Nas entranhas do monstro: conhecendo por dentro a milícia neonazista da Ucrânia

O tal Batalhão Azov é considerado o mais importante dos grupos neonazistas formados no bojo do golpe de Estado de 2014

www.brasil247.com -
(Foto: Valentyn Ogirenko / Reuters)


Com o acirramento do conflito armado na Ucrânia, a população civil de vários lugares da região leste do país está sofrendo as agruras da guerra sem encontrar meios para evadir.

Parece que as forças russas que ingressaram no território ucraniano não estão dispostas a se retirar sem antes exterminar aqueles que elas consideram os principais responsáveis pela perseguição atroz desfechada contra as comunidades de etnia majoritariamente russa daquela região.

Nomeadamente, está mais do que evidente que os russos não pretendem recuar ou entrar em um cessar-fogo sem que as tropas do conhecido Batalhão Azov tenham sido completamente aniquiladas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O tal Batalhão Azov é considerado o mais importante dos grupos neonazistas formados no bojo do golpe de Estado de 2014, que depôs o presidente eleito e deu início a esta fase de beligerância em que a Ucrânia se vê envolvida.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os contingentes armados do Batalhão Azov têm exercido um papel chave na tentativa de contenção da população da região conhecida como Donbass, onde a esmagadora maioria é composta por gente de etnia e língua russas.

Como os integrantes do Batalhão Azov sabem que eles são o objetivo central das forças russas, e como também sabem que há um grande nível de identificação entre a população local e os soldados russos que ingressaram naquela parte do país, eles consideram que uma das maneiras de poder escapar do cerco a que estão submetidos é manter junto a si a população civil que eles estavam incumbidos de controlar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por isso, está sendo muito difícil concretizar qualquer acordo que permita uma evacuação de civis. Não há muitas dúvidas de que, sem contar com os civis para funcionar como escudos, o Batalhão Azov seria arrasado em pouco tempo.

E o que sabemos sobre o Batalhão Azov? Alguns dizem que é uma força tipicamente neonazista, outros consideram-no um agrupamento de verdadeiros heróis da nação ucraniana. Na busca de respostas para a pergunta posta, seria sensato procurar amparo em fontes que pudessem ser consideradas isentas para emitir opiniões a este respeito.

Portanto, vamos dedicar atenção ao documentário deste vídeo produzido por um jornalista dos Estados Unidos, um país para nada inimigo da Ucrânia surgida a partir de 2014, para a revista Time, que jamais poderia ser tachada de pró-russa, ou esquerdista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No final, vamos entender porque a Ucrânia se tornou um referente para as forças neonazistas de todo o mundo, inclusive aqui no Brasil.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email