Na lata do lixo da história

Enfim, Bolsonaro deverá, sim, entrar para a história: para a “Lata do Lixo da História”

www.brasil247.com - Bolsonaro
Bolsonaro (Foto: REUTERS/Andressa Anholete)


por Ediel Ribeiro

Rio - Entreouvidos em um boteco em Brasília.

Conversa entre dois bolsonaristas. Um radical e outro moderado:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

-Jair Bolsonaro, com o governo que está fazendo, vai entrar para a história - disse o radical.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

-Tem certeza? Mesmo com os resultados pífios na economia, na saúde, na educação e na cultura ? - rebateu o moderado. 

-Ainda assim. No Centrão, já estão articulando para colocar o nome dele no Livro dos Heróis da Pátria, no Panteão da Pátria e da Liberdade. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

- O livro dos Heróis da Pátria? O chamado Livro de Aço? Aquele que fica exposto no Panteão da Pátria, na Praça dos Três Poderes, em Brasília, e serve de homenagem aos brasileiros que se destacaram em defesa do País? 

-Esse mesmo!! 

Ao ouvir a conversa, pensei: certamente, o nome do capitão nunca estará no livro onde estão Machado de Assis, Rui Barbosa, Euclides da Cunha, Zuzu Angel, Leonel Brizola, Maria Quitéria, Tiradentes, Zumbi dos Palmares, Anita Garibaldi e outras personalidades.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No entanto, no futuro, quando os livros de história publicarem a trajetória de Jair Messias Bolsonaro na Presidência da República, nas páginas dedicadas a todos os seus feitos, encontraremos o legado de destruição que Bolsonaro deixará ao Brasil. 

Quando Bolsonaro assumiu o governo, disse claramente que iria desconstruir o que havia sido feito até então, acabando com tudo o que ele acreditava ser o problema brasileiro. Mas ninguém imaginava que ele estava disposto a destruir o país sem colocar nada no lugar. 

O rastro de destruição na educação, na saúde, na cultura, nos direitos humanos e na questão ambiental é o seu legado maior. Ou seja, ele desmantelou a Nação e deixou um legado de terra arrasada para o futuro governante que o sucederá em 2023. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 O ‘tsunami bolsonarista’ atingiu todas as áreas e segmentos do país.

 Na saúde, deixará uma herança de  mais 640 mil mortos pela Covid-19, causadas pela demora na compra da vacina. Enquanto as pessoas morriam sem vacina e sem oxigênio nos leitos, ele preferia receitar cloroquina. 

Deixará a Funai destruída. A Instituição que em seus primeiros 52 anos, fez o que pôde para proteger os índios, nos três últimos anos, parece querer tomar suas terras e exterminá-los.

Outra instituição atingida foi a Biblioteca Nacional. Abandonada e entregue as traças e a um discípulo do guru Olavo de Carvalho. 

O Ministério da Cultura foi transformado em Secretaria Especial de Cultura,  e, em seguida, reduzida a humilhante apêndice do Ministério do Turismo, cujo atual titular é o sanfoneiro particular de Bolsonaro. 

O Iphan foi "ripado" por Bolsonaro para parar com essa história de proteger o patrimônio histórico e artístico nacional. 

A Lei Rouanet está entregue a  um ex-PM. 

A Saúde a um paraquedista.

A Ciência e Tecnologia foi entregue a um astronauta que já foi chamado de burro até pelo ministro da Fazenda. 

A Educação foi entregue a incompetentes e pastores ladrões.

A Cultura foi entregue a um ex-atorzinho de ‘Malhação’ que odeia a cultura. 

A Fundação Palmares foi  entregue a um racista.

A Secretaria da Mulher está nas mãos de uma anti-feminista.

Todas essas instituições, que controlam valores em milhões, estão nas mãos de arrivistas, amadores e oportunistas. Enquanto isso, a agenda política do presidente se resume a evitar o impeachment e proteger a sua família.

E a agenda do ministro da Economia Paulo Guedes? Qual é a agenda do Guedes? O que ele propôs de concreto desde que chegou ao ministério? O que ele fez? Nada.

Em resumo, no fim, o capitão ingressou no PL de Valdemar Costa Neto (um dos políticos mais corruptos da história recente) e entregou o país ao Centrão  – conjunto de partidos desapegados de ideologia política –, como uma forma de usar a política para tentar a reeleição.

Enfim, Bolsonaro deverá, sim, entrar para a história: para a “Lata do Lixo da História”.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email