Lava Jato é a narrativa dos pulhas, mentirosos e golpistas contra o Brasil e a candidatura Lula

O Brasil possui um Judiciário alienado, caríssimo e totalmente distante dos anseios e dos interesses da população. Trata-se, verdadeiramente, de um Judiciário e MPF burgueses, que, se houvesse uma revolução vitoriosa em terras tupiniquins, mais da metade de seus membros seria demitida e presa pelos crimes de conspiração, de lesa-pátria e golpe de estado, dentre muitas outras ilegalidades anticonstitucionais

Policiais federais cumprem mandados de busca e apreensão na sede da empreiteira Norberto Odebrecht, no Rio de Janeiro, como parte da 14ª fase da Operação Lava Jato (Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Policiais federais cumprem mandados de busca e apreensão na sede da empreiteira Norberto Odebrecht, no Rio de Janeiro, como parte da 14ª fase da Operação Lava Jato (Tânia Rêgo/Agência Brasil) (Foto: Davis Sena Filho)

Em qualquer país sério, os servidores do Judiciário, do MP e da PF se dedicariam aos autos dos processos, porque técnicos do Direito e jamais se partidarizariam, independente de nomenclaturas e nomes que se dão às suas instituições, órgãos e corporações de acordo com cada país. Aqui, na Banânia da casa grande e de seus coxinhas amestrados, acontece o contrário, porque muitos juízes, procuradores, promotores e delegados seriam afastados de suas funções, bem como vários desses servidores públicos já teriam sido exonerados ou demitidos, para o bem do serviço público, isto se não estivessem presos por causa de seus inúmeros e diferentes crimes.

 

Entretanto, como indica e assevera o título deste artigo, a Lava Jato é a narrativa dos pulhas, mentirosos e golpistas, a ter a Globo e mais meia dúzia de famiglias que controlam os meios de comunicação privados, que vivem do dinheiro público, a repercutir, intermitentemente, a narrativa dos que cometem covardias, porque não somente contam os fatos reais de suas investigações, acusações e denúncias, mas, sobretudo, criam fatos irreais, inverídicos, fantasiosos e imaginários, bem como os passam a um público de índole conservadora e golpista, sedento de sangue e de "justiça" apenas contra aqueles que essa gente sempre votou contra, sempre foi adversária.

 

Não se quer justiça no Brasil; o que move as pessoas que tomaram o poder central de assalto e seus apoiadores, sendo que os principais são os servidores públicos do Judiciário e os cascas grossas da imprensa de mercado, é enquadrar o PT e suas principais lideranças, se possível prendê-los e, com efeito, jogar a chave do cárcere fora, a fim de promover a liberdade dos tucanos, bem como fazer com que seus incontáveis processos com todos os tipos de crimes e corrupções prescrevam. É exatamente isto o que está a acontecer.

 

A verdade é que não é possível acreditar que os procuradores, delegados e juízes não percebam que o ex-presidente Lula está a ser alvo de Lawfare, assim como não é possível também admitir que esses servidores não viram e ouviram que mais de 200 pessoas declararam em seus depoimentos não ter conhecimento algum sobre o ex-presidente trabalhista ter cometido malfeitos e ilegalidades.

 

Os depoimentos são contundentes, mas mesmo assim o justiceiro de Curitiba, juiz de primeira instância, Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, condenou Lula a nove anos e meio de prisão, mesmo a reconhecer não ter provas materiais, mas a se considerar pleno de "convicções", tal qual o powerpoint mentiroso e leviano dos procuradores, que demonstrou, ipsis litteris, que a Justiça, o MPF e a PF têm lado partidário, cor ideológica e políticos preferidos.

 

Servidores do Judiciário que criminalizaram e judicializaram até as ações e os atos legítimos efetivados pelos governantes do PT legalmente eleitos, e, acima de tudo, dispostos a se mobilizar para que Lula, o maior político da América Latina e o líder inconteste de todas as pesquisas eleitorais seja impedido de se candidatar e, consequentemente, abrir o caminho para o candidato mais forte da direita brasileira, a mesma secularmente acostumada a tomar de assalto e a usurpar os palácios presidenciais, como fazem os bandidos contra o povo e a paz social nas ruas deste País, que está conflagrado em uma guerra armada sem precedentes, com dezenas de milhares de vítimas todo o ano, bem como ninguém sabe como a violência vai terminar.

