Juntos seremos mais PT

Como maior partido do Brasil, o PT envolve pessoas de todos os cantos do Brasil. E nosso Congresso refletiu o respeito que a legenda tem pelas minorias e o quão diverso é nossa militância. Todos os grupos tiveram sua representatividade, negros, índios, LGBT, mulheres e a juventude

Brasília- DF 02-06-2017 6º Congresso do nacional do PT. Intervenção das mulheres da JPT. "Partido sem machismo" Foto Lula Marques/AGPT
Brasília- DF 02-06-2017 6º Congresso do nacional do PT. Intervenção das mulheres da JPT. "Partido sem machismo" Foto Lula Marques/AGPT (Foto: Zeca Dirceu)

O 6° Congresso Nacional do PT é mais um marco na história do partido, da militância e na esperança de ter de volta a vida democrática do Brasil. Elegemos a nova direção nacional, com a vitória da senadora Gleisi Hoffmann, a primeira mulher a frente do PT. Elegemos também o diretório nacional dando espaço para as entre cinco chapas inscritas no processo eleitoral.

Como maior partido do Brasil, o PT envolve pessoas de todos os cantos do Brasil. E nosso Congresso refletiu o respeito que a legenda tem pelas minorias e o quão diverso é nossa militância. Todos os grupos tiveram sua representatividade, negros, índios, LGBT, mulheres e a juventude.

Estamos lutando na transformação do partido, pela correção de rumos, para que o PT possa ter resgatado seu protagonismo com o povo brasileiro e fazer as transformações que já mostrou que é capaz de fazer quando estava no governo. Ficou evidente a força e o carinho do sempre presidente Lula, que contou aqui sua história de ações e políticas vitoriosas para que a população mais pobre do país tivesse sua voz no governo, atacou ainda os retrocessos e os desmontes que o golpe promove desde que usurpou o poder executivo da presidenta Dilma.

Não vamos deixar que toda essa trajetória iniciada e consolidada por Lula morra. Nosso Congresso afirmou apoio pela sua defesa e o combate a perseguição que ele vem sofrendo da mídia e de uma parte da Justiça.

Além disso, como partido democrático e que sempre defendeu os direitos de cada cidadão, firmamos nosso comprometimento com as eleições diretas, e o compromisso de não votar em colegiados de eleições indiretas no Congresso Nacional. O povo tem o direito de escolher o seu destino político e econômico e foi pela manutenção de direitos e de programas sociais que implantamos é que fomos vencedores nas quatro últimas eleições presidenciais.

Vamos manter o diálogo com os partidos de esquerda, de centro-esquerda e com a pauta dos principais movimentos sociais, dos (as) trabalhadores (as). E permanecer na resistência contra as reformas trabalhista e previdenciária, pela saída de Michel Temer e pelo restabelecimento da democracia.

Como disse Lula, temos que continuar com nossos sonhos de um país mais justo. O PT agora deve mirar no fortalecimento de suas bases, o que iniciamos nesse 6º Congresso. O diálogo franco e de esperança com o povo tem que vir do PT. Mostramos para quem foi nosso governo e isso não agradou a grande mídia e a direita brasileira.

Saímos desse encontro mais unidos, mais conscientes do nosso papel na política e com o respeito de muitos companheiros e companheiras que perceberam que juntos somos mais fortes e mais capazes de lutar pelo Brasil democrático e com capacidade de ser exemplo no mundo todo por suas políticas públicas.

A nossa nova presidenta Gleisi tem um grande desafio, mas toda nossa confiança e nosso respeito de que o PT será de todos e para todos.

Por Deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR),
Ângelo Vanhoni (PT-PR),
Elton Welter (PT-PR),
Nelsi Welter (PT-PR) e
Glades Rossi (PT-PR).

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247