Juiz de STF tem de ser escravo da verdade e libertar Lula

A verdade é que os juízes do Supremo Com Tudo não querem fazer justiça, porque resolveram intervir indevidamente e até mesmo ilegalmente para dar fim à hegemonia política e eleitoral do Partido dos Trabalhadores

(Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247)

Os verbos são as sentenças da vida e a diferença de escolha entre a luz e a escuridão.

Evidentemente que Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Luiz Fux, Luís Roberto Barroso continuarão a fazer indevidamente a má política e continuar com suas injustiças para manter Lula injustamente encarcerado. É o que eles fazem, juntamente com Edson Fachin, desde que Dilma Rousseff foi deposta por um golpe de estado das bananas e Lula perseguido e preso para não vencer as eleições de 2018.

É imperativo que o STF deixe de exercer o papel de Supremo Com Tudo (SCT), que vem a ser a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil, principalmente, dentre inúmeras questões, ter permitido que um antro de procuradores liderados por um ex-juiz que é acusado de cometer crimes e ilegalidades no decorrer de vários processos, a ser os do ex-presidente Lula, preso político encarcerado injustamente há mais de 500 dias, sem ter sido possível até hoje provar e comprovar que o maior líder político do País é o autor dos crimes imputados a ele por agentes do estado, estes sim protagonistas de inúmeros crimes, que já entraram para as páginas da história.

A verdade é que os juízes do Supremo Com Tudo não querem fazer justiça, porque resolveram intervir indevidamente e até mesmo ilegalmente para dar fim à hegemonia política e eleitoral do Partido dos Trabalhadores, a fim de estabelecer no poder uma direita derrotada quatro vezes consecutivas, a ter o PSDB e seus aliados como os grandes derrotados, bem como abrir brechas de forma que após a derrota de Aécio Neves, o playboy e golpista mimado, servissem como trampolim para outra opção à direita. E assim foi feito.

Acontece, cara pálida, que o tiro saiu pela culatra, quando o fascista e apoplético Jair Bolsonaro sentou na cadeira da Presidência da República, a evidenciar, por sua vez, que o Brasil chegou ao fundo do poço, como demonstram, ipsis litteris, as diversas crises políticas de conotações ferozes, assim como o fracasso econômico retumbante propiciados por um desgoverno violento e decidido a apenas atender aos anseios hegemônicos e econômicos dos Estados Unidos e das classes dos ricos e muito ricos, como o faz o irresponsável e fundamentalista de mercado, o chicagoboy Paulo Guedes — o paladino do retrocesso e do atraso.

Contudo, a questão primordial é quanto ao Supremo Com Tudo, tribunal que humilha e envergonha a Nação perante o mundo civilizado, ainda ter dúvidas sobre as condutas dos bate paus da Lava Jato, a incluir delegados, procuradores e juízes, que se tornaram atores de gangsterismo de Estado, a criar a maior crise política e econômica do Brasil pós redemocratização, a não deixar pedra sobre pedra no que concerne à preservação dos interesses nacionais e à destruição de uma economia que estava a se preparar para ser a quinta mais poderosa do mundo.

E lá vem os magistrados do SCT com seus punhos de renda, capas de Zorro e uma soberba que deixaria satanás humilhado. Servidores públicos nomeados e a fazer política como se fossem eleitos pela população brasileira, a influenciar despoticamente no processo democrático e a pender para a direita, a incompetente que apresentou ontem o pibinho do trimestre de 0,4%, cuja imprensa de negócios privados e alma golpista, notadamente a Rede Globo, apresentou, sem o mínimo de vergonha na cara, como “recessão técnica”, a fim de disfarçar o fracasso total de um desgoverno incompetente e de extrema direita.

Trata-se de um processo malévolo e pernicioso, cujo presidente fascista, Jair Bolsonaro, juntamente com o ministro do Feirão Brasil da Queima de Estoques, Paulo Guedes, que só pensam em vender o patrimônio público do País, como se vencer eleições para governar autorizassem esses péssimos servidores plenos de complexo de vira-lata e disposição para trair a sociedade e a Nação, a desmontar, irresponsavelmente, o setor público e entregá-lo para o estrangeiro controlar os mercados e, consequentemente, os preços dos produtos e serviços, que antes eram prerrogativas dos mandatários eleitos pela maioria do povo brasileiro.

E aí, fica-se sabendo que o Supremo Com Tudo continua com sua catilinária sem fim, pois um tribunal conspirador e que trocou os pés pelas mãos e agora tem de empurrar com a barriga uma decisão sobre a liberdade de Lula, que, evidentemente, torna-se a cada dia que passa mais urgente sua libertação, porque se trata não somente de justiça, mas também de civilização.

Sabe-se, por exemplo, que muitos juízes e procuradores que vão ao exterior são questionados quanto à situação injusta e infame em que envolveram o político e líder trabalhista e de esquerda. É sórdida e vexaminosa a conduta de muitos integrantes do Judiciário e do MPF, que certamente, ressalto mais uma vez, se agissem dessa forma canhestra em um país sério estariam presos e sumariamente demitidos.   

Por sua vez, o STF está dividido no que é relativo à anulação de sentença de Sérgio Moro no caso Aldemir Bendine, ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras. Seria cômico se não fosse trágico. É evidente, se o magistrado, que é agente público pago pelo contribuinte não tiver o miolo mole ou não estar envolvido com conspirações corporativas e políticas, que a anulação das condenações que não respeitaram o devido processo legal terão de ser anuladas.