 

O Brasil possui um Judiciário alienado, caríssimo e totalmente distante dos anseios e dos interesses da população. Trata-se, verdadeiramente, de um Judiciário e MPF burgueses, que, se houvesse uma revolução vitoriosa em terras tupiniquins, mais da metade de seus membros seria demitida e presa pelos crimes de conspiração, de lesa-pátria e golpe de estado, dentre muitas outras ilegalidades anticonstitucionais.

 

Arbitrariedades de autoria de servidores públicos que se transformaram em serviçais dos interesses dos partidos de direita, do grande capital privado (bancos e empresas midiáticas) e de governos estrangeiros. Cometeram, sistematicamente, ilegalidades jurídicas que se verificaram no decorrer dos processos da Lava Jato de carácteres fascistas e perigosamente contrários aos preceitos do Estado Democrático de Direito.

 

E tudo isto nas barbas dos cúmplices e parceiros STF e PGR, pois a intenção maior é consolidar o golpe empresarial e de direita, que mais uma vez tomou para si as riquezas naturais e patrimoniais do Brasil, que perdeu, em apenas dois anos, a sua soberania de forma deliberada e humilhante, porque os golpistas e usurpadores são fantoches e apátridas subalternos das potências mundiais, especialmente dos Estados Unidos, com quem a direita brasileira adora ter relações carnais, mas sempre na condição imperativa de tirar os sapatos e arriar as calças. Nada é mais subserviente e vergonhoso.

 

Percebe-se agora, depois dos pronunciamentos canhestros e mequetrefes, além de irresponsáveis dos generais Mourão e Etchegoyen, com o apoio igualmente sem sentido e inconsequente do comandante do Exército, general Villas Bôas, que a casa grande da Banânia não deu corda ao golpismo de direita dos militares porque somente os quer, se for necessário, como próceres de guarda pretoriana nas condições de standby. Tipo assim: "A molecagem golpista entornou o caldo e o bicho vai pegar para a gente. Chamem o Exército!"

 

As oligarquias brasileiras estão satisfeitas com a atuação de capitão do mato do Judiciário, que tem como fundamento político e ideológico principal o impedimento de Lula e, quiçá, sua prisão em segunda instância. Lula poderá ser preso injustamente, pois a Justiça e o MPF, bem como a PF, após três anos não encontraram nada que comprovasse que o político mais importante do Brasil tenha roubado. Porém, nada importo, porque os mentirosos e levianos resolveram, por conta própria, mentir.

 

Agora os togados e meganhas da Banânia acostumada a golpes de terceiro mundo terão de dar continuidade à vergonhosa trapaça, à fraude que subjuga o Direito e à farsa que viola a verdade. Trata-se, peremptoriamente, da maior patifaria e canalhice da história do Judiciário brasileiro efetivada por homens e mulheres que rasgaram solenemente seus juramentos e, por conseguinte, aproveitaram-se dos cargos e funções públicas pagos pelos contribuintes para fazer a política mais rasteira, perversa e injusta que se tem notícia na história do Brasil contemporâneo. Fora a covardia...

 

A Justiça tem de ser severamente julgada. O MPF e a PF também, nem que seja pela história, a memória e o imaginário do povo brasileiro, porque tais instituições se tornaram os bridões ou as camisas de força que prendem e sufocam o Brasil e seu povo, para que os bilionários nacionais e internacionais possam amarrar a vaca, que é o Estado nacional, e mamar à vontade em suas fartas tetas. E está a acontecer agora, neste exato momento, com direito de os golpistas venderem os pedaços da vaca depois de a esquartejarem.

 

Por sua vez, a cambada de agentes da infâmia, do retrocesso e do atraso estão a lidar com um grande problema: o calendário das eleições presidenciais de 2018. Estão nervosos e desesperados, porque perceberam que a direita de alma escravocrata possui, no mínimo, seis candidatos, assim como está totalmente dividida, porque seus inúmeros grupos de predadores do Brasil disputam ferozmente e vorazmente o espólio ou a carcaça do Estado nacional.

 

O País está a ser entregue irresponsavelmente por verdadeiros chefes de quadrilhas e bandos diferentes, que tomaram o poder central de assalto e que, agora, estão a lutar pela hegemonia política e, com efeito, apresentar o candidato da direita que possa unir as hienas, os chacais, os abutres e os tubarões, bem como elaborar estratégias para escaparem, incólumes, da cadeia, como acontece com os tucanos do PSDB, do DEM e do PPS, que apesar de terem sido acusados e denunciados por inúmeros crimes de corrupção, até hoje voam pelas terras brasileiras livres, lépidos e fagueiros, a ter como companhia no poder usurpado o PMDB do quadrilhão de *mi-shell temer e Cia.

