"Não vamos dar conta": Porto Feliz, a capital da cloroquina, tem explosão de mortes por covid

Joaquim de Carvalho esteve em Porto Feliz, para produzir o documentário sobre a cloroquina, e encontrou um quadro assustador: em três dias, quatro pessoas morreram e uma foi enterrada por volta da meia-noite

Prefeito e Porto Feliz e Luciano Hang (foto: prefeitura de Porto Feliz)
Prefeito e Porto Feliz e Luciano Hang (foto: prefeitura de Porto Feliz) (Foto: Prefeito e Porto Feliz e Luciano Hang (foto: prefeitura de Porto Feliz))
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

As mortes por covid-19 em Porto Feliz, no interior de São Paulo, explodiram e confirmam a ineficácia da cloroquina, ivermectina e outros remédios que Bolsonaro e seus apoiadores recomendam desde março do ano passado.

O prefeito da cidade, Cássio Prado (PTB), que é médico, adotou o kit covid como política pública de saúde. 

Desde abril dono passado, os medicamentos são oferecidos a todas as pessoas com suspeita de infecção por coronavírus que buscam atendimento na rede pública.

PUBLICIDADE

Além disso, nos meses que antecederam a eleição, o prefeito mandou distribuir comprimidos de ivermectiva em dois bairros da cidade, pobres e populosos

No segundo semestre do ano passado, a rede bolsonarista espalhou a notícia falsa de que Porto Feliz era uma cidade sem óbitos por coronavírus.

O bilionário Carlos Wizard visitou Porto Feliz em junho, já se apresentando como secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Ministério da Saúde, na gestão de Eduardo Pazuello.

PUBLICIDADE

Após o encontro com o prefeito, mentiu à imprensa que a cidade não tinha tido nenhuma morte por covid-19.

“Precisa ter mais evidência do que uma cidade com 75 mil habitantes, com mais de 500 infectados e sem nenhum óbito?”, comentou.

A cidade tem 52 mil habitantes e já naquela época 60 casos confirmados e três óbitos pela doença.

PUBLICIDADE

Uma cidade vizinha, Salto, com o dobro da população, tinha registrado apenas uma morte, o que jogava por terra o argumento de Wizard.

Wizard, o prefeito de Porto Feliz e equipe (foto:prefeitura de Porto Feliz)
Wizard, o prefeito de Porto Feliz e equipe (foto:prefeitura de Porto Feliz)(Photo: Wizard, o prefeito de Porto Feliz e equipe (foto:prefeitura de Porto Feliz))Wizard, o prefeito de Porto Feliz e equipe (foto:prefeitura de Porto Feliz)


Ainda assim, Porto Feliz continuou sendo apresentada por bolsonaristas como exemplo de que o tratamento precoce funciona.

Em janeiro, o prefeito recebeu a visita de outro bilionário, Luciano Hang, que também elogiou o modelo de tratamento adotado na cidade.

Nesta semana, quando estive lá para produzir o documentário sobre a cloroquina, o clima era tenso em razão da explosão de casos e mortes.

Na terça-feira à noite, uma mulher de 40 anos morreu e foi sepultada por volta das meia-noite. Na manhã de quarta-feira, outra mulher faleceu de covid-19. Ela tinha 80 anos. 

Há três semanas, o marido dela já tinha sido enterrado com a doença e a filha do casal se encontra internada em estado grave no hospital de uma cidade vizinha.

Nesta sexta-feira, mais duas pessoas morreram, e o número de óbitos chegou a 101 — 21 a mais que o de Tietê, cidade a 20 quilômetros, que tem 42 mil habitantes.

O prefeito Cássio, muito falante no ano passado, não deu entrevista ao 247. 

No passado, foi elogiado em live por Bolsnaro e deu entrevistas aos jornalistas bolsonaristas Alexandre Garcia e Leda Nagle.

O presidente da Câmara, Marcelo Pacheco, que também é médico, aliado do prefeito e irmão do vice, teve um áudio vazado em que fala da situação dramática de Porto Feliz.

“Você não tem ideia de como está lá. Ficou lá no hospital, mas este final de semana piorou mais ainda.O hospital está praticamente lotado só de paciente com covid. Este mês de junho vai ser difícil. Acho que não vamos dar conta no hospital, não. Você fala para o pessoal da sua família, para o pessoal ficar tudo quietinho aí, este mês, para não ter problema, porque não vai ter vaga em lugar nenhum”, afirma.

Eu o procurei por telefone. O presidente da Câmara confirmou o áudio e, quando me identifiquei como jornalista, pediu que ligasse mais tarde. Foi o que fiz, mas ele não atendeu.

A farsa da cloroquina em Porto Feliz será um dos capítulos do documentário, que mostrará o caso do senhor Antônio Silva, que tomou ivermectina que a agente de saúde da Prefeitura levava na porta da casa dele, duas vezes por mês.

Há alguns meses, ele foi sepultado no cemitério Novo, um dos dois de Porto Feliz. “Não funcionou”, disse uma das filhas sobre o efeito do tratamento precoce.

Nicolau, que mora em uma chácara e recebeu o kit covid, também morreu. Perguntado se processaria a prefeitura, o filho respondeu. “Não adianta, não vai trazer ele de volta”.

Em Porto Feliz, é comum encontrar pessoas na rua sem usar máscara, e grandes aglomerações se formaram na feira livre que se realizou na noite de quarta-feira.

O prefeito foi reeleito com cerca de 92% dos votos, depois da intensa distribuição de remédio ineficaz contra a covid-19 e do apoio de bolsonaristas como Wizard.

Em vídeo, o bilionário disse que ninguém morreria de covid-19 em Porto Feliz (veja abaixo).

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email