Não, não é Temer o vampiro escolhido!

Hoje, o comando do Golpe Institucional no Brasil tem como pano de fundo motivações externas. Ele se consolida mediante uma classe política medíocre, subserviente aos interesses americanos, corrupta por formação e entreguista por vocação

Rio de Janeiro - RJ, 18/08/2016. Presidente em Exercício Michel Temer, durante reunião de Balanço dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Foto: Beto Barata/PR
Rio de Janeiro - RJ, 18/08/2016. Presidente em Exercício Michel Temer, durante reunião de Balanço dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Foto: Beto Barata/PR (Foto: David Nogueira)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

1. Não, não é Temer o vampiro escolhido!

Há um princípio no ilusionismo que ensina o seguinte: quanto mais você olha para as mãos do mágico, menor será a tua capacidade em ver algo. Quanto mais perto estiveres, menor tua habilidade de percepção da realidade. Ao ser direcionado para a posição próxima ao objeto, você estará olhando exatamente para onde o ilusionista quer que você fixe a "atenta" visão. Nesse momento, com a outra mão livre para agir, o mágico executa, com tranquilidade e perfeição, aquilo que realmente quer fazer. O resultado, na maioria das vezes, é a surpresa... o inusitado. Algo não previsto pelo cidadão.

2. Poder aparente e Poder real

Onde está historicamente estacionado o Poder no Estado Brasileiro? É muita ingenuidade e ilusão nossa pensar que ele (o poder) esteja no Congresso, no Executivo ou, muito menos, no Judiciário. O poder está onde circula o grande capital (nacional e internacional). É ele quem direciona as políticas importantes do país, por mais que a figura A ou B tente implementar caminhos diferentes. Alguns avanços, certamente, podem ser articulados, no entanto, isso depende de muitos fatores. Entre os mais importantes, destacamos a capacidade do setor rentista em amealhar dinheiro.

3. O financiamento da política gera novos patrões

Hoje, o comando do Golpe Institucional no Brasil tem como pano de fundo motivações externas. Ele se consolida mediante uma classe política medíocre, subserviente aos interesses americanos, corrupta por formação e entreguista por vocação. Apoia-se num Judiciário covarde, politicamente comprometido com esse nebuloso setor e, simultaneamente, articulado com uma mídia serviçal e dependente.

4. Pré-Sal, PCL...

O Sistema de Partilhas na exploração do Pré-Sal da bacia marítima brasileira foi a gota de água que faltava para o "Poder" exigir novos caminhos no "quintal" tupiniquim. Ali está a maior reserva de petróleo descoberta no mundo neste século (centenas de bilhões de dólares). As grandes corporações americanas ficaram de fora desse processo e querem o que "lhes pertence"!!! É só ver a lambança causada pelas disputas do "ouro negro" pelo mundo para imaginar a capacidade de reação dessa gente diante de nossa ousadia em querer tal riqueza a serviço de um projeto novo de nação. Segundo a FGV, nos próximos 30 anos, de forma direta, indireta e informal, mais de 80 milhões de empregos terão como causa o setor petrolífero. A Política de Conteúdo Local (PCL), por outro lado, é uma revolução dentro do país em sua capacidade em produzir tecnologia, gerar empregos especializados e aumentar a arrecadação de impostos. Os imensos recursos advindos dessa atividade econômica (com altos e baixos) permitirão, prioritariamente, melhorias significativas nas áreas da educação e da saúde. Em outras palavras, o Brasil estava em um processo revolucionário de expansão, com significativa e paulatina distribuição de renda. Isso se tornou algo inaceitável para a nossa burguesia burra e subserviente, além de intolerável para o capital internacional.

5. A eleição indireta por um Congresso reconhecidamente corrupto

Vivemos sob a égide do mais conservador, tolo, incompetente e despreparado Congresso de nossa história. Ele é manipulável com imensa facilidade (alguns membros nem escondem isso), pelas forças sedutoras do grande capital. Afastar Dilma do Poder (e o projeto político representado por ela) exige dois passos importantes neste momento, a saber: a) consolidar o Golpe dentro do Congresso; b) construir uma saída mais palatável para o mundo exterior. Deposta a Presidenta, criam-se as condições objetivas para a degola de Temer por falta de representatividade, prestígio, incompetência e rejeição social. Na virada do ano, com menos de dois anos para o término do atual mandato, o Congresso é chamado a eleger um novo presidente... Epílogo de uma novela patética. Surge, então, um novo "Salvador da Pátria". Com a missão de agregar o país, num grande esforço de união nacional, a solução emergirá do Legislativo Nacional Brasiliense (amplamente financiando por essas empresas...). Imaginem quem um Congresso com aquele perfil bandido e corrupto elegerá para tal missão e a serviço de quais interesses???

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email