Ministra ia se matar no pé de goiaba quando viu Jesus

Ministra ia se matar no pé de goiaba quando viu Jesus
Ministra ia se matar no pé de goiaba quando viu Jesus (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Por Alex Solnik, para os Jornalistas pela Democracia  - Estava muito renhida a disputa pelo troféu do ministro mais exótico do próximo governo. Logo ao ser anunciado, Ernesto Araújo mostrou boas condições de merecê-lo. Seus antecedentes, no Facebook, prometiam. As suas credenciais para a disputa eram excelentes: fora indicado por ninguém nada mais nada menos que o ex-astrólogo Olavo de Carvalho. Não precisava dizer mais nada.

Furioso adepto do antiglobalismo ele anunciou como meta principal do Itamaraty uma cruzada contra os hereges do marxismo cultural, cujo objetivo, na sua privilegiada visão, é dominar o mundo.

Mas justiça se faça. Ele não estava sozinho no páreo. O outro apadrinhado do ex-astrólogo não estava disposto a entregar o troféu ao adversário sem muita luta.

De fato. O futuro ministro da Educação Ricardo Vélez Rodriguez marcou muitos pontos a seu favor ao apoiar a maior estupidez da educação a nível mundial – a tristemente célebre Escola sem Partido – e com duas declarações do cabo da esquadra:

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

"O aluno tem que sair do segundo grau pronto para o mercado de trabalho. Nem todo mundo quer fazer uma universidade. É bobagem pensar na democratização da universidade, nem todo mundo gosta".

"O segundo grau teria como finalidade mostrar ao aluno que ele pode colocar em prática os conhecimentos e ganhar dinheiro com isso. Como os youtubers, ganham dinheiro sem enfrentar uma universidade".

Também não se pode menosprezar a performance do novo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Ele já disse, no passado, que "tem muita gente que é pobre porque não quer trabalhar" e prometeu enfrentar a bala movimentos do campo como o MST em sua propaganda eleitoral a deputado, que malogrou. Não faltarão oportunidades para ele se credenciar ao troféu.

Mas a vencedora deste ano é, sem dúvida, e sem discussão a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. Ela até me deu uma boa piada. Lendo suas primeiras declarações ao ser anunciada pensei que fosse melhor que Magno Malta e escrevi um post com o título "Há Damares que vem para bem".

Bastaram poucos dias para ela me desmentir. Anunciou que pretende instituir uma "bolsa-estupro", ou seja, o estado daria uma grana à mulher estuprada que quisesse seguir com a gravidez e dar à luz o filho ou filha de seu estuprador; criar o estatuto do nasciturno, ou seja, daquele que ainda não nasceu e transformar o aborto em crime hediondo.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

Mas o que a credenciou a receber o troféu foi um vídeo recente em que ela aparece durante culto numa igreja evangélica.

Em cima do palco, quase em transe, diz o seguinte a centenas de fiéis:

"Aos dez anos de idade eu quis me matar. Eu peguei uma substância... mas eu vou contar uma coisa para vocês...a casa do meu pai ficava no fundo da igreja... e no quintal tinha um pé de goiaba... e no dia em que eu estava com o veneno em cima do pé de goiaba aconteceu algo extraordinário... preste atenção... vocês acreditem se quiserem... quando eu ia comer (sic) o veneno aconteceu algo extraordinário... eu vi Jesus se aproximando do pé de goiaba... eu tive a minha experiência com Jesus num pé de goiaba aos 10 anos e foi incrível".

Não tem pra ninguém.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247