Lula nas ruas e o Vox Populi

Se o PT efetivamente for afastado do poder por conta das pedaladas fiscais, Lula será beneficiado nesse momento de crise porque o futuro governo terá que tomar medidas combinadas com o empresariado paulista que não serão benéficas para o povão

São Paulo- SP- Brasil- 08/04/2016- Ex-presidente Lula, durante encontro com profissionais da educação, no Auditório Celso Furtado, no Centro de Convenções do Anhembi, zona norte da cidade. Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula
São Paulo- SP- Brasil- 08/04/2016- Ex-presidente Lula, durante encontro com profissionais da educação, no Auditório Celso Furtado, no Centro de Convenções do Anhembi, zona norte da cidade. Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula (Foto: Voney Malta)

Nas rodas de conversa o assunto principal é a votação do impeachment. No meio político alagoano várias avaliações são feitas. Deputados federais daqui são citados como traidores por optarem pelo afastamento.

Muitos mamaram todo esse tempo indicando aliados para cargos. Tantos tiraram fotos com Lula e Dilma e assim também se beneficiaram nos pleitos que disputaram. (No futuro trataremos sobre esses deputados federais mostrando o histórico deles de mudança de lado e de opinião).

Mas a justificativa dentro desse mundo específico é válida, lógica e, apesar de tudo, aceitável como regra interna: sobrevivência. Além do mais, Eduardo Cunha sabe muito sobre os deputados federais alagoanos.

Até mesmo o silêncio dos últimos dias do senador Renan Calheiros (PMDB), somada a indecisão de Marx Beltrão e o anúncio do também peemedebista Cícero Almeida de que é favorável ao seguimento do impedimento, é avaliado como uma mudança de posição do senador.

Não dá para ter certeza. Mas o tempo, dentro de alguns dias, vai revelar quem trai e quem sobrevive, embora tudo isso também possa significar a mesma coisa. Ou seja, traição e sobrevivência não se separam nessa profissão. Na verdade andam juntas.

O fato é que em política cada problema é resolvido um por vez. Ou seja, ninguém pensa como será o dia seguinte, como será um possível governo Temer e todo um grupamento de políticos suspeitos corrupção, e até indiciados, comandando o País.

Pesquisa Vox Populi encomendada pela CUT, que será divulgada hoje (14), mas que já vazou alguns números, aponta que 61% dos entrevistados avaliam negativamente um governo Temer. O Nordeste é a região que dá maior apoio contra o impeachment de Dilma: 54%.

E como será o dia seguinte ao da votação na Câmara? É certo que o ex-presidente Lula irá pras ruas em campanha permanente e sem dar trégua ao governo Temer. E fará isso junto aos "movimentos sociais contra um governo que considera ilegítimo", disse a aliados.

E Lula, caro leitor, é a única liderança política com respaldo e aprovação popular. A não ser que seja preso e claramente comprovado que recebeu propina do esquema de corrupção nas estatais.

Caso contrário, se o PT efetivamente for afastado do poder por conta das pedaladas fiscais, Lula será beneficiado nesse momento de crise porque o futuro governo terá que tomar medidas combinadas com o empresariado paulista que não serão benéficas para o povão.

Tal fato dará o tema central e comprobatório para o discurso do ex-presidente de que tudo não passou de um golpe tramado pela elite empresarial, os políticos corruptos e os meios de comunicação.

Os dias seguintes ao próximo domingo (17) poderão ser ainda mais instáveis e perigosos.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247