Jovem: "nossa, não vou transar hoje porque o Bolsonaro não quer"

Todos nós já fomos jovens. É o tempo das descobertas, ousadias, ser o avesso de uma sociedade tão dopada por adultos chatos com seus boletos. Na juventude queremos contestar, pintar o cabelo de roxo, experimentar o novo e sim, queremos sentir prazer. É fisiológico. Líbido a mil. Faz parte, Damares

Damares Alves e Jair Bolsonaro
Damares Alves e Jair Bolsonaro (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

O título deste artigo provavelmente só irá se concretizar nos sonhos goiabeiros de Damares. Jovens de todo Brasil segurando o tesão para seguir as orientações do Governo Federal de total abstinência sexual. “Opa, mina, não força a barra, lembra o que Bolsonaro disse, sexo zero”. AHAN. 

Todos nós já fomos jovens. É o tempo das descobertas, ousadias, ser o avesso de uma sociedade tão dopada por adultos chatos com seus boletos. Na juventude queremos contestar, pintar o cabelo de roxo, experimentar o novo e sim, queremos sentir prazer. É fisiológico. Líbido a mil. Faz parte, Damares.

Nunca vou esquecer do meu pai naquele carnaval. Tinha 16 anos e estava toda arrumada para o bloco de carnaval. Antes de sair, ele chegou, sentou ao meu lado, e disse: 

“Laís, não sei da sua vida sexual, ou se você já tem uma vida sexual, mas eu não posso, como pai, ser omisso. Toma essas camisinhas, se cuide, respeite seu corpo, não permita transar sem camisinha porque o carinha não quer”. 

Nunca vou me esquecer disso. Senhor Edson seria BEM melhor ministro que a Damares, boto fé! (ele é assistente social aposentado). 

Todos (inclusive a bancada fundamentalista) devemos assistir ao seriado Sex Education, que está disponível no Netflix. Ali, fica claro os dilemas e dúvidas que os jovens possuem a respeito do sexo. 

“Eu me masturbo muitas vezes ao dia, isso é normal?”

“Posso engravidar mesmo usando camisinha? “

“É normal não sangrar na primeira vez?”

“Se eu transar no primeiro encontro serei uma vadia?” 

Sim, Damares, os jovens pensam em sexo, fazem sexo, e isso a senhora não irá mudar. O bizarro disso tudo é torrar dinheiro público em algo tão fracassado. É um crime. 

Os jovens precisam sim é de educação sexual nas escolas, afinal, sexo não pode ser tratado como tabu. Ele existe e precisa ser debatido, de forma correta. Eu não sou profissional no assunto, mas tenho certeza que os adultos que me orientaram sobre métodos contraceptivos a juventude foram fundamentais na minha juventude. 

Sim, Damares, você faz parte de um Brasil obscuro, que não entende sobre os anseios dos jovens, que continuarão transando na rua, na chuva, na fazenda, ou numa casinha de sapê. Quer você queira ou não.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247