O fascismo nos tomou de assalto

Desde 2014 com a vitória legítima de Dilma nas urnas e o inconformismo de Aécio e seus asseclas, que não aceitaram a escolha democrática e soberana da maioria da população brasileira, deu-se início ao processo que nos traria a esta situação esdrúxula em que nos encontramos, onde até mesmo a suprema corte do país resolve jogar no lixo a constituição federal de 1988

Desde 2014 com a vitória legítima de Dilma nas urnas e o inconformismo de Aécio e seus asseclas, que não aceitaram a escolha democrática e soberana da maioria da população brasileira, deu-se início ao processo que nos traria a esta situação esdrúxula em que nos encontramos, onde até mesmo a suprema corte do país resolve jogar no lixo a constituição federal de 1988
Desde 2014 com a vitória legítima de Dilma nas urnas e o inconformismo de Aécio e seus asseclas, que não aceitaram a escolha democrática e soberana da maioria da população brasileira, deu-se início ao processo que nos traria a esta situação esdrúxula em que nos encontramos, onde até mesmo a suprema corte do país resolve jogar no lixo a constituição federal de 1988 (Foto: Alexandre Rangel)

O fascismo saiu do armário. Manuela D’ávila disse isso logo após o atentado à bala que sofreu a caravana do presidente LULA no Paraná, e ela mesmo sofreu com os atos fascistas, quando estava no acampamento de resistência em frente à polícia federal em Curitiba, para prestar sua solidariedade ao presidente Lula, e um dos fascitoides bolsominions se aproximou e pediu para fazer uma selfie com a deputada e de chofre soltou um grito de apupo para o herói daqueles que se comportam como cachorros loucos, e por não entenderem o que de fato está acontecendo com o Brasil, acreditam que o deputado federal que está há 30 anos mamando nas tetas do estado, poderá tirar de sua cabeça vazia e desprovida de ideias e projetos para o país, alguma solução mágica para melhorar de fato as suas vidas.

E não se pode deixar de relatar que o tal fascitoide da selfie, após o ato “corajoso” foi escoltado pelos policias que ali estavam e em seguida entrou alegre e faceiro no prédio da polícia federal.

Desde 2014 com a vitória legítima de Dilma nas urnas e o inconformismo de Aécio e seus asseclas, que não aceitaram a escolha democrática e soberana da maioria da população brasileira, deu-se início ao processo que nos traria a esta situação esdrúxula em que nos encontramos, onde até mesmo a suprema corte do país resolve jogar no lixo a constituição federal de 1988, constituição que por esta corte deveria ser protegida.

Cunha o maior criminoso que já se instalou na câmara federal, ao sentir que a casa iria cair após a delação “premiada” de Lucio Funaro, operador do PMDB e comparsa de Cunha no golpe contra o FGTS. E essa acusação se juntou a outras acusações: esquema de corrupção na caixa econômica federal; esquema de propinas na Petrobras; etc.

Pois foi esse criminoso que presidiu, perseguiu, chantageou e pressionou os deputados e senadores para impor o impeachment da presidenta Dilma Roussef a primeira mulher a assumir pelo voto de milhões de brasileiros a presidência da república. Lembrando que ela não cometeu nenhum crime que justificasse a ação desencadeada pelos verdadeiros criminosos que até hoje se abancam no congresso nacional.

Mas, como disse “EssaPorra” Jucá, era necessário se fazer um grande acordo com o STF e tudo, afinal, a sangria precisava ser estancada, e com Dilma na presidência isso não seria possível. Então, salve Michel.        

No dia do “julgamento” do impeachment, Dilma que já havia sido avisada pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin que deixou bem claro para a presidenta que o deep state norte-americano estava preparando o golpe que colocaria no poder a ditadura de toga da 1ª instância, e agora colocado definitivamente ás claras pelo ministro Gilmar Mendes em seu voto na HC de Palocci: “vertentes que pretendem restringir o habeas corpus, limitar o habeas corpus estão, obviamente, fazendo rima com o AI-5”.

Mas, a direção e os conselheiros jurídicos do PT preferiam continuar acreditando que as instituições ainda estavam valendo no país dos banguelas amantes do “judge” Moro e de Bolsonaro. Foram abrindo espaço para a ditadura togada tomar de assalto a democracia e a esperança dos brasileiros que tem em Lula um líder capaz de desmanchar todos os desmandos efetuados pela quadrilha comandada por Cunha/Temer/PSDB. Quadrilha esta que agora entrega todas as nossas riquezas, nos devolvendo para a era pré-Vargas.

