Já passou da hora da direção da Petrobras convidar os caminhoneiros para uma negociação efetiva

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Em maio p.p., o Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas – CNTRC, entidade que congrega sindicatos, cooperativas, associações e caminhoneiros autônomos de mais de 20 unidades da federação brasileira, enviou uma proposta de política de preços  para a Petrobrás e recebeu em resposta a informação de que o documento estava em análise pelo corpo técnico da companhia. E assim ficou. 

No final do último mês de junho, dirigentes do CNTRC se reuniram, na sede da Petrobrás no Rio de Janeiro, com a cúpula da companhia e na presença do atual presidente da empresa Gal. Joaquim Silva e Luna. 

Nesta oportunidade os caminhoneiros relataram diversos problemas e logo depois, a pedido do próprio presidente Silva e Luna, encaminharam por escrito diversas perguntas recebendo a garantia de que seriam respondidas o mais breve possível. As respostas não vieram até hoje.   

PUBLICIDADE

Este mesmo CNTRC, há mais de um mês convocou todos os caminhoneiros brasileiros para uma paralisação por prazo indeterminado à partir do próximo dia 25 de julho, domingo, dia de São Cristóvão, padroeiro dos caminhoneiros. 

O movimento ganhou força e a adesão de todas as regiões (sul, sudeste, nordeste e norte). Apenas no centro-oeste, com a safra de grãos em andamento, e onde os fretes no momento proporcionam ganhos excepcionais, houve pouca adesão mas a garantia de apoio. 

PUBLICIDADE

Desta forma estamos caminhando para uma grande paralisação no próximo final de semana com consequências previsíveis e imprevisíveis para toda a nação inclusive com a participação de outras categorias já confirmadas e de toda a população.

Parece claro que é necessário que a administração da Petrobrás e o governo brasileiro, se esforcem na busca por uma conciliação que atenda a todas as partes, antes que seja tarde demais.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email