No day after, a cabeça de Dilma como prato principal

O eleitorado pró Aécio não se contenta com a derrota obtida nas urnas e, poucas horas após o resultado, já pede a cabeça da presidenta numa bandeja. Prato esse muito apreciado pela nossa direita há certo tempo

O eleitorado pró Aécio não se contenta com a derrota obtida nas urnas e, poucas horas após o resultado, já pede a cabeça da presidenta numa bandeja. Prato esse muito apreciado pela nossa direita há certo tempo
O eleitorado pró Aécio não se contenta com a derrota obtida nas urnas e, poucas horas após o resultado, já pede a cabeça da presidenta numa bandeja. Prato esse muito apreciado pela nossa direita há certo tempo (Foto: João Paulo Antonini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Após a onda denominada "alternância de poder", a nova que surge em mar agitado é o impeachment da presidenta reeleita Dilma Rousseff.

O eleitorado pró Aécio não se contenta com a derrota obtida nas urnas e, poucas horas após o resultado, já pede a cabeça da presidenta numa bandeja. Prato esse muito apreciado pela nossa direita há certo tempo.

Saudosistas pela ditadura militar, a direita não cansa de agredir. Mesmo vivendo numa democracia, em que a maioria dos votos elege um representante, repetem aos ventos que vivemos numa ditadura petista, semelhante à cubana ou mesmo à venezuelana, sem saberem que a Venezuela é uma democracia.

O que também não sabem é que há uma lei federal sobre o impeachment (Lei nº 1.079 de 10 de Abril de 1950) e que, até agora, Dilma Rousseff não se enquadra em nenhum dos pré-requisitos para sofrer uma moção de censura.

Pra quem disse que só desinformados votam em candidatos do PT, essa onda mais parece uma chacoalhada num copo com água.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247