O Bezerro de Ouro dos Tolos

Na minha opinião, somente as ruas mudam este quadro. Enquanto a esquerda continuar apontando dedos, não repensar seu erros, entre eles ter nomeado os piores juízes que este STF já teve antes do Alexandre de Moraes que é "Hors Concours"...

O Bezerro de Ouro dos Tolos
O Bezerro de Ouro dos Tolos

Nos conta a Biblia de que Moisés havia subido no Monte Sinai para falar com Deus. O povo cansado de esperar por seu retorno a achando que ter saído do Egito poderia ter sido uma má ideia, forçam Arão a criar um ídolo e assim forjam um Bezerro de Ouro para adoração.

Moisés retorna com os Dez Mandamentos e revoltado com o povo quebra a pedra com os 10 Mandamentos, dá um esporro geral, detona o Bezerro e coloca ordem na casa.

Eu sempre achei esta história interessante por diversos aspectos e gostaria de compartilhar com quem me lê.

A figura de Moisés é singular. Adotado pela rainha ele foi criado como um egípcio e até descobrir sua verdadeira origem, agiu como tal. Mas aconteceu e um belo ele descobre que é judeu.

Os judeus viviam inicialmente livres no Egito mas acabaram sendo transformados em escravos, mão de obra para construções. Como nada que está ruim não possa piorar, um decreto do Faraó mandou matar todos os bebês nascidos do sexo masculino. Incapaz de cometer tal ato sua mãe o entrega a Miriam, sua irmã mais velha que o coloca em uma cesta no Rio Nilo. Ele é achado pela rainha que passa a criá-lo.

Ao se descobrir judeu, Moisés percebe que a vida para ele e seu povo não vai melhorar nada. Um dia falando com Deus ele é convocado a tirar os judeus do Egito e levá-los para Israel, um terra que lhes é prometida. Depois de muita briga e 10 pragas, finalmente o Faraó resolve libertar o povo judeu e eles para não dar chance ao azar, partem rapidamente esquecendo de levar farinha para fazerem pão, mas isso é outra história.

O Faraó de fato se arrepende e sai em perseguição aos judeus para trazê-los de volta. Na fuga Moisés consegue abrir uma passagem pelo mar, os judeus chegam do outro lado, mas o exército egípcio que os perseguia acaba sendo engolido pelas águas.

Os judeus começam a sua saga em direção a Terra Prometida, o que não foi fácil. Então acontece o episódio do Bezerro de Ouro e como castigo, são condenados a vagar por 40 anos no deserto para que uma nova geração de libertos nasça e seja ela a entrar na Terra Prometida.

Independentemente de se tratar de uma história verídica, ou não, afinal não existe nenhuma prova destes acontecimentos, a figura de Moisés é o centro de tudo.

Moisés ao conhecer sua origem, imediatamente passou a defender o povo judeu e seu direito de ser um povo livre. Esta luta pela liberdade e a conquista de um lugar que pudessem chamar de sua nação é épica e nós a repetimos todos os anos na nossa páscoa para que todo judeu saiba que um dia fomos escravos e lutamos por nossa liberdade como um exemplo para todos os povos.

Ele foi o responsável pelas primeiras leis escritas e normas de civilidade com os 10 Mandamentos. Pela primeira vez um povo passa a ter um dia de descanso. Não matar e não roubar passam a ser preceitos básicos, coisa que não acontecia até então. Estas leis passam a dar um sentido de civilidade a humanidade.

Muita coisa aconteceu desde então, mas como seres humanos, nos custou muito colocar em prática coisas tão simples como estas.

No Brasil de hoje o povo recebeu um novo Bezerro de Ouro para adoração. Uma elite ultrajada com a perda de sua supremacia racial, inconformada com as conquistas das castas inferiores e sobretudo incomodada com a concorrência e convivência nas universidades, aeroportos e supermercados, deu ao populacho um símbolo para idolatrarem.

Assim como o Bezerro de Ouro, este novo ídolo veio incumbido de dar ao povo um sentido de participação nos destinos da nação, seja lá qual destino cada um entendeu para si. O fato é que a maioria das pessoas foi levada a crer que ele vai trazer felicidade e desenvolvimento e que na próxima Copa do Mundo vamos fazer 8 X 0 na Alemanha.

Mais provável que o futuro resultado deste hipotético jogo, é a tragédia que está desabando sobre o país. Estamos com um ministério de uma República das Bananas, me desculpem as bananas. Ministros de uma mediocridade nunca vista, com uma verborragia vergonhosa que se supera a cada dia.

Este Bezerro ungido presidente é de longe, incomparável ao que de pior o Brasil já teve a frente de um governo. Ele é tão ruim que a mídia golpista já se pergunta como chegamos neste ponto e como vamos sair disso. Isso tudo com menos de 100 dias.

Na minha opinião, somente as ruas mudam este quadro. Enquanto a esquerda continuar apontando dedos, não repensar seu erros, entre eles ter nomeado os piores juízes que este STF já teve antes do Alexandre de Moraes que é "Hors Concours" e não ter aparelhado devidamente o estado como faz muito bem a direita, ter sido complacente com a bandalheira entre tantas outras burrices, o Brasil não vai tomar jeito.

As ruas agora são dos blocos de carnaval, depois disso precisam ser ocupadas para derrubar este Bezerro. Sem o clamor das ruas nada vai acontecer de bom e nada salva o país de retrocessos históricos e da perda de árduas conquistas sociais populares.

Este é um Bezerro de Ouro feito com Ouro dos Tolos.

 

Conheça a TV 247

Mais de Blog

blog

Bom dia, companheiro Lula!

Se você achar mais prudente, saia daí desse lugar que não é teu, vem cá para fora que todos nós já estamos incomodados com a tua ausência, tua vibração, tua esperança, tua bondade, tua graça e tua...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247