 

O PSDB ocupa, indevidamente e por meio de um golpe de estado travestido de legal e legítimo, quatro importantes ministérios. Portanto, o PSDB é um dos alicerces principais do consórcio golpista de direita que tomou de assalto a Secretaria de Governo (Antônio Imbassahy), o Ministério das Cidades (Bruno Araújo), o Ministério da Fazenda (Henrique Meirelles), o Ministério das Relações Exteriores (Aloysio Nunes Ferreira, anteriormente foi usurpado pelo José Serra), Direitos Humanos (Luislinda Valois), além da Petrobras (Pedro Parente), o mão de tesoura que deveria estar preso, com uma punição pesada, pois se trata de um golpista perigosíssimo e realizador de crimes de lesa-pátria em série.

 

Parente é o vírus que contaminou o corpo da Petrobras. A verdadeira obsessão predatória do PSDB, cujo DNA entreguista tem como alvo principal uma das petroleiras mais importantes e poderosas do mundo, que, inacreditavelmente, é tratada pelos tucanos e os golpistas do PMDB como uma praga que causa-lhes dissabores, porque poderia viabilizar o desenvolvimento do Brasil e emancipar definitivamente o povo brasileiro, principalmente a partir da descoberta do Pré-Sal, que os tucanos e a direita em geral sempre disseram que a riqueza insofismável do Pré-Sal era superdimensionada e supervalorizada.

 

Por meio de um golpe, esses usurpadores e golpistas tomaram a poderosa estatal de assalto e estão a entregá-la à estrangeirada malandra e esperta, que sempre colonizou os cérebros desses péssimos políticos e executivos, que têm como princípio de suas vidas impedir o desenvolvimento econômico e social do Brasil. A tucanagem é vil e composta por gente incapaz, incompetente, entreguista e que odeia profundamente seu próprio País. Nunca vi tucano investir no Brasil e em seu povo, apenas tive a inenarrável e indescritível indignação e decepção de ver tais sediciosos inimputáveis e terceiro-mundistas (não é mesmo juízes Moro e Gilmar?) venderem o País.

 

Realmente é só o que esses inúteis sabem fazer desde quando fundaram o partido mais traidor da Pátria brasileira: o PSDB. O partido de direita que odeia a terra onde a casa grande enriquece e vende o Brasil, sem construir uma única escola ou posto de saúde. O PSDB e os sacripantas e pulhas filiados a tal agremiação são como um enxame incomensurável de gafanhotos a devorar as plantações, no caso as estatais e a infraestrutura brasileiras. A mediocridade tucana perdeu, definitivamente, a modéstia, mas jamais perderá a soberba e a falta de programas de governo e projeto de País. O PSDB jamais pensou o Brasil. Colonizado e com complexo de vira-lata, apenas o vende com os pés descalços e as calças arriadas... Um horror e terror!

 

Contudo, a Lava Jato é a narrativa do status quo, que tem alguns juízes, procuradores e delegados envolvidos até as suas medulas com o golpe de estado terceiro-mundista, a despeito do combate à corrupção, que formatam manchetes sensacionalistas para o público e não para o povo, até porque, não sei se tais togados e meganhas sabem, opinião pública é diferente de opinião publicada, o que faz com que a direita brasileira se equivoque ou se engane diuturnamente.

 

A verdade nua e crua é que quando as pesquisas são realizadas pelos institutos que pertencem ao próprio establishment, o que se vê é que o Lula, depois de ser linchado covardemente e perversamente em praça pública durante três anos pela dupla golpista Judiciário/imprensa de mercado, continua a liderar a corrida presidencial.

 

Lidera mesmo após o povo e parte importante da classe média saberem que o político mais popular do Brasil, que saiu do poder com praticamente 90% de aprovação, um recorde mundial a superar o famoso Nelson Mandela, ser acusado de ser corrupto, fato propositalmente criado pelos operadores da Lava Jato e comprovadamente persecutório e mentiroso, porque até hoje o juiz Moro e seus cúmplices de inúmeros crimes cometidos abertamente contra o Lula e o João Vaccari, por exemplo, jamais e em tempo algum conseguiram apontar um único malfeito que o Lula tenha incorrido. Esta é a verdade factual. Ponto.

