‘Humor corrosivo’ de Glauco Góes ironiza golpe e a bela e do lar

Corrosivo, o humor do chargista Glauco Góes, em sua página no Facebook, Glauco Góes – A Cada Dia Uma, destila ironia ácida. Com traços originais, denuncia, na rede mundial de computadores, a escalada do autoritarismo no Brasil, pós-1964, como a traição de Michel Te¬mer, para chegar, sem votos, ao poder central do País

Corrosivo, o humor do chargista Glauco Góes, em sua página no Facebook, Glauco Góes – A Cada Dia Uma, destila ironia ácida. Com traços originais, denuncia, na rede mundial de computadores, a escalada do autoritarismo no Brasil, pós-1964, como a traição de Michel Te¬mer, para chegar, sem votos, ao poder central do País
Corrosivo, o humor do chargista Glauco Góes, em sua página no Facebook, Glauco Góes – A Cada Dia Uma, destila ironia ácida. Com traços originais, denuncia, na rede mundial de computadores, a escalada do autoritarismo no Brasil, pós-1964, como a traição de Michel Te¬mer, para chegar, sem votos, ao poder central do País (Foto: Renato Dias)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

- Não falei que na Câmara dos Deputados só tinha bandidos?

Assim a vovó desabafa com o seu marido, sentada em uma poltrona, à frente da TV, no canal da Rede Globo, dia 17 de abril último. É que a emissora dos irmãos Marinho anunciava a transmissão, em ‘cadeia nacional’, da votação do golpe constitu-cional contra a presidente da República, Dilma Rousseff.

Corrosivo, o humor do chargista Glauco Góes, em sua página no Facebook, Glauco Góes – A Cada Dia Uma, destila ironia ácida. Com traços originais, denuncia, na rede mundial de computadores, a escalada do autoritarismo no Brasil, pós-1964, como a traição de Michel Te¬mer, para chegar, sem votos, ao poder central do País.

- Além das trapaças de Eduardo Cunha, evangélico e presidente da Câmara dos Deputados [A Casa dos 300 picaretas, como apontou, certa vez, Luiz Inácio Lula da Silva?]

Artista plástico e também ilustrador, ele é, hoje, a febre viral, uma espécie de H1N1, nas redes sociais. Irreverente, o homem do humor ironiza a composição conservadora, retrógrada, do Congresso Nacional, parlamento que sucumbiu às ‘pre$$ões’ da Fiesp [Federação das Indústrias do Estado de São Paulo].

Nem Marcela Temer, a mulher, 43 anos mais nova, do vice Michel Temer, que deve virar inquilino do Palácio do Planalto, ainda no mês de maio, caso se consolide, no Senado da República, o afastamento da ex-guerrilheira da VAR-Palmares [Vanguarda Armada Revolucionária – Palmares], escapa ilesa.

- Bela, recatada e do lar! [Um ataque à Veja]

No meio do turbilhão da epidemia de H1N1, Glauco Góes tira um sarro com a aprovação do impeachment, sem crime de responsabilidade, da líder petista: Paciente internado com H1N1. A Constituição da República, promulgada pelo senhor Diretas Já Ulysses Guimarães, H367N137. Resultado final do trágico dia 17.

- Pelo infinito e além, SIM!

Escracho puro. É o que ele desenha com as estripulias no Congresso Nacional, em Brasília, Capital da República. Detalhe: onde deputados federais e senadores da República, ilustrados como ratazanas, brincam com o dinheiro público e a paciência do eleitor verde e amarelo. O cartunista faz ‘gato e sapato’ deles.

Autor do cult e celebrado livro ‘Deu no jornal’, Glauco Góes informa ao Brasil247.com ter produzido inúmeras capas de livros. Preto no branco: o homem já participou dos Salões de Humor de Piracicaba [SP], Recife {PE], Rio de Janeiro [RJ] e Manaus [AM], assim como realizou mais de 15 exposições de artes.

- Na área publicitária, desenvolvo projetos gráficos e logomarcas.

Com um talento multifacetado, como ilustrador, ele dá vida e cor a livros, cartilhas, jornais e revistas. Mais: Glauco Góes relata ainda criar personagens para li¬vros infanto-juvenis, campanhas publicitárias e internas de grandes empresas. Como artista plástico, o cartunista revela uma arte única.

- Um mundo de cores, formas e muita criatividade.

Glauco Góes é casado com a jornalista Flávia Adalgisa de Almeida, ex-Fantástico, TV Globo, papa-prêmios de jornalismo, como o 1º lugar do Prêmio de Jornalismo Vladimir Herzog, em uma reportagem para o Globo Rural, sobre o Vale do Jequitinhonha, no turbulento ano de 1986. Os dois atuam, hoje, no mercado de São Paulo. Ela presta consultoria ainda de marketing político.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email