E é aí que morre a esperança da direita brucutu deste País responsável por mais um golpe bananeiro de estado e que está neste momento a destruir a economia, além de estar a leiloar para amenizar sua inquestionável incompetência as reservas internacionais de US$ 382,5 bilhões de dólares, que servem e serviram como um “colchão” de anteparo às crises mundiais, a exemplo dos tempos da crise internacional, que levaram por anos a fio a Europa e os EUA à bancarrota.

E o desgoverno incompetente do fascista Bosolnaro e do estúpido Paulo Guedes a implementar o neoliberalismo que não deu certo nos países desenvolvidos, que levou os velhinhos do Chile ao suicídio, que está agora a arrebentar amargamente com a Argentina, bem como foi um fracasso retumbante nos governos Collor, FHC e Temer. É mole ou quer mais, cara pálida sem juízo?! Lula e Dilma, além de construírem os alicerces dessas reservas, diminuíram a patamares pequenos o desemprego e fizeram a roda da economia girar, a movimentar o mercado interno, estratégia esta que está a ser implementada há anos pelo governo xenófobo e protecionista de Donald Trump.

É incrível, né? Protecionismo e nacionalismo norte-americano é bonito e lindo para o desgoverno neofascista de Bolsonaro e para a “elite” bananeira brasileira desprovidos de vergonha na cara e entreguistas até a alma, sem, no entanto, fazerem quaisquer autocríticas sobre a necessidade de o Brasil ter um projeto nacional, que permita seu desenvolvimento em todas as áreas, elimine a pobreza e preserve, a qualquer custo, sua soberania.

A direita combate esse processo de autonomia e independência, ainda mais que após o golpe contra a legítima e constitucional presidente, Dilma Rousseff, parcela importante da sociedade percebeu, nitidamente, que o inimigo do Brasil não é o estrangeiro e sim a casa grande brasileira herdeira da escravidão e apoiada pelas forças de segurança e armadas deste País, que estão no poder, a sustentar o golpe terceiro-mundista, pois querem o preso político, Luiz Inácio Lula da Silva, encarcerado, calado e proibido de se movimentar para fazer política, pois Lula no poder significa soberania e desenvolvimento com nacionalismo. E isto, definitivamente, não interessa aos Estados Unidos e à casa grande brasileira e seus capitães do mato, que se encontram no Palácio do Planalto e ministérios. Ponto.

Lula deveria ser imediatamente solto e livre para unificar o País. Sérgio Moro agiu de má-fé, de forma deliberada para ter em suas mãos incontáveis delatores, em uma imposição digna de um pequeno Mussolini, que foi seletivo, partidário e antirrepublicano. Trata-se de sentenças previamente decididas ao bel-prazer de quem tinha em suas mãos a decisão de julgar, prender e soltar todos aqueles que porventura passassem pelos corredores insalubres e mórbidos da Lava Jato.

Como podem os juízes do Supremo Com Tudo estarem divididos, pois o que o Intercept Brasil divulgou é algo que faria os juízes das cortes supremas de países civilizados soltar imediatamente o Lula e pedir humildemente desculpas, por exemplo, e prender o pequeno déspota Sérgio Moro e seus áulicos de conspirações, armações e golpes, como o Deltan Dallagnol — o Rei das Palestras. Que beleza!

Porém, a Segunda Turma do SCT decidiu anular a condenação de Bendine, porque o argumento de que as alegações finais dos delatores precisam ser apresentadas antes que as dos outros réus do processo é o caminho correto e justo, pois quem acusa não pode falar junto ou depois de quem foi acusado. Ou seja, a defesa fala por último, sendo que grande parte dos processos que leva a condenações por decisões dos tribunais de almas e propósitos lavajatenses não respeitaram o processo legal. E foi o que também aconteceu com o Lula. Surreal, mas real, afinal aqui é o Brasil das “elites” bananeiras, onde quem pode mais chora menos...

E não é que mesmo a saberem das publicações da Vaza Jato e as barbaridades cometidas por delegados, procuradores e juízes, de acordo com as notícias, cinco magistrados do SCT são contrários à extensão da medida para os demais casos da Lava Jato, assim como cinco são favoráveis. A resumir: o problema é o Lula. Quanto ao republicanismo e a igualdade a todos os cidadãos, conforme reza a Constituição, são apenas um detalhe para certos juízes do Supremo, que não estão nem aí para o que é legal e legítimo. E que se dane a Justiça, e o que é justo e obediente à Lei. Juiz de STF tem de ser escravo da verdade e libertar Lula.

A defesa de Lula, o político brutalmente e desumanamente perseguido pela Lava Jato com aquiescência dos juízes burgueses e conspiradores do SCT, continua a ter seu corpo sequestrado pelo sistema judiciário e mantido como preso político há mais de 500 dias, volto a lembrar. Lula solicitou o mesmo benefício concedido a Bendine. A ação está agora sob a responsabilidade do ministro Edson Fachin, que enviou o caso para ser analisado pelo plenário do Supremo Com Tudo — que vem a ser a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil. Libertar Lula é imperativo, pois uma decisão em prol da civilização e da justiça. É isso aí.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Presidenciável argentino Alberto Fernández e sua vice, Cristina Kirchner.
Ricardo Mezavila

O milagre da esquerda na AL

No dia 27 de outubro a América do Sul terá a oportunidade de começar de fato a mudar o panorama político continental. Nesse dia o povo uruguaio irá às urnas em primeiro turno das eleições...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247