Ministros do STF agem como deuses do Olimpo, mas desconhecem a realidade de seu povo

Só quem trabalha numa empresa terceirizada conhece o que os terceirizados enfrentam - como eu por exemplo, licenciado de uma empresa terceirizada para exercer meu mandato. Basta verificar quantas empresas já quebraram no Brasil e deram bilhões em calotes aos trabalhadores. O Supremo em nenhum desses momentos se preocupou em protegê-los

Ministros do STF agem como deuses do Olimpo, mas desconhecem a realidade de seu povo
Ministros do STF agem como deuses do Olimpo, mas desconhecem a realidade de seu povo

Mais uma grave e equivocada decisão do STF: a de liberar a terceirização sem limites. Os ministros do Supremo se acham deuses do Olimpo mas demonstram não conhecer minimamente a realidade da classe trabalhadora.

Tomada por sete votos a quatro, ou seja, sete ministros serão os responsáveis por aprofundar a pobreza entre os brasileiros.

Só quem trabalha numa empresa terceirizada conhece o que os terceirizados enfrentam - como eu por exemplo, licenciado de uma empresa terceirizada para exercer meu mandato.

Basta verificar quantas empresas já quebraram no Brasil e deram bilhões em calotes aos trabalhadores. O Supremo em nenhum desses momentos se preocupou em protege-los.

É bom deixar bem claro para a população o que realmente significa a aprovação da terceirização ilimitada.

A partir de agora, os estados, os municípios e a União poderão contratar trabalhadores terceirizados para o exercício de qualquer função.

Se quiserem contratar professores para uma escola por meio de uma empresa terceirizada, poderão. Se quiserem contratar médicos de uma empresa terceirizada num hospital público poderão.

Vigilantes, merendeiras, pessoal de limpeza, cada um de uma empresa diferente. Só o diretor da escola ou do hospital será do Estado.

Imaginem se dará certo o funcionamento caótico de vários funcionários numa mesma instituição com várias chefias diferentes.

Os bancos já estão demitindo funcionários para contratarem empresas terceirizadas. A Latam demitiu hoje 1.200 trabalhadores para substituí-los por terceirizados.

O emprego público como existe hoje está próximo do fim. Até agora havia concursos para funções finalísticas da administração pública, agora não mais. O Estado brasileiro estará retrocedendo aos anos anteriores a 1930.

Ver Fux dizer que o Brasil tem que se adequar à modernidade causa náuseas. Que modernidade é essa? A de ampliar a mais valia? A de acabar com qualquer resquício de direito dos trabalhadores?

Os ministros do Supremo deveriam se envergonhar de abrir caminho para a exploração total do trabalhador e pedir perdão pelo mal que estão causando aos brasileiros.

Isso não é Justiça, é irresponsabilidade com o futuro de nossos filhos. Milhares de estudantes que estão se preparando, imaginando fazer um concurso público e ter uma carreira, tem agora seus sonhos podados por estes ministros de altos salários.

Os vigilantes, por exemplo, como terceirizados não tem condições de crescer na carreira. Lá no Supremo tem vigilantes no mesmo cargo há 20 anos e ganhando o mesmo salário dos que entram hoje. No serviço terceirizado não tem como evoluir.

Devemos lutar por uma Constituinte com poder popular, que possa revogar essa e outras barbaridades aprovadas pelo Congresso neste governo golpista.

A hora é de desobediência civil por tudo de mal que o Judiciário brasileiro está causando o Brasil.

Estes sete ministros votam pela terceirização ilimitada mas não pisam no chão de uma fábrica, não conhecem a realidade de um banco porque tem funcionários para movimentar suas contas.

Não pegam na maçaneta da porta de seu carro oficial porque tem um motorista terceirizado, sem ticket alimentação, para abrir a porta na hora que um ministro chega.

Triste Brasil, sinto vergonha da nossa corte maior, cada vez menor, pela indigência de compreensão social e política generalizada. São ministros da Suprema Corte de um país mas desconhecem a realidade de seu povo.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

O histerismo ideológico do clã Jair Messias e seus seguidores
Ariovaldo Ramos

Depressa!

Se houvesse necessidade, frente a qualquer inimigo externo, Deus levantava um ou uma líder, chamado de juiz ou de juíza, que comandava o povo contra o invasor e, assim, protegia o território e o...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247