Isolamento de verdade, espalhamento de mentiras

Face à pandemia do coronavírus, vemos a nocividade de um presidente que sucateou os sistemas de ciência, tecnologia, educação e saúde pública, desprezando o papel do Estado na condução de uma sociedade melhor. Não se surpreendam se, com o aumento substancial de mortes, haverá os que dirão que a ciência não vale nada

(Foto: Carolina Antunes/PR)

Grupos que se autodenominam formadores de opinião propalam as mais estapafúrdias e criminosas mentiras pelo WhatsApp e outras redes (anti)sociais. Não bastasse defenderem a todo custo o falsário-mor da nação que ocupa a presidência em Brasília, insistem a todo instante que o vírus foi cria dos chineses.

Em grupos de pesquisa científica dos quais participo, é notória a dificuldade de fazer uma simples modificação em uma enzima ou melhorar o metabolismo de um microrganismo já estabelecido, o que se dirá de uma célula completa! É muita ignorância e má-fé combinadas.

Essas pessoas se valem da teoria da conspiração e que toda a prevenção contra do coronavírus é apenas uma jogada econômica da China. E vem o presidente defender os derivados do quinino, assumem esses ignorantes que isso é a panacéia mágica para resolver a questão. Ainda mais agora que o criminoso presidente, insanamente, diz que todos devem sair às ruas e voltar às atividades normais! O que é normal em uma guerra contra uma pandemia?

Tenho silenciado esses grupos porque apenas denunciar o quão absurda são suas opiniões de nada vale. Se fossem apenas esses a acreditar em suas próprias imbecilidades, seria uma epidemia contida, digamos. Mas, infelizmente, a ignorância prolifera mais rapidamente que o próprio covid-19. Há ainda parcela significativa da população que aponta as medidas de Bolsonaro nessa pandemia adequadas. Ou seja, o império da ignorância ainda se faz presente.

Já passei por isolamento quando de doença em família, e sei das restrições, isso quando todos os outros não estavam em tal confinamento. O mundo continuava e sabia que tinha de cuidar da saúde mental, dos problemas psicológicos, pois um dia aquela situação acabaria, fosse qual fosse o resultado. Tinha os médicos do tratamento como fonte de segurança e sem ignorantes no governo para interferir. As pessoas não podem transferir suas restrições de locomoção e de vida para fórmulas mágicas e míticas que apenas atrapalham o real e verdadeiro esforço que os profissionais de saúde e da área médica estão fazendo.

Hoje, face à pandemia do coronavírus, vemos a nocividade de um presidente que sucateou os sistemas de ciência, tecnologia, educação e saúde pública, desprezando o papel do Estado na condução de uma sociedade melhor. Com isso nossa base de recuperação é inferior à de outros países. Não se surpreendam se, com o aumento substancial de mortes, haverá os que dirão que a ciência não vale nada.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247