“Não basta parecer honesto. É preciso ser honesto”

Os membros destacados da República de Corruptos que se instalou no país a partir do impeachment de Dilma, sob o comando de Temer, certamente desconheciam o que disse, 700 anos antes do Cristo, o grande filósofo grego Sócrates: "Não basta parecer honesto. É preciso ser honesto!"

BRASILIA DF 23/02/2010 POLITICA Presidente Michel Temer recebe Deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) e convidado na Camara dos Deputados FOTO JBatista / Agencia Camara
BRASILIA DF 23/02/2010 POLITICA Presidente Michel Temer recebe Deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) e convidado na Camara dos Deputados FOTO JBatista / Agencia Camara (Foto: Ribamar Fonseca)

Antes de viajar para a Russia, onde o presidente Putin não se abalou para recebê-lo, Michel Temer gravou um vídeo em que deu um aviso aos criminosos que, para ele, são os adversários: "Ninguém ficará impune". Parecia estar falando diante do espelho, apontando o dedo para si mesmo. Ele viajou tranquilo e confiante, talvez porque já adivinhasse o resultado da sessão da primeira turma do Supremo Tribunal Federal, que libertou Andréia Neves e o primo Frederico e adiou o julgamento sobre o pedido de prisão do senador afastado Aécio Neves. O fato é que depois dessa decisão já se começa a pensar que criminosos mesmo são Joesley Batista, que denunciou Temer como o "chefe da maior e mais perigosa quadrilha do Brasil", os parlamentares que fazem oposição ao governo e os jornalistas que o criticam. E Lula, contra quem os investigadores da Lava–Jato, apesar de revirarem a sua vida do avesso, não encontraram absolutamente nada que pudesse incriminá-lo. E Temer promete punir todos eles. Em matéria de cinismo ele está empatando com FHC.

A mulher de Eduardo Cunha, que tinha contas em bancos suíços, foi considerada inocente e absolvida pelo juiz Sergio Moro; alguns dos ladrões confessos do dinheiro da Petrobrás estão em casa, cumprindo prisão domiciliar; o primo Frederico, que foi filmado pela Policia Federal recebendo propina na JBS para Aécio, também foi mandado para casa; a irmã Andréia, que negociou a propina e ofereceu a Joesley a presidência da Vale por R$ 40 milhões, igualmente foi liberada; e Aécio, que estava recluso em casa após o afastamento do Senado, agora pode desfrutar melhor a liberdade, sem perigo inclusive de ter o mandato cassado pelo Senado. Em compensação, prossegue a caçada a Lula, contra quem não há nenhuma acusação de roubar nada, nem um alfinete, mas os procuradores da Lava-Jato, à falta de provas, decidiram criminalizá-lo por NÃO ser dono do tríplex do Guarujá, nem do sitio de Atibaia.

O adiamento do julgamento sobre o pedido de prisão de Aécio, sem justificativa convincente e sem previsão de data para ser retomado, parece confirmar, mais uma vez, a sua blindagem no Supremo. O mineirinho, pelo visto, tem muito poder. Não adianta grampear seus telefones, gravar conversas comprometedoras; não adianta filmar o recebimento de malas de dinheiro, nada disso tem qualquer validade quando se trata do senador mineiro. Se esses flagrantes fossem contra Lula o ex-torneiro mecânico já teria sido até fuzilado, se aqui existisse pena de morte. O tucano, porém, pelo visto pode continuar "enchendo o saco" dos empresários com seus pedidos de dinheiro, pode achacar a vontade o dono da JBS, que não haverá nenhum problema. Afinal, o corrupto mesmo é o Joesley, que terá de pagar muito caro por ter tido a ousadia de acusar um presidente honesto como Temer. Criminoso, mesmo, é todo aquele que fica manchando a honra de Michel Miguel com acusações "falsas", mesmo gravadas.

Na verdade, depois que essa mesma turma do STF manteve à semana passada a prisão de Andréia Neves, ninguém esperava esse desfecho da sua sessão desta terça-feira. Além de mudar radicalmente a decisão anterior, os ministros ainda deixaram para outra oportunidade – ninguém sabe quando – o julgamento de Aécio. Diante disso, não parece muito difícil prever a sua absolvição, quando do seu julgamento, ou, no mínimo, prisão domiciliar, que ele já vem treinando. Acreditava-se que o mineirinho seria o terceiro dos principais articuladores do golpe que derrubou a presidenta Dilma Roussef a parar na cadeia: já estão lá Eduardo Cunha e Henrique Alves. É claro que ainda existem outros em liberdade, como Michel Temer, Eliseu Padilha, Moreira Franco e Romero Jucá, mas a prisão dos dois não decorreu da sua participação no golpe: eles foram para trás das grades porque suas proezas com o dinheiro público, que imaginaram estivessem bem escondidas, foram descobertas, fazendo cair a máscara de vestal com que enganaram quase metade da população. Pelos mesmos motivos outros conspiradores deverão seguir, mais cedo ou mais tarde, o mesmo caminho.

Os membros destacados da República de Corruptos que se instalou no país a partir do impeachment de Dilma, sob o comando de Temer, certamente desconheciam o que disse, 700 anos antes do Cristo, o grande filósofo grego Sócrates: "Não basta parecer honesto. É preciso ser honesto!" Mas apesar das enormes dificuldades representadas por parlamentares comprometidos com esse governo apodrecido, pela mídia que o apoia e pelo estranho comportamento do Judiciário, a sociedade vai gradativamente expelindo esse pessoal, através de movimentos peristálticos incontroláveis. O povo nas ruas e nas redes sociais exerce o seu direito de pressão para que o Brasil se liberte dessa quadrilha que tomou conta do poder e possa, enfim, retomar a trajetória interrompida em maio do ano passado, voltando a crescer, a gerar novos empregos e a reocupar seu lugar no concerto das nações. Para isso, porém, todos sabem, hoje até FHC, que é preciso realizar eleições diretas já, porque a demora vai permitir que Temer e sua turma concluam a tarefa de destruir o país, retirando direitos dos trabalhadores, aumentando a pobreza e entregando nossas riquezas naturais, particularmente o petróleo, ao capital estrangeiro. Estão matando a nossa soberania e, com ela, a alma nacional. E o Supremo assiste a tudo de camarote...

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247