Jungmann é ex-comunista e golpista a subverter a ordem constitucional para Lula não vencer as eleições

Basta verificar, dentre muitos de seus atos e ações contrários aos interesses dos trabalhadores e do País, que ele assumiu o poder por intermédio de um golpe promovido pela "elite" cucaracha, a se transformar verdadeiramente no que ele sempre foi: um usurpador de cadeiras alheias

Jungmann é ex-comunista e golpista a subverter a ordem constitucional para Lula não vencer as eleições
Jungmann é ex-comunista e golpista a subverter a ordem constitucional para Lula não vencer as eleições (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Raul Jungmann é um ex-político do PPS, um partido ridículo capitaneado por ex-comunistas, que são os piores tipos de políticos em todos os sentidos, e alugado a direitistas aventureiros, geralmente ligados ao mundo empresarial, que mantém o partido de aluguel por meio de "doações", bem como a lamentável agremiação não passa de um apêndice empodrecido vinculado aos interesses políticos e econômicos dos partidos grandes e médios de direita, a exemplo dos golpistas e usurpadores PSDB, DEM e MDB, do famigerado *mi-shell temer.

Para se ter uma ideia de quem é Jungmann basta verificar, dentre muitos de seus atos e ações contrários aos interesses dos trabalhadores e do País, que ele assumiu o poder por intermédio de um golpe promovido pela "elite" cucaracha, a se transformar verdadeiramente no que ele sempre foi: um usurpador de cadeiras alheias, até porque as cadeiras nas quais tal sujeito pernicioso sentou recentemente não pertenciam ao seu partido, o PPS.

Cadeiras que também jamais pertenceram aos seus aliados de golpes, a exemplo do PSDB, do DEM e até mesmo do MDB, afinal Jungmann é membro da coalizão política de direita que perdeu quatro eleições seguidas e que resolveu tomar o poder central de assalto na mão grande, como os ladrões ou bandidos tomam de assalto as ruas, as casas, os comércios e os bancos em todo o País, a transformá-lo em um lugar sem paz e civilidade.

Por sua vez, é justo e imperioso perguntar ao ex-comunista Raul Jungmann: "O que vossa excelência, partidário de um criminoso golpe de estado terceiro-mundista, que destruiu a economia, a soberania e a autoestima do Brasil, bem como, covardemente, tirou os direitos dos trabalhadores está a fazer em cargos do Governo Federal que não são de seu direito, já que seu partido mequetrefe e rastaquera, que não passa de reles acessório do PSDB não venceu as últimas quatro eleições para presidente da República? Explique sua legitimidade como farsa?"

Certamente que tal senhor ex-comunista praticante de golpe, sem eira nem beira como animal político, responderia: "Estou aqui como todos os outros usurpadores, bárbaros e antidemocráticos estão, a ocupar o poder sem a força e a autoridade do voto popular, como também nossos aliados do Judiciário, do MPF e da PF, com a cobertura seletiva, facciosa e mentirosa da Globo estão também a prender o maior e mais importante político da América Latina, sem ele ter cometido um único crime" — diria o ex-comunista e capitão do mato da casa grande de Pernambuco, do Brasil e dos países hegemônicos.

A verdade é que não tem nada mais funesto, tóxico e abjeto do que um ex-comunista que há anos se bandeou para a direita e dela se tornou seu capataz para fazer o jogo sujo antidemocrático, como fez o vaidoso e candidato a pequeno Mussolini, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, em uma clara e inconteste subversão da ordem constitucional e do Estado Democrático de Direito.

O usurpador, arbitrariamente, resolveu atender aos pedidos desesperados dos meganhas da PF de Curitiba, que repassaram ao ministro golpista as determinações do juiz de primeiro grau, Sérgio Moro, que estava a se deleitar com suas férias em Portugal, e, com efeito, inapto para dar qualquer ordem, até porque, dentre muitos motivos, encontrava-se fora de sua jurisdição, bem como sua missão desditosa em relação a Lula se encerrou quando, em primeira instância, condenou injustamente o líder brasileiro a inacreditáveis nove anos de prisão. Portanto, Moro é um intruso nesta questão e por isto mais uma vez de inúmeras vezes age de forma persecutória e ilegal. Moro comete crimes em série e um dia terá de responder por eles.

Jungmann foi peça chave da desobediência e do arbítrio contra o desembargador Rogério Favreto e, como o chefe da Polícia Federal, o ministro incompetente da Segurança Pública, um dos principais responsáveis pelo fracasso da intervenção militar no Rio de Janeiro, cujos números e índices são muito piores do que as intervenções anteriores acontecidas na cidade do sofrido povo carioca, interveio e manteve o Lula preso.

Não sei e realmente não compreendo como esse sujeito que foi no passado um político de esquerda se transforma em um carcereiro de quinta categoria, a conspirar contra o Estado Democrático de Direito, a Constituição e os códigos Civil e Penal. Criam jurisprudência de acordo com o "freguês" e submetem aquele que consideram o inimigo a ser abatido às piores truculências, que se baseiam na manipulação das leis, sem ter o mínimo constrangimento e vergonha na cara, enquanto gente como o Henrique Eduardo Alves, do time do traidor e golpista mi-shell temer é solto por habeas corpus, que foi negado pela Justiça a Lula, pois preso político do regime de exceção imposto pelo Judiciário, MPF e Globo.

