufragando porque o presidente é um demente irresponsável cercado de idiotas e psicopatas. Guedes, que ao menos consegue se alimentar sozinho, poderia fazer a diferença, mas não é sequer subordinado a Bolsonaro: é um funcionário do mercado financeiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O coronavírus tornou-o refém de um neoliberalismo tornado anacrônico, da noite para o dia. Enquanto o Estado surge como única salvação para a humanidade, Guedes continua representando a farsa das reformas e das privatizações.

Resta a Guedes viver o papel que lhe restou, o de espectador privilegiado do fim trágico do circo de horrores que ele ajudou a montar. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email