Mourão contra intervenção na Venezuela

"O vice Mourão não caiu no lenga-lenga de Trump. Disse que as ameaças de intervenção os Estados Unidos na Venezuela são 'prematuras' e ela 'não faria sentido'. 'Acho que os Estados Unidos estão mais na retórica do que na ação. A Venezuela tem que ser resolvida pelos venezuelanos'", reforça o colunista Hayle Gadelha; "O auto-proclamado presidente interino aliado de Trump, Juan Gaidó, partiu em um comboio de veículos de Caracas para a fronteira com a Colômbia na quinta-feira para cuidar pessoalmente da entrada de ajuda. Mas está sem ação. De fato, não comanda o país"

Mourão contra intervenção na Venezuela
Mourão contra intervenção na Venezuela (Foto: Adriano Machado - Reuters)

O vice Mourão não caiu no lenga-lenga de Trump. Disse que as ameaças de intervenção os Estados Unidos na Venezuela são "prematuras" e ela "não faria sentido". "Acho que os Estados Unidos estão mais na retórica do que na ação. A Venezuela tem que ser resolvida pelos venezuelanos."

Enquanto isso, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, precavido, decidiu fechar as fronteiras com o Brasil e a Colômbia. E não há previsão de abertura.

"Essa reação é simplesmente uma maneira de impedir o processo de ajuda humanitária", disse Mourão acrescentando que a Venezuela "tem o direito de fazer o que quiser em seu lado da fronteira".

O porta-voz da presidência, Otávio Rego Barros, também descartou a possibilidade da decisão de Maduro causar "atritos" entre os vizinhos. A decisão de Maduro ocorreu dois dias antes do prazo estabelecido pelo líder da oposição, Juan Guaidó, para que a ajuda humanitária armazenada na Colômbia, no Brasil e na ilha de Curaçao fosse levada à Venezuela. O auto-proclamado presidente interino aliado de Trump, Juan Gaidó, partiu em um comboio de veículos de Caracas para a fronteira com a Colômbia na quinta-feira para cuidar pessoalmente da entrada de ajuda. Mas está sem ação. De fato, não comanda o país.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247