Lula transfere votos?

Certeza mesmo só com Lula na disputa. Com ele, todo mundo sabe, é conversa para lá, conversa para cá e o Brasil sai do Mapa da Fome virando credor do FMI. Sem ele, ninguém sabe no que pode dar e todos os sinais apontam para o desconhecido

Lula
Lula (Foto: Leopoldo Vieira)

A pesquisa Datafolha mostrou que, apesar de condenado, o ex-presidente Lula manteve a liderança das intenções de voto, só que parece ter perdido o poder de transferir popularidade.

Sem ele, só um pouco dos seu votos migrou para Marina Silva e Ciro Gomes. Com leve vantagem para a primeira, são dois candidatos completamente diferentes, desenhando um fluxo difícil de decifrar e, sobretudo, sem qualquer garantia de que pelo menos um dos dois estaria no round seguinte.

Jaques Wagner, ex-ministro e ex-governador, como plano B do próprio PT, e Guilherme Boulos, o escudeiro de Lula no PSOL, fazem 2% e 1% no máximo. Ambos ultrapassados por Manuela D'Ávila, que chega a apenas 3%, porém sem o recall de uma vinculação de imagem mais densa com a dele.

Outro indicador deste novo cenário é o alto grau de votos brancos e nulos caso confirmada a interdição.

Há conta, claro, para o gosto do freguês.

Pode se considerar o aumento da rejeição a um nome apoiado por ele ou se somar os que votariam com certeza numa indicação de Lula, os que talvez e mais a intenção de voto originalmente registrada: seria certa a vaga no segundo turno. Só que isso vira uma guerra tanto no meio dos especialistas quanto no dos achólogos, e os números não autorizam expressamente a segunda opção.

Do outro lado da pista, não há nada auspicioso.

A aposta em Geraldo Alckmin não decolou. Ele não só não cresceu como ficou em empate técnico com Doria Jr e Luciano Huck. Só que o primeiro não está mais candidato e o segundo sequer chegou a ser, mantendo-se assim por ora.

Outras opções do governismo, Henrique Meirelles e Rodrigo Maia estacionaram no 1%, fazendo da candidata comunista quase que um fenômeno da crise democrática.

Jair Bolsonaro, sem Lula, preservou a dianteira sem maiores abalos decorrentes das denúncias da Folha de São Paulo. Com o ex-presidente, resguardou a segunda colocação.

Então, certeza mesmo só com Lula na disputa. Com ele, todo mundo sabe, é conversa para lá, conversa para cá e o Brasil sai do Mapa da Fome virando credor do FMI. Sem ele, ninguém sabe no que pode dar e todos os sinais apontam para o desconhecido.

Para além de aceitar ou não injustiça, parece que "o povo" acha mesmo é que o Brasil precisa de Lula. E que a solução para a crise democrática é reincluir os pobres no orçamento.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247