Greve geral neoliberal globeleza apaga Brasil e favorece Lula 2018

Alguma dúvida de que o grande vencedor da crise dos combustíveis, que marca o colapso neoliberal dos golpistas de 2016, é Lula, preso em Curitiba, sem prova concreta para incriminá-lo, salvo o desejo secreto de Sérgio Moro de servir aos seus patrões em Washington?

Alguma dúvida de que o grande vencedor da crise dos combustíveis, que marca o colapso neoliberal dos golpistas de 2016, é Lula, preso em Curitiba, sem prova concreta para incriminá-lo, salvo o desejo secreto de Sérgio Moro de servir aos seus patrões em Washington?
Alguma dúvida de que o grande vencedor da crise dos combustíveis, que marca o colapso neoliberal dos golpistas de 2016, é Lula, preso em Curitiba, sem prova concreta para incriminá-lo, salvo o desejo secreto de Sérgio Moro de servir aos seus patrões em Washington? (Foto: César Fonseca)

CAMPANHA ELEITORAL PEGA FOGO

Está na cara que, se continuar a política neoliberal que congela gastos sociais e solta gastos especulativos, com a chamada PEC do Teto, totalmente, inconstitucional, a crise dos combustíveis vai continuar fazendo estragos.

São os gastos sociais que puxam demandam global e geram renda disponível para o consumo por meio do qual se movimentam forças produtivas, gerando emprego, renda, arrecadação, investimentos – o silogismo clássico capitalista.

Sem o movimento capitalista da produção, o governo, única variável econômica verdadeiramente independente sob capitalismo, segundo Keynes, não tem dinheiro em caixa para fazer seu dever como agente fundamental da economia capitalista: ampliar oferta da quantidade de dinheiro em circulação.

Mais oferta de gastos sociais é que inicia o circuito capitalista moderno: eleva os preços, reduz salários, diminui juros e perdoa dívida contratada a prazo pelos agentes econômicos: governo, trabalhadores e empresários, em processo de integração dialética.

É por aí que se cria o que Keynes denominou de eficiência marginal do capital, o lucro, capaz de despertar o espírito animal do investidor.

Sem isso, nada feito.

O golpe neoliberal, ditado pelo Consenso de Washington, propagado pela Globo e apoiado por aliança política antinacionalista, tirou o consumo do circuito capitalista e deu no que deu: merda.

Os carros parados nas ruas, estradas etc e tal é fruto desse miopia econômica neoliberal, que está entregando o Brasil de bandeja para os abutres internacionais, no compasso do desemprego, da fome, da instabilidade política, da destruição das empresas estatais estruturantes do desenvolvimento nacional, da formação da garantia de direitos e estabilidade social, do poder de compra dos salários etc.

Os economicidas estão no poder.

FORÇA REVOLUCIONÁRIA DA PROPRIEDADE PRIVADA DOS CAMINHONEIROS

CAMINHONEIROS USAM SUA PROPRIEDADE PARA DEFENDER DIREITOS ECONÔMICOS. NÃO SÃO ASSALARIADOS. POR ISSO, IRRITAM LEITÃO.

Miriam Leitão, do Globo, irresponsavelmente, está vomitando barbaridades.

Diz que os caminhoneiros estão provocando o caos no país.

Ora, eles estão exercitando o direito sagrado do empresário de defender

seu negócio.

Eles são donos do caminhão, seu instrumento de trabalho.

Dependem do frete.

Se os resultados entre receita e despesa, na contabilidade fiscal deles, não permitem taxa de lucro para seu negócio, por que pagarão para trabalhar sem obter retorno?

A taxa de lucro é a renúncia ao juro, se ela for satisfatória.

Se o cara tem que pagar para trabalhar, por que não especular com a aplicação financeira?

Qualquer empresa capitalista, mesmo, a Globo, faz isso, e com dinheiro que toma emprestado a juro subsidiado no BNDES, como se sabe.

Esse é o problema da propriedade privada.

O empresário é empregado de si mesmo, não é assalariado, corre todos os riscos.

Se Pedro Parente, esse vendilhão da pátria, importa caro óleo refinado enquanto desmonta refinarias aqui dentro para atender demanda dos acionistas da Petrobrás, interessado em vendê-la aos investidores externos, para elevar seu lucro, enquanto ferra o consumidor nacional, as indústrias, os trabalhadores e, principalmente, os transportadores de combustíveis, qual a postura que devem tomar, senão proteger seu negócio?