Atualmente nem Lula e nem mesmo o Brasil estão em seus melhores momentos. Lula perdeu o sossego, a companheira de vida, amigos que ou estão presos ou perseguidos, e seu nome foi emporcalhado por uma série sem fim de calúnias. E, finalmente perdeu a própria liberdade. 

Lula nos levou á condição de 6ª economia do mundo, colocou o Brasil entre os países respeitados pela sua pujança, tirou milhões de pessoas da miséria absoluta, tirou o Brasil do mapa da fome, foi aclamado como um dos maiores líderes, senão, o maior líder popular do mundo, causou inveja nas velhas raposas políticas que nunca conseguiram o nível de aprovação que o metalúrgico, pobre e nordestino alcançou e mantém. Com Lula o Brasil construiu escolas, faculdades, hospitais, estradas, portos, navios, plataformas de petróleo, aviões e desenvolveu projetos audaciosos de erradicação da miséria e distribuição de renda.

A ditadura da toga na quinta-feira (05/4/18) através da sanha persecutória da república de Curitiba ordenou que Lula se entregasse até às 17h00min da sexta-feira.

Lula dirigiu-se ao sindicato dos metalúrgicos do ABC em São Bernardo do Campo, onde no final dos anos 1970 iniciou a jornada que o levaria muitos anos depois à presidência do país.

E lá na sede do sindicato, então cercada por uma multidão que se agigantava desde a noite de quinta-feira, logo após a divulgação da ordem de prisão expedida em tempo recorde, nunca visto antes na história desse país, Lula sempre ladeado por outras lideranças do PT, PSOL, PCdoB, PCO, MST, MTST, jornalistas, artistas e, lógico, pelo povo que já não admitia ver seu líder encarcerado, continuavam as reuniões para decidir se o presidente Lula devia ou não se entregar ao juiz Sérgio Moro.

No sábado, depois de muitas conversas e negociações e também algumas mentiras proferidas por alguns dos líderes mais próximos de Lula, que ao que parece são membros infiltrados do golpe jurídico-midiático e da guerra híbrida contra o Brasil, decidiu-se pela entrega do ex-presidente, com a alegação de que a continuidade da negação do cumprimento da ordem de prisão levaria à impossibilidade de HC em favor de Lula.

Essa decisão, muito provavelmente foi a mais equivocada de todas as decisões tomadas pelo PT até agora, desde o golpe de 2016. O povo que já se encontrava nas ruas que cercam o sindicato dos metalúrgicos em São Bernardo e a população que já estava se dirigindo para o local da vigília de resistência, estavam prontas para enfrentar tudo e qualquer coisa, tanto, que na primeira tentativa de tirar Lula do sindicato pela polícia, o povo impediu a saída do carro e Lula teve de voltar para as dependências do sindicato.

A tão necessária revolução popular brasileira estava se formando, e os golpistas estavam totalmente sem ação e embasbacados com a força e determinação daquele povo que ali estava a proteger aquele que sem dúvida foi seu melhor presidente. A queda da Bastilha estava pronta para acontecer, a fervura estava bem próxima, mas, as “negociatas” acabaram dobrando a vontade de ferro de Lula, Gleisi, Stédile, Lindbergh, Dilma, Boulos, Manuela, Rui Costa Pimenta, Amorim e com isso, o ex-presidente deixou o sindicato em direção ao Aeroporto e a queda da Bastilha mais uma vez foi adiada.

Lula ainda no avião que estava se preparando para decolar no aeroporto de Congonhas foi abertamente ameaçado por um dos controladores de voo que sugeriu: “joga esse lixo pela janela”. Agora, Lula está preso, impedido de se encontrar com o povo que tanto o ama e que ele também não consegue viver sem.

Em Curitiba o helicóptero que levou Lula até a superintendência da PF foi recebido com rojões e chaveiros de laser que quase provocaram a queda do aparelho. E os manifestantes pró-Lula foram perseguidos de forma vergonhosa pelos policiais federais.

Mas, agora, no país do auxílio moradia para juízes e “desembagruinhos”, onde governadores e senadores são impedidos de visitar e conversar com Lula, o acampamento da resistência em Curitiba, já não representa a mesma força e determinação da vigilância de São Bernardo, os ânimos já se amainaram e a queda da Bastilha já não mais se avizinha.

 

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Jandira Feghali

O massacre como política

Quem deterá o governador Witzel? Com certeza não será sua humanidade, já que comprovou não lhe restar nenhuma. É preciso transformar nossa indignação em protestos e ações institucionais e políticas...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247