 

Agora essa gente sem eira e nem beira está a se preocupar com o calendário eleitoral. Necessitam, como os seres precisam de oxigênio, que o TRF-4 e as varas de primeira instância de Curitiba, do Distrito Federal e de São Paulo, que possuem processos contra o Lula, não lhes deem descanso, de forma que o político de esquerda e trabalhista fique o tempo todo a se defender de acusações mentirosas, levianas, perversas e infundadas, ações estas que configuram o Lawfare, que significa a utilização do Direito e das leis para fins de perseguição política e ideológica contra o inimigo a ser derrotado.

 

No caso, o inimigo da direita judiciária e midiática é o Lula, como fizeram anteriormente com o José Dirceu, que está prestes a ser condenado à prisão perpétua sem quaisquer comprovações materiais de que o ex-ministro da Casa Civil tenha cometido crimes. É surreal este País de togados e meganhas que decidiram, a seus bel-prazeres, criminalizar o ato de governar e judicializar a política, de forma a permitir que a direita conquistasse o poder por um golpe e, com efeito, mantê-la no poder por intermédio de julgamentos tendenciosos, seletivos e injustos, ou seja, os agentes de Estado e do Judiciário a cometer crimes graves de responsabilidade, realidades que, por si só, seriam objetos de cadeia. O Judiciário brasileiro, um dos mais caros e alienados do mundo, ressuscitou o macartismo da década de 1950. É o fim da picada!

 

Trata-se do vale tudo contra as forças de esquerda, progressistas e populares, menos quando se trata dos ladrões e corruptos do PSDB, do PMDB e do DEM, dentre outros partidos, de acordo, inclusive, com as denúncias da PF e do ex-PGR Rodrigo Janot, que também foi importante agente do golpe contra a mandatária legítima e constitucional Dilma Rousseff, que recebeu a confiança e o apoio de 54,5 milhões de brasileiros, que decidiram reelegê-la e posteriormente tiveram seus votos rasgados por quadrilheiros que derrubaram a presidente e que estão hoje a enfrentar, descaradamente, a sociedade brasileira, cuja parte saiu às ruas contra seus próprios direitos e garantias fundamentais. Estes são os coxinhas "geniais".

 

Porém, não importa, pois a luta continua com o Lula preso ou não. Prender Lula é temerário porque nada consta contra ele, bem como o líder popular será redimido pela história, enquanto muitos dos "heróis" forjados artificialmente pela imprensa de negócios privados mais corrupta e golpista do mundo responderão à história pelos seus atos e ações criminosos e persecutórios.

 

Entretanto, prendê-lo o deixa maior politicamente e humanamente, como ficaram maiores líderes populares como Nelson Mandela, Pepe Mujica, Mahatma Gandhi, dentre muitos outros que eram considerados pelos governos repressores, pela Justiça do capital, pela imprensa burguesa da casa grande e pelos coxinhas eternamente empregados dos ricos como terroristas, subversivos, criminosos, bandidos e ladrões. Por sua vez, a história, que não vacila e não blinda niguém, tratou-os de redimi-los perante a humanidade, sendo que, certamente, é o que acontecerá mais cedo ou mais tarde com o maior líder político do período republicano da história do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, a tê-lo em sua companhia o estadista gaúcho e trabalhista Getúlio Vargas.

 

As pesquisas se sucedem e Lula sucessivamente lidera as pesquisas. A Globo e seus comparsas de golpes já vaticinaram: "Doa a quem doer, Lula não governa e colocaremos qualquer moleque sem vergonha e teleguiado na Presidência, porque somos golpistas covardes, mentirosos e violentos, assim como usurpamos o poder e impomos a nossa agenda ultraneoliberal, antidemocrática, antinacional e antipopular. A nossa agenda draconiana é que vai ser colocada em prática, com a ausência de Lula nas eleições de 2018, mesmo sabendo que seu impedimento torna, indelevelmente, as eleições em farsa e fraude. Temos o juiz Moro, o TRF-4 e o STF para isto, e esta tirania nos basta". Ponto.

 

É exatamente desta maneira que pensa a grande burguesia colonizada e escravocrata. Problema é dela. O campo popular pensa diferente. Lula preso é pior para a direita do que o Lula solto. Quem tem consciência e discernimento sabe que o Lula não roubou e que o Judiciário é parcial, seletivo e injusto, o que deslegitima suas decisões e dá transparência às suas conveniências políticas e partidárias maquiavélicas e arbitrárias. Lula não roubou! Quem viver verá. É isso aí.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247