Lula mandou recado ao andar de cima e ao de baixo

"Lula balançou, ao mesmo tempo, o coração e os nervos de milhões de brasileiros", afirma Milton Alves sobre a entrevista do ex-presidente ao Jornal Nacional

www.brasil247.com -
(Foto: Reprodução / TV Globo)


Lula foi convincente e demonstrou muita segurança nas respostas, não caindo em nenhuma armadilha de Bonner.

Tratou de todos os temas com respostas diretas e firmes. Nas questões que poderiam parecer mais espinhosas - corrupção, governo Dilma, pretenso apoio à ditaduras - não vacilou, respondeu também com assertividade.

Lula mandou ainda dois recados diretos, dentro da lógica da frente ampla e da busca da presidência de conciliação: falou para o 'andar de cima' quando disse que no seu futuro governo os conceitos de estabilidade e previsibilidade serão condutas permanentes; e para o 'andar de baixo' lembrou das conquistas de seu governo para os mais pobres.

"Vou cuidar do povo" foi a senha para as camadas populares. Ou seja, Lula mandou bem, e muito bem. Bateu no Bolsonaro, de forma firme, sem perder tempo com as picuinhas da narrativa governista. Também demarcou com o atual Congresso, dominado pelo orçamento secreto do Centrão, e fez um chamamento ao voto por uma bancada de esquerda e progressista na Câmara dos Deputados.

Lula balançou, ao mesmo tempo, o coração e os nervos de milhões de brasileiros. Lula segue sendo o maior, o mais experimentado, quadro político - e liderança referência de milhões- da sociedade brasileira. É fato!

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247