O Brasil precisa de você para combater o fascismo

Não se trata de apoiar o PT. Nessas eleições, quem não combater os fascistas estará se juntando a eles. Escolha seu lado com sabedoria

O Brasil precisa de você para combater o fascismo
O Brasil precisa de você para combater o fascismo

O fascismo já chegou. Faltando apenas 3 dias para as eleições, as campanhas não escondem mais o caráter bárbaro em seu conteúdo. O ódio de classes, insuflado ao limite pelos meios de comunicação de massa no último quadriênio, fizeram o brasileiro médio revelar seu lado mais desumano, apoiando campanhas e candidatos que fariam Benito Mussolini e Francisco Franco parecerem democratas. A morte utilizada como puxa-votos não surpreende mais. Apenas na última quarta-feira vimos o Dória prometer licença para matar aos policiais de SP e candidato a deputado carioca comemorando o assassinato brutal de Meirielle Franco. O fascismo não pode mais ser evitado, pois já está entre nós. Ele tem que ser combatido. A chance de mantermos alguma conexão com a democracia e com os direitos Humanos será nas urnas. E se você não for parte da solução, será parte do problema.

Diante do risco extremo que corremos, não existe mais uma posição intermediária. O risco de o atraso triunfar, aniquilando de vez uma democracia já sequestrada com a deposição de Dilma há dois anos, derrubou o muro, em cujo topo repousavam aqueles sem coragem de assumir uma posição. A partir de agora, o papel de cada eleitor é excludente. Ou ajuda a derrubar o fascismo, apoiando um projeto democrático com viabilidade eleitoral, ou estará sendo responsável pela sua institucionalização com a eleição de Bolsonaro, seu discurso de ódio e a ameaça que representa à nação como a conhecemos hoje. Ainda que seja por inércia.

A probabilidade de haver segundo turno é muito alta. Os números das pesquisas começam a indicar que o candidato do PT, Fernando Haddad, será mesmo o adversário do fascismo na fase final das eleições. Para o bem da nação, Haddad deverá reunir não apenas os votos dos petistas no segundo turno. Todos aqueles que rechaçam o racismo, a misoginia, a homofobia e o autoritarismo, todos aqueles não endossam a violência estatal e prezam pela democracia, e todos aqueles que privilegiam a humanidade em detrimento da barbárie tem a obrigação cívica e moral de digitar 13 nas urnas, sem jamais cogitar, inclusive, anular o voto. Não se trata de apoiar o PT. Nessas eleições, quem não combater os fascistas estará se juntando a eles. Escolha seu lado com sabedoria.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247