Lula manda sinais a Ciro: PT e PDT voltam a conversar

"Ao incluir o PDT na lista de partidos bloqueados pela mídia, Lula quis mandar um sinal público: as duas forças precisam se acertar de alguma forma. E não se trata apenas de 2022... PT e PDT precisarão estar juntos agora em novembro de 2020", avalia o jornalista Rodrigo Vianna sobre a declaração do ex-presidente Lula

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Não se trata de informação de bastidor. A declaração a seguir foi estampada nas redes sociais do ex-presidente Lula: 

"A oposição não aparece porque tem pouco espaço midiático. Não ouvem o PT, o PSOL, o PDT... Pra Globo a grande oposição no Brasil é o Rodrigo Maia. O cara que parece que é contra o Bolsonaro e o Paulo Guedes, mas aprova tudo que eles querem. Aquela velha oposição consentida..."

Lula reproduziu frase dita por ele mesmo, numa entrevista de rádio esta semana na Bahia, analisando o bloqueio informativo que a imprensa tradicional pratica.

Esse bloqueio é um fato inquestionável. Mas chamo atenção para um detalhe: ao listar a oposição bloqueada pela cobertura da Globo, Lula poderia ter citado só o PT, ou até o PSOL. Mas fez questão de incluir o PDT na lista.

Não foi um descuido ao falar ao vivo na rádio. Se fosse, Lula não teria transcrito a frase em suas redes sociais... 

Todos sabemos dos ataques fora de tom de Ciro contra Lula e o PT. Pareciam um caminho sem volta. Lula cansou de apanhar e chegou a devolver algumas críticas. Mas agora algo mudou. Reparemos que Ciro também baixou o tom nas críticas. Há uma operação para reconstruir as pontes entre petistas e pedetistas.

Muitos dirão que os Ferreira Gomes, assim como parte do PDT, não são propriamente esquerda. É fato. Mas carregam a marca simbólica do brizolismo, e num Brasil dominado pelo fascismo não podemos nos dar ao luxo de dividir as forças democráticas.

Outros dirão que Ciro fez um giro ao centro, promovendo aliança com o carlismo na Bahia, por exemplo. É fato. Mas esse giro pode ser revertido, se o PDT perceber que esse movimento leva à inação e não traz ganhos - já que o "centro" (DEM et caterva) se desloca em direção ao bolsonarismo.

As informações (e agora se trata de um bastidor colhido por este jornalista) são de que Ciro e Lula voltaram a conversar nas últimas semanas. As rusgas ainda são fortes, mas a conversa está reaberta.

Ao incluir o PDT na lista de partidos bloqueados pela mídia, Lula quis mandar um sinal público: as duas forças precisam se acertar de alguma forma. E não se trata apenas de 2022...

PT e PDT precisarão estar juntos agora em novembro de 2020.

No Rio, Benedita (PT) ou Martha (PDT) podem ir ao segundo turno. Se a pedetista for a escolhida, o que hoje parece mais provável, precisará do apoio de Lula/Benedita.

Em Fortaleza, o quadro pode se inverter: mais provável que Luizianne Lins do PT enfrente um bolsonarista no segundo turno. E precisará do apoio do PDT.

Em Porto Alegre, Manuela (PCdoB, com PT na vice) irá ao segundo turno. E dependerá do voto de Juliana Brizola e das bases ainda vivas do pedetismo gaúcho.

A Bolívia mostrou a trilha da vitória. Lá, a direita se dividiu e a esquerda se unificou sob comando de Evo Morales - mas abrindo espaço para novos rostos...

Esse parece ser o caminho no Brasil. 

PT, PSOL, PCdoB, PDT precisam estar juntos. É condição necessária, mas não suficiente, para furar bloqueios midiáticos e restaurar a democracia desorganizada pelo Golpe, pela Lava Jato e pelo desastre bolsonarista. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247