Parente está assassinando a Petrobrás com beneplácito de Tio Sam que baixou política econômica ao governo entreguista, que inviabiliza lucratividade da maior estatal brasileira criada pelo espírito nacionalista brasileiro.

Miriam Leitão quer o que?

A bancarrota do setor de transporte, para agradar acionista privado da Petrobrás, beneficiado por Parente?

Deseja os militares nas ruas para obrigar o caminhoneiro trabalhar com prejuízo?

Sua pregação, hoje, estimula a Globo a ir ao golpismo contra caminhoneiros.

Isso é jornalismo, meu Deus do céu?

É por isso que os capitalistas têm medo de ser expropriados pelos trabalhadores, libertando-se da lógica que Miriam quer impor aos caminhoneiros, de serem assalariados submetidos ao capital.

EUNÍCIO MORRE DE CIÚME DE MAIA

DIANTE DO COLAPSO TEMER, MAIA FOI MAIS ESPERTO QUE EUNÍCIO, DOMINADO PELO CIÚME POLÍTICO

O senador Eunício de Oliveira, popular "Peito de Pomba", entrou numa de ciumeira, relativamente, à ação política esperta do deputado Rodrigo Maia(DEM-RJ).

Diante do colapso do governo Temer, rendido à crise dos combustíveis, o presidente da Câmara convocou congressistas a reduzirem impostos como COFINS, PIS, IPVA, ICMS etc, que pesam forte sobre a gasolina.

Maia descartou o miudinho, desejado pelos teleguiados do Consenso de Washington, na Fazenda e Banco Central, interessados em mexer, apenas, na CIDE, cujo peso é insignificante na formação de preços, para aliviar o bolso do consumidor, se for retirado.

O jogo de Maia foi pesado.

Bateu firme na cabeça do governo prostrado, incapaz de aceitar a desoneração fiscal dos três tributos, antes de desabar no chão, por falta de recursos.

Teria que, imediatamente, suspender o congelamento neoliberal imposto pela PEC do Teto de Gastos, que paralisa o Brasil, de norte a sul e de leste a Oeste.

Eunício, diante da iniciativa competente de Maia, fez biquinho.

Disse que não aceitaria votar, em afogadilho, mudança na PIS e Cofins.

Ciúme de cearense besta.

Seu gesto intempestivo prolongaria a crise, jogando o País no incêndio econômico, político e social já em plena ebulição.

Pegou avião e viajou não se sabe prá onde.

Foi chamado de volta às pressas a Brasília, para concertar a cagada que deu.

Não tem outro jeito senão meter o rabo entre as pernas e recolher os flaps, submetendo-se ao comando do poder em cena, o dos caminhoneiros.

São eles que, nesse momento, dão as cartas na economia, na política e na sociedade, parada nos postos de gasolina, pagando o preço absurdo que os espertos cobram para ganhar no sufoco do consumidor.

Ele e Maia estão às turras, um querendo sobrepor-se ao outro, em meio ao caos geral.

LULA POR CIMA DA CARNE SECA

VERDADEIRA GREVE GERAL NÃO DOS TRABALHADORES MAS DOS PROPRIETÁRIOS CAPITALISTAS DA MÉDIA PROPRIEDADE. NOVA SITUAÇÃO POLÍTICA REVOLUCIONÁRIA NO PAÍS SOB COLAPSO NEOLIBERAL

Alguma dúvida de que o grande vencedor da crise dos combustíveis, que marca o colapso neoliberal dos golpistas de 2016, é Lula, preso em Curitiba, sem prova concreta para incriminá-lo, salvo o desejo secreto de Sérgio Moro de servir aos seus patrões em Washington, interessados em segurar o ex-presidente por trás das grades, até passar as eleições, evitando sua volta triunfal à presidência da República em outubro?

O movimento dos caminhoneiros expressa o que os golpistas mais temiam: greve geral no País.

Está tudo parado.

Se começar a faltar rango na mesa da classe média ou se ela, no desespero, correr para estocar comida, com medo de que esse movimento se estique pelo final de semana a dentro, entrando semana que vem em pauta política explosiva, o grito LULA LIVRE vai, certamente, crescer.

É o que mais teme a burguesia produtiva burra brasileira, apoiada, por enquanto, pelos coxinhas classe média reacionários, idiotizados pela mídia golpista, aliada ao mercado especulativo, a serviço do congelamento neoliberal ditado por Washington.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247