Orientado pelo presidente do TRF-4, juiz Thompson Flores, Jungmann botou suas manguinhas de fora e passou a sabotar a decisão autônoma e independente do juiz Rogério Favreto, que não é subordinado a qualquer magistrado golpista do TRF-4, cujos juízes são parceiros de Moro, que furioso, pois a babar de ódio em suas férias portuguesas de pequeno burguês, que adora posar ao lado dos ricos da burguesia, entubado em um black tie, telefonou durante o domingo inteiro para seus parças de secessão da PF e do TRF-4.

O juiz caipira do Paraná novamente contou com a complacência e a cumplicidade de magistradas seletivas e partidárias da direita do naipe da juíza desajuizada Carolina Lebbos e a monocrática juíza Laurita Vaz, que vem a ser a presidente do STJ, um tribunal superior que, tal qual ao Supremo Com Tudo (SCT), é a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil. Num país sério esses juízes ricos, golpistas e totalmente dissociados dos interesses da população brasileira e da soberania do País seriam demitidos e presos para o bem do Brasil, de seu povo e da felicidade geral da Nação.

Os direitistas mobilizaram-se desesperados em suas mediocridades e, como verdadeiros niilistas, radicalizaram o cotidiano da vida brasileira, a incomodar e a encher o saco da sociedade, porque esses meganhas de togas são irrefragavelmente arrivistas e, consequentemente, ocuparam o País, como se fossem invasores de um exército estrangeiro com visão colonizadora, porque, além de interditarem a democracia para darem um golpe violento que retirou direitos e abriu mão da soberania do País, sequestraram o corpo do Lula, sua voz e o colocaram injustamente e injustificadamente em um cárcere, pois Lula está proibido de falar e de se movimentar pelo Brasil mesmo sem ter cometido quaisquer crimes.

Essa moça da pequena burguesia e que recebe altos salários pagos pelo contribuinte brasileiro resolveu há muito tempo e de forma ilegal perseguir o maior presidente da história do Brasil. Essa senhora de nome Carolina Lebbos proibiu o líder das pesquisas de fazer campanha política antes mesmo de uma decisão do TSE, sendo que é esse tribunal que decide sobre essas questões. A pequena Mussolini pequeno-burguesa resolveu, ao seu bel-prazer, antecipar a proibição a Lula por motivos ideológicos e ódio de classe, a se comportar, sem nenhuma surpresa, como uma autêntica coxinha batedora de panelas e vestida com a camisa amarela da derrotada CBF. E é o que ela é...

Quanto à Laurita Vaz, tal juíza sempre se mostrou uma militante da causa do golpismo, alinhada ao TRF-4 e à Lava Jato do juiz, dos procuradores e dos delegados que cooperaram, e muito, para a derrocada da economia brasileira em uma desnacionalização do mercado interno sem precedentes, que jamais aconteceria em um país sério e independente. O problema é que temos aqui no Brasil segmentos da sociedade idiotizados e lobotomizados por um monopólio midiático como a Globo, que prejudica, irremediavelmente, o desenvolvimento do Brasil e combate a emancipação total do povo brasileiro.

A verdade é que autoridades da Justiça e da PF se rebelaram e rasgaram a lei, já que essa gente bagunçou o Brasil e anarquizou o devido processo legal de muitos brasileiros, dentre eles o Lula. Flores e Jungmann; Moro e o meganha delegado e diretor-executivo da PF no Paraná, Roberval Vicalci, são os exemplos prontos e acabados da iniquidade e da irresponsabilidade que desmontam o Estado nacional e desempregam dezenas de milhões de trabalhadores.

O quarteto quando soube da decisão de o desembargador Rogério Favreto soltar o Lula, mobilizou-se furiosamente e rapidamente ao ponto de o ex-presidente ser mais uma vez de incontáveis vezes ser violado em seus direitos civis. São lamentáveis esses meganhas togados e não togados, pois são os maiores responsáveis pela divisão do Brasil, que está a ter suas riquezas naturais e patrimônio público a serem entregues a estrangeiros e a ferrar com o futuro de milhões de brasileiros, que precisaram, certamente, do dinheiro do Pré-Sal, dentre outros setores da nossa economia que foram dizimados, como a indústria naval e o Comperj ou doados e esquartejados a exemplo da Petrobras e da Embraer. Somente esses graves fatos e realidades seriam suficientes para para condenar à prisão perpétua tais golpistas irresponsáveis e inconsequentes.

Raul Jungmann é uma vergonha e vexame como político e cidadão. Trata-se de um golpista e conspirador da mais rasa estirpe, que se fizesse o que faz nos Estados Unidos, país que a direita e a burguesia atrasada e caipirona deste país tanto admira, estaria preso para o bem da saúde de todas as pessoas que não toleram golpistas e usurpadores de terceiro mundo, que retrocederam o Brasil para o século XIX.

O vaidoso e incompetente Jungmann é um oportunista desprovido de votos, porque o povo pernambucano quer ver o diabo e não quer ver tal golpista novamente eleito. A vida é como uma roda: gira também para quem agora está a sofrer com a opressão e a repressão que dividiu o Brasil ao meio. Essa gente morre de medo que o "Lula Livre!" vença as eleições e dê fim à porcalhada e à esculhambação que a casa grande e seus capitães do mato fizeram no País em apenas dois anos. Raul Jungmann será lembrado apenas como um medíocre e reles golpista. Este é o tamanho de pigmeus políticos perante a história. É isso aí.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247