Lei Paulo Gustavo é reflexo da força de quem produz cultura no Brasil

www.brasil247.com -
(Foto: TV Globo/Divulgação)


A Câmara dos Deputados viveu um momento histórico nesta quinta-feira (24). Foi aprovado o meu relatório sobre a Lei Paulo Gustavo, que libera R$ 3,8 bilhões para ações emergenciais de apoio ao setor cultural. Fruto de uma grande articulação que envolveu todos os líderes da Casa, a aclamação do projeto pelos deputados representa uma vitória do parlamento e de todos aqueles que têm compromisso com a cultura.

Precisamos enfatizar o marco histórico que esse projeto representa. Hoje, o plenário da Casa mostrou que a cultura é um direito de fato. Foi um dia simbólico para a classe cultural, que teve o seu valor reconhecido com mais esse apoio financeiro para se manter de pé em tempos pandêmicos. No Brasil governado por Bolsonaro, podem até tentar calar a voz de quem produz cultura, mas, juntos, mostramos que somos mais fortes. 

A Lei Paulo Gustavo chega em um momento oportuno. Trabalhadores da cultura foram os primeiros a fechar as cortinas em virtude das medidas emergenciais de isolamento adotadas para combater o coronavírus. Desde o início da pandemia, demarcamos posicionamento ao lado de artistas de todo o país. Participamos de inúmeros seminários on-line e organizamos a luta, que teve o seu primeiro florescer com a aprovação da Lei Aldir Blanc, em 2020.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

E foi ela, a Aldir Blanc, que serviu de inspiração para o Projeto de Lei Complementar (PLP) 73/2021, de autoria do senador Paulo Rocha (PT/SP). O nome da lei é uma homenagem ao ator Paulo Gustavo, vítima da Covid-19 em um momento em que já existiam vacinas contra o vírus. Uma lembrança de que sem cultura não há riso, não há resistência, não há vida. O setor cultural precisa desse reconhecimento e nós, do parlamento, precisamos conduzir os processos necessários que garantam o pleno funcionamento do acesso à arte, em suas múltiplas linguagens. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os recursos virão do superávit financeiro do Fundo Nacional de Cultura (FNC). É dinheiro da cultura indo para a cultura, movimentando a economia desse setor estratégico para a nossa identidade nacional. Os R$ 3,8 bilhões previstos serão direcionados de modo descentralizado, da União para os entes subnacionais. A maior fatia, R$ 2,7 bilhões, será direcionada ao setor audiovisual, sendo o restante voltado à aplicação na área cultural, de maneira geral. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Não são tempos fáceis para os produtores de cultura. Esse é um segmento que vem sofrendo com as constantes perseguições do governo Bolsonaro, que vem implementando práticas obscurantistas e de repressão das variadas linguagens e dos atores envolvidos na efervescência artística nacional. Os ataques começaram ainda no início do pleito, com a extinção do Ministério da Cultura e o rebaixamento da pasta a uma secretaria comandada por Mário Frias, inimigo declarado da classe artística.  

Temos consciência do desafio que temos pela frente para reconstruir as políticas culturais. Não será a Lei Paulo Gustavo que vai resolver todos os problemas do setor, mas temos a certeza de que a proposta traz inovações que, bem implementadas, vão redefinir mecanismos da administração pública na área. Nossa mobilização foi vitoriosa, mas não podemos baixar a guarda. Vamos continuar unidos, pois o texto volta para o Senado e não pode passar por alterações que inviabilizam os repasses. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um novo momento para a cultura começou hoje. Parabéns para artistas e articuladores de todo o país. A pressão fez efeito e, juntos, provamos que nossa mobilização tem força. Vamos em frente!

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email