Nazismo de esquerda? Só para os mentecaptos

Assim como nunca devemos julgar um livro pela capa, jamais devemos julgar um partido pela sua nomenclatura. Normalmente, não passam de signos vazios, com o intuito de criar identificação por parte de determinados apoiadores. Vejamos, por exemplo, no Brasil, o PSDB. Carrega o nome de social democracia no nome, enquanto pratica seu exato oposto: o neoliberalismo.

Assim como nunca devemos julgar um livro pela capa, jamais devemos julgar um partido pela sua nomenclatura. Normalmente, não passam de signos vazios, com o intuito de criar identificação por parte de determinados apoiadores. Vejamos, por exemplo, no Brasil, o PSDB. Carrega o nome de social democracia no nome, enquanto pratica seu exato oposto: o neoliberalismo.
Assim como nunca devemos julgar um livro pela capa, jamais devemos julgar um partido pela sua nomenclatura. Normalmente, não passam de signos vazios, com o intuito de criar identificação por parte de determinados apoiadores. Vejamos, por exemplo, no Brasil, o PSDB. Carrega o nome de social democracia no nome, enquanto pratica seu exato oposto: o neoliberalismo. (Foto: Guilherme Coutinho)

Hitler odiava os comunistas. Em seu livro Mein Kampf , editado na prisão, em 1926, ele já citava o comunismo como “um perigo judeu” e afirmava  que o marxismo era  o problema mais importante que confrontava a Alemanha à época. Em 1941, já durante a Segunda Guerra Mundial, a Alemanha Nazista invadiu a União Soviética, violando o pacto de Não Agressão Molotov-Ribbentrop, e iniciou a sangrenta guerra que culminaria com a vitória do Exército Vermelho sobre o Exército Nazista.  Durante o confronto, morreram cerca de 24 milhões de soviéticos (entre civis e militares), número superior às mortes de americanos, franceses, britânicos e chineses somadas, durante toda a Guerra.

O ódio de Hitler foi diretamente transferido para a ideologia que criara. Karl Marx, que mais tarde se declarou ateu, era de uma família judia alemã, o que gerava ojeriza por parte dos nazistas. Existem ainda diferenças conceituais muito evidentes entre o comunismo e o nazismo: enquanto o primeiro pregava uma sociedade livre de divisões e apátrida, o segundo era apoiado na hierarquia de classes raciais e era ultranacionalista. Não existe absolutamente nada que ligaria nem de longe o nazismo ao comunismo ou à esquerda, exceto o nome do Partido Nazista: Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães. 

Assim como nunca devemos julgar um livro pela capa, jamais devemos julgar um partido pela sua nomenclatura. Normalmente, não passam de signos vazios, com o intuito de criar identificação por parte de determinados apoiadores. Vejamos, por exemplo, no Brasil, o PSDB. Carrega o nome de social democracia no nome, enquanto pratica seu exato oposto: o neoliberalismo. Com o Partido Nazista, a lógica foi a mesma: foi cunhada a expressão “Nacional Socialismo” para atrair a atenção da classe trabalhadora alemã. Mas o partido, em todas suas ações, era de extrema-direita e continua sendo a grande referência desse espectro ideológico nos dias atuais.  

 Podemos fazer o teste com a maioria dos partidos, no Brasil e no exterior. Os nomes soam como siglas vãs que não dizem nada frente à atuação das agremiações (DEM, PSB, PSC, PMB etc). A afirmação de que o nazismo é uma ideologia de esquerda só pode estar relacionada à completa falta de informação ou por uma absoluta escassez de discernimento. Uma discussão que não deveria sequer ter começado, mas já que começou que se tenha um fim: o nazismo não é de esquerda. Este conceito fica para o lado de lá, bem no fim da linha. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247