Jesus e o diabo na terra dos gaviões

O enredo da Gaviões da Fiel para o carnaval 2019 falava sobre a lenda de Santo Antão e a origem do tabaco. “A saliva do santo e o veneno da serpente” foi reeditado do carnaval de 1994, exibido pela mesma Gaviões. Só que o seu espírito criativo e lacrador, resolveu colocar Jesus Cristo na comissão de frente, sendo derrotado pelo Diabo. Polêmica criada propositalmente e desnecessária.

Jesus e o diabo na terra dos gaviões
Jesus e o diabo na terra dos gaviões (Foto: Reprodução YouTube)

O enredo da Gaviões da Fiel para o carnaval 2019 falava sobre a lenda de Santo Antão e a origem do tabaco. “A saliva do santo e o veneno da serpente” foi reeditado do carnaval de 1994, exibido pela mesma Gaviões, mas apresentou uma versão mais atual e mais divertida, segundo a proposta de seus carnavalescos, Janos Tsukalas e Vladimir Leite.

Se o santo do enredo foi enganado por uma serpente, o criador da comissão de frente da escola, Edgar Júnior, foi traído por sua vontade de causar. O mito de que o tabaco surgiu a partir da saliva do santo, que após ter sido picado por uma cobra, chupou o veneno no local da ferida e cuspiu no chão, fazendo surgir ramos de tabaco, é algo lúdico. Só que o seu espírito criativo e lacrador, resolveu colocar Jesus Cristo na comissão de frente, sendo derrotado pelo Diabo.

Polêmica criada propositalmente (Como o próprio carnavalesco disse durante a transmissão da Globo) e desnecessária. Licença poética, às vezes custa caro. Principalmente, quando envolve figuras e símbolos sagrados do cristianismo. Não por acaso, embora muitos possam discordar, foi justamente durante um surto de lacração coletiva, onde defecava-se sobre a foto de políticos (um dos “homenageados” hoje é o presidente da república) como performance artística, onde enfiava-se crucifixos no ânus em defesa da liberdade sexual, onde travesti desfilava crucificado como Jesus e o evangelho era pregado segundo a "rainha do céu", que o "Deus acima de tudo" dessa galera medieval e hipócrita que assumiu o poder (e que de cristã não tem nada), apresentou-se como o libertador da nação.

Não podemos nos esquecer que, embora o estado seja laico, ainda somos um país majoritariamente cristão. Contando também, com aqueles que acreditam ser. Logo, o castigo político veio à cavalo. O messias que prometia exterminar uma raça de profanadores e hereges esquerdistas, venceu a batalha e trouxe consigo uma legião de anjos e santos do pau oco, tão astutos e oportunistas, quanto o próprio capiroto. Claro, que tal salvador, estava mais para a representação diabólica exibida na comissão de frente da Gaviões da Fiel. Mas, a aversão provocada por tanta profanação do que é sagrado para muitos, enxergou nele um instrumento de punição a tais blasfemadores.

Estava convencionado por eles, que todo esquerdista era um pervertido, um profano em potencial disposto a vilipendiar o cristianismo, através de sua ideologia política, de sua arte e de seu comportamento. Mesmo sabendo que tal generalização era covarde e mentirosa, a extrema direita conservadora apoiou-se nela para sensibilizar e ganhar a confiança dos cristãos descontentes com o radicalismo de parte da esquerda. A partir daí, qualquer coisa passou a ser crível aos olhos desses cristãos. Desde o Kit gay à mamadeira de piroca, as fake news tornaram-se versículos bíblicos e foram repetidas liturgicamente feito uma ladainha, que reverberava pelos zaps zaps da vida.

Talvez, eu esteja pautando esse artigo com a minha fé e formação cristã. E a ideia é mesmo essa. Até porque, é inegável que o fator cristão decidiu as eleições presidenciais. Infelizmente! Nem todo esquerdista, alinha-se com o pensamento que alguns membros da esquerda defendem. Nem todo esquerdista quer chocar a sociedade. Nem todo esquerdista é favorável ao aborto, a liberação das drogas, a ideologia de gênero ou a profanação do cristianismo. Da mesma forma, que nem todo conservador de direita que se opõe às mesmas coisas, é um cidadão de bem.

Ao jogar a representação de Jesus Cristo no meio do sambódromo, para ser arrastado e pisoteado pelo diabo, a Gaviões da Fiel, ao meu ver, perdeu a mão, exagerou no tempero e azedou o caldo do próprio mocotó. Estimulou ainda mais, o preconceito que muitos cristãos têm contra o carnaval, justificou a eleição de um falso messias vingador do cristianismo e fez com que a Ministra Damares, terrivelmente cristã como é, tenha pauta para a Quaresma inteira. E tome cortina de fumaça para encobrir as diabolices praticadas à sombra dos laranjais, por esse governo das trevas.

E, mais uma vez, um artista abusa da sua livre manifestação de pensamento. Já não bastasse as exposições de arte, sexualizando temas sagrados, as performances de introdução de dedinhos nos ânus um dos outros e outras bizarrices pseudo artísticas e libertárias, também decidiram usar o carnaval para provocar gratuitamente a sociedade cristã. A verdadeira e a falsa. Saberão agora, que o castigo também pode vir à gavião. Não do céu, mas do inferno que a sua própria liberdade de expressão resolveu criar. E o pior de tudo, é saber que ele não se acabará na quarta-feira de cinzas.

Xô, satanás!

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247