Menos investimentos, mais pobreza e mais violência: o Brasil de Temer em dados

Três notícias da última semana sintetizam a conjuntura política e econômica do Brasil de Temer. Uma delas é que na economia, o investimento público atingiu em 2017 os menores níveis em 50 anos, e o 1,17% do PIB investido não cobriu sequer a depreciação dos ativos públicos, resultando num desinvestimento líquido

Três notícias da última semana sintetizam a conjuntura política e econômica do Brasil de Temer. Uma delas é que na economia, o investimento público atingiu em 2017 os menores níveis em 50 anos, e o 1,17% do PIB investido não cobriu sequer a depreciação dos ativos públicos, resultando num desinvestimento líquido
Três notícias da última semana sintetizam a conjuntura política e econômica do Brasil de Temer. Uma delas é que na economia, o investimento público atingiu em 2017 os menores níveis em 50 anos, e o 1,17% do PIB investido não cobriu sequer a depreciação dos ativos públicos, resultando num desinvestimento líquido (Foto: Debora Medeiros)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Três notícias da última semana sintetizam a conjuntura política e econômica do Brasil de Temer.

Na economia, o investimento público atingiu em 2017 os menores níveis em 50 anos, e o 1,17% do PIB investido não cobriu sequer a depreciação dos ativos públicos, resultando num desinvestimento líquido.

A pobreza extrema também aumentou no país em 2017, crescendo em torno de 11% na média nacional e chegando a aumentar 35% nas periferias da grande São Paulo.

Enquanto isso, este Estado ausente da economia propagandeia seu papel na segurança pública por meio da Intervenção Federal no Rio de Janeiro. Falácia.

As entidades que compõem o Observatório da Intervenção também divulgaram dados nos últimos dias, e eles não corroboram o discurso do governo:

durante o período da intervenção, aumentaram a violência e as chacinas e resultados como "apreensão de armas" foram absolutamente inexpressivos, considerando os recursos que empregaram.

Eis, portanto, a síntese do novo Estado brasileiro, construído pelos que depuseram Dilma: ausente na economia, ineficaz na segurança pública, impiedoso e violento para com os mais vulneráveis.

Um retrato da barbárie social. Em alta resolução.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247