Injustiça e barbárie nas mãos de Lebbos e Lava Jato em covardia contra Lula

"Para o bem da verdade e a quem é digno, Lula não deveria estar preso em lugar algum, porque não cometeu crimes, bem como eles nunca também foram comprovados", argumenta o colunista

(Foto: Foto: Ricardo Stuckert)

Sentença ilegal da juíza Carolina Lebbos, que determinava a transferência de Lula para os porões de Tremembé, foi a pedido da Polícia Federal "lavajatense" comandada pelo chefe da Lava Jato, que de ex-juiz acusado de ser criminoso, ocupa agora o cargo de ministro da Justiça do governo fascista de Jair Bolsonaro.

O STF, a despeito de sua vergonhosa atuação no golpe contra Dilma Rousseff e a prisão de Lula fez justiça e furou o balão de perversidades e covardias da Lava Jato, que, irresponsável e vingativa, articulava a transferência de Lula para uma cela comum no presídio de Tremembé. O STF barrou inenarrável bestialidade efetivada por bestas ferozes da Lava Jato e do Juízo de Carolina Lebbos, que não tiveram nem ao menos a decência de se preocupar com a vida em risco do apenado injustamente e seus milhões e milhões de eleitores, que são contribuintes brasileiros.

O Brasil a cada dia que passa, principalmente após o golpe de estado disfarçado de legal, em 2016, contra a presidente legítima Dilma Rousseff, conhece ainda mais os subterrâneos da Justiça de um país bananeiro, onde políticos, procuradores, juízes e delegados deitam e rolam, assim como se aproveitam de suas prerrogativas funcionais para cometerem todos os tipos de arbítrios, manobras jurídicas e judiciárias, além de covardias, evidentemente.

E não é que a juíza Carolina Lebbos, irmã siamesa e do mesmo nível de Gabriela Hardt, a magistrada que homologou e determinou o sigilo para o acordo entre o MPF com a Petrobras para criar o malfadado fundo de R$ 2 bilhões para a Lava Jato, com Deltan Dallagnol a administrá-lo, em parceria com sua turma de direita e da pesada, conforme seus interesses políticos e ideológicos resolveu, em uma canetada, deferir pedido da PF de Curitiba para transferir o ex-presidente Lula para um presídio em Tremembé, no interior de São Paulo.

Trata-se da Lava Jato de essência fascista e fundamentalmente propositada a reverter a ordem democrática e o Estado de Direito estabelecidos pela Constituição de 1988, que vem a ser o mais importante pacto social da República brasileira em toda sua história, a partir de 1889 quando ela foi fundada pelo marechal Deodoro da Fonseca e sedimentada com o exílio de Dom Pedro II na França.

De maneira irresponsável, pois completamente distanciados do que é civilizado, respeitoso e inteligente, os meganhas da PF de Curitiba encontraram, por intermédio da togada Carolina Lebbos, que há tempos integra o consórcio de direita que persegue o presidente Lula, tal qual sua irmã siamesa Gabriela Hardt, a fome com a vontade de comer, no que diz respeito a mais uma vez de inúmeras vezes a Lava Jato se contrapor aos direitos civis de Lula garantidos pela Constituição, que, apesar de ter sido jogada na lama por aqueles que deveriam zelar pelas leis, trata-se ainda da Carta que rege os princípios civilizatórios do País.

A verdade, que seja sempre dita porque libertadora, é que parte do sistema de Justiça, que está diretamente envolvida com a luta política no Brasil, notadamente a partir de 2015, está a se vingar de Lula por causa do Intercept.

É isto mesmo, cara pálida! A desmoralização moral e política de Sérgio Moro, Deltan Dallagnol e da turma da pesada autora de incontáveis crimes, no decorrer das delações “premiadas” para quem falasse o que os “lavajatenses” queriam ouvir para perseguir e prender seus inimigos políticos, leia-se PT e suas lideranças.

Todas essas questões transformaram o presídio de Tremembé, um cárcere estadual, em resposta cretina e covarde de quem comete cretinices e covardias há cerca de quatro anos, no tempo do processo do golpe de estado contra a presidente constitucional Dilma Rousseff ocorrido no Congresso, com a aquiescência e a garantia do Supremo Com Tudo (SCT), que vem a ser a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil.

