Novo ataque de Bolsonaro ao STF foi feito na presença do presidente da Câmara, o omisso Arthur Lira (vídeo)

Bolsonaro chamou ministros de "surdos de capa preta" e convocou militantes para irem à rua, ameaça feita na presenca de quem tem poder de iniciar o impeachment

www.brasil247.com - STF e o deputado Arthur Lira
STF e o deputado Arthur Lira (Foto: Reuters)


Jair Bolsonaro cruzou o sinal vermelho mais uma vez, ao atacar o STF, durante convenção em que sua candidatura à reeleição pelo PLfoi oficializada.

"Estes poucos surdos de capa preta têm que entender o que é a voz do povo. Têm que entender que quem faz as leis é o poder Executivo e o poder Legislativo. Todos têm que jogar dentro das quatro linhas da Constituição. Interessa para todos nós. Não queremos o Brasil dominado por outra potência. O que nós queremos é paz e tranquilidade, respeito à Constituição, respeito às leis, interdependência entre os poderes, harmonia. Isso não é fácil, mas quem tem que dar o norte para nós é o povo brasileiro. Tenho certeza que aquilo que vocês querem será atingido”, disse.

Bolsonaro convocou seus militantes a irem para as ruas "pela última vez", em 7 de setembro.

A fala de Bolsonaro foi feita na presença do presidente da Câmara, Arthur Lira, que engavetou todos os pedidos de impeachment de Bolsonaro, inclusive os que acusam o presidente de cometer crime de responsabilidade ao atentar contra o livre exercício do Poder Judiciário.

Arthur Lira é do PP, mas compareceu à convenção do PL para demonstrar o apoio a Bolsonaro, que o chamou de “velho amigo”.

O locutor anunciou a presença do presidente da Câmara nos seguintes termos:

“A gente pode contar com um grande companheiro aliado, que agora recebe o carinho de cada um de vocês, o presidente da Câmara, Arthur Lira. Você é um parceiro do presidente Bolsonaro”.

Também estava presente na convenção o deputado federal Daniel Silveira, do PTB, que foi ovacionado.

Ele foi condenado pelo STF por ameaçar ministros e defender o assassinato de pelo menos um deles, Alexandre de Moraes. Silveira, no entanto, recebeu indulto do próprio presidente.

O discurso de Bolsonaro tem potencial para abrir mais uma crise entre instituições e choca por representar tentativa de intimidação de juízes, que terão por prerrogativa garantir que as eleições de outubro sejam realizadas num ambiente civilizado e de respeito às leis.

Uma crise que conta com o silêncio cúmplice de Arthur Lira, o “parceiro de Bolsonaro”.

Veja o vídeo:

 

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247