Há 79 anos triunfava em Stalingrado o heroísmo popular soviético

Em meio às tensões militares atuais, os povos rememoram a batalha que mudou o curso da Segunda Guerra Mundial, escreve o editor internacional do Brasil 247

www.brasil247.com -
(Foto: Divulgação)


Por José Reinaldo Carvalho - Há 79 anos, no dia 2 de fevereiro, o Exército Vermelho Soviético, contando com o inaudito heroísmo das massas populares, triunfava num dos episódios mais importantes da Segunda Guerra Mundial – a Batalha de Stalingrado.

A vitória às margens do Volga sobre um exército que se julgava invencível, mudou o curso da Guerra Patriótica dos povos soviéticos e criou as condições para decidir o desfecho da Segunda Guerra Mundial. Stalingrado foi o prelúdio da grande ofensiva soviética que só terminaria a 2 de maio de 1945 com a definitiva aniquilação da Wehrmacht de Berlim e o hasteamento da bandeira comunista na cúpula do Reichtag. 

Estava em plena execução a Operação Barbarossa, iniciada pelos nazistas em junho de 1941. Os alvos principais eram as cidades de Leningrado, a capital Moscou e o parque industrial da região de Stalingrado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O objetivo dos nazistas com a Operação Barbarossa era a conquista fulminante da União Soviética. Chegaram às portas de Moscou mas foram rechaçados. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O rápido avanço inicial transformou-se em um avanço lento e penoso. Em meados de 1942, a cidade de Stalingrado tornou-se um objetivo fundamental para Adolf Hitler. A cidade era um parque industrial importante da União Soviética, ficava às margens do Rio Volga e era porta de entrada para a região do Cáucaso, rica em minério e petróleo.

É sempre bom lembrar que não havia ainda sido aberta a segunda frente de guerra na Europa Ocidental. As potências europeias ainda nutriam a esperança de que os nazistas batessem a União Soviética, presas de uma mentalidade que combinava a “desonra” com a “derrota”, para usar as expressões de um dos seus líderes, Winston Churchill. “Vocês tinham a escolha entre a guerra e a desonra; vocês escolheram a desonra e terão a guerra”, dizia, em discurso na Câmara dos Comuns britânica, em outubro de 1938, após a assinatura dos acordos de Munich. “Escolhemos uma derrota sem guerra, e as consequências disto nos acompanharão em nossa rota”. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Diante da inexistência de uma segunda frente na Europa Ocidental e depois de ser contida na batalha de Moscou, em dezembro de 1941, a Alemanha nazista lançou novas divisões na frente de guerra contra a União Soviética.

A ocupação de Stalingrado era uma manobra estratégica dos alemães a fim de novamente abrir caminho para ocupar Moscou. O comando soviético compreendeu os planos hitleristas e atribuiu grande importância à batalha em defesa de Stalingrado. Milhares de cidadãos, mobilizados pelo Partido Comunista, imbuídos de patriotismo revolucionário, trabalhavam afanosamente para fortificar a cidade.

Depois de combates sangrentos, os alemães penetraram em Stalingrado. O comando militar soviético, com o povo em luta, criou as condições para uma forte contraofensiva. Em novembro de 1942, o Exército Vermelho lançou-se ao ataque e cercou as forças alemãs. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na cidade ocupada irrompeu o heroísmo de massas, o povo lutou homem a homem, cada casa era uma trincheira, cada centímetro do território urbano foi disputado a bala. Ao todo, cerca de 2 milhões de pessoas morreram durante os combates travados em Stalingrado.

Em 2 de fevereiro de 1943, a batalha de Stalingrado foi coroada com a vitória soviética. Stalingrado não se entregou, Stalingrado venceu.

O triunfo de Stalingrado teve extraordinária importância, assinalou o começo de uma virada radical não apenas no desenvolvimento da Grande Guerra Patriótica, mas também no desenvolvimento de toda a Segunda Guerra Mundial. Começava, como disse Stálin, o crepúsculo do exército alemão.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email