O SCT pavimentou o golpe para que o Brasil saísse do regime plenamente democrático e, com efeito, se estabelecesse uma ditadura mista, a liderá-la a farda e a toga, sendo que o Estado Democrático de Direito está a ser desmontado, a exemplo do que o governo fascista de Jair Bolsonaro continua a fazer o que o golpista e traiçoeiro *mi-shell temer já tinha iniciado, que é o desmonte do Estado brasileiro, a entrega criminosa do patrimônio público e a extinção dos programas de inclusão social.

É neste panorama terrível de degeneração social, com amplo desemprego e violência nas ruas do País, que a juíza, vingadora da Lava Jato contra seus questionadores, a exemplo do Intercept e de todos os blogs e sites progressistas, se comporta e abre um novo front de luta política contra os advogados de Lula, a democracia, o Estado de direito e o coloca em um presídio comum, por intermédio do juiz paulista que aceitou sua resolução.

Por sua vez, encarcerar o maior presidente da história do Brasil, juntamente com Getúlio Vargas, de preferência em uma ala do cárcere onde estão muitos assassinos famosos, de forma que a imprensa de mercado e histórico criminosamente golpista possa fazer analogias e comparações levianas e infames, como ocorreu hoje nos jornais do Grupo Globo.

O oligopólio midiático porta-voz da plutocracia mundial, que tem agora a possibilidade de enxovalhar a dignidade do político do PT, a tratar Lula como criminoso comum, pois preso em um presídio onde estão internos que realmente cometeram crimes contra a vida humana, sendo que todo mundo sabe, a incluir os mortos e os recém-nascidos, que o Lula não cometeu quaisquer crimes e, consequentemente, torna-se o preso político mais famoso do mundo.

Lula está preso porque não é compatível com os interesses das oligarquias nacionais e dos Estados Unidos. Lula, camarada, nunca foi cooptado pelo sistema de capitais que promove guerra e fome, além da brutal concentração de renda, como ocorre neste Brasil campeão em desigualdades sociais e econômicas.

Quem prendeu o estadista de esquerda e trabalhista são os servidores públicos de poder e mando. Carolina Lebbos, tal qual à Gabriela Hardt, são apenas fantoches de algo maior, como o sistema global capitalista que controla as riquezas e a vida dos países periféricos. Se o Supremo Com Tudo (SCT) permitir que os direitos civis e constitucionais do Lula sejam mais uma vez de tantas vezes violados por juízes, policiais e procuradores bárbaros e, ilegalmente, a usarem seus cargos, instituições e corporações por motivos políticos e, principalmente, por vingança é melhor fechar o Brasil para a civilização e entrega-lo de vez à barbárie.    

A Lava Jato é um partido político de extrema direita controlada por servidores públicos, que são pagos pelos contribuintes brasileiros, que estão à mercê dos senhores e senhoras salvadores da Pátria e “defensores da ordem, da família, da moral e dos bons costumes”, jargão este histórico e pertencente à direita brasileira, que o utiliza para fazer a cabeça dos incautos e analfabetos políticos, porque a ambição e a finalidade é promover golpes, quando percebem que perdem nas urnas democráticas, como aconteceu em 2014, quando o PT venceu a direita pela quarta vez consecutiva e, com efeito, causou ódio a uma das burguesias mais violentas, retrógradas e atrasadas do mundo, como se comprova, agora, com o desgoverno do fascista, entreguista e inimigo dos interesses do Brasil de Jair Bolsonaro.

Lula em Tremendé é o rompimento definitivo da Justiça com a legalidade constitucional, civil e penal. Lula, como não existem presídios federais em São Paulo, deveria ser, sem dúvida, instalado em uma sala de estado maior do Exército ou da PM, ou de forças como a Marinha e Aeronáutica, porque foi presidente e continua a ser amado por milhões de brasileiros, que o consideram a liderança política maior, não somente por causa de seus dois governos vitoriosos, que lhes honraram com 87% de aprovação quando saiu do poder, a superar o ícone Nelson Mandela.

Para o bem da verdade e a quem é digno, Lula não deveria estar preso em lugar algum, porque não cometeu crimes, bem como eles nunca também foram comprovados, porque jamais aconteceram como reconhece o próprio ex-juiz Sérgio Moro — o Homem Menor —, que prendeu o candidato favorito às eleições de 2018 e depois assumiu o Ministério da Justiça do governo de seu inimigo político e histórico, Jair Bolsonaro, cujo ódio e destemperança movem sua alma e espírito vingativos e violentos. A Justiça segue com a barbárie nas mãos da juíza Carolina Lebbos, que continua a covardia e a injustiça contra o Lula. É isso aí.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247