Guedes: o BB é do Brasil e essa “porra” de milícia não vai privatizar

Ex-ministro Ricardo Berzoini critica em artigo a intenção da equipe econômica do governo, comandada por Paulo Guedes, em privatizar o Banco do Brasil, "uma dessas empresas que tem competência, capilaridade e potência para atuar na crise". "Guedes é um mau economista e não tem nenhum compromisso com o Brasil", diz ele

www.brasil247.com - Paulo Guedes e Banco do Brasil
Paulo Guedes e Banco do Brasil (Foto: Agência Brasil)


Em um governo de boquirrotos e falastrões, o vazamento da bravata do ministro Paulo Guedes não surpreende. Em uma reunião de ministros milicianos em estado de pânico e um presidente da República sustado, com medo das investigações que atingem a ele e seus tresloucados filhos, o titular da economia saiu com essa: “vamos vender logo a “porra” do Banco do Brasil”.

Quem conhece Paulo Guedes sabe de suas limitações e da incapacidade de pensar qualquer estratégia para enfrentar o porte da crise que vivemos. E sabemos que, pela vontade dele, privatizaria o BB e todas as empresas públicas, pois acredita que a radicalização do liberalismo traz investimentos que premiam os que fazem a “lição de casa”.

Em tempos normais, isso é falso. Em crises agudas, é desastroso. O mundo e o Brasil nele terão que fazer um enorme esforço para recuperar-se da depressão causada pela pandemia da COVID-19. Vários países estão estimando desembolsos de 20 a 25% do PIB, o que representaria, no Brasil, cerca de 1,5 a 1,8 trilhões de reais, para os gastos com a pandemia, com o auxílio a pessoas físicas e jurídicas, e com investimentos para reativar a economia, de forma selecionar criteriosamente, para evitar distorções e privilégios.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O governo do qual Guedes é ministro demonstra claramente não ter capacidade para estruturar uma estratégia para liderar a recuperação econômica. Além de ainda estar focado no equilíbrio fiscal, tema fora da pauta nos países que levam a sério o papel do Estado na economia, não aproveita as empresas públicas que aí estão e que são formidáveis ferramentas, se usadas com responsabilidade e critério. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O BB é uma dessas empresas que tem competência, capilaridade e potência para atuar na crise. Mas precisa de comando político, respeitando o fato de ser uma empresa que tem investidores privados. Ou seja, boa parte do crédito necessário para as micro e pequenas empresas passa pelo BB, CEF, BNB, Basa e BNDES. Esses bancos têm capacidade de atender a demanda, desde que haja uma mitigação de riscos, por garantias do Tesouro, lastreadas nas reservas internacionais. Todos geram lucro para o Tesouro Nacional e pagam muitos bilhões de impostos para a União, estados e municípios.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas privatizar o BB e outros bancos públicos é um desejo ancestral dos bancos privados, pois o banco é competitivo e incomoda os que querem concentrar ainda mais o mercado financeiro brasileiro. Sou funcionário do banco desde 1978 e já enfrentamos diversos ministros e presidentes, mais qualificados até, mas sem compromisso com o interesse nacional.

Guedes é um mau economista e não tem nenhum compromisso com o Brasil. Por ele, é “o mercado acima de tudo e a especulação financeira acima de todos”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email