O fascismo ronda o país, é preciso detê-lo

Os tiros disparados com intuito de atingir o ex-presidente Lula e demais integrantes da Caravana foram praticados por milícias armadas, ou seja, grupo paramilitar, que são vedados pela Constituição. Ações dessa natureza são expressão do fascismo. Seus autores cometeram crime e devem ser investigados, processados e condenados

Os tiros disparados com intuito de atingir o ex-presidente Lula e demais integrantes da Caravana foram praticados por milícias armadas, ou seja, grupo paramilitar, que são vedados pela Constituição. Ações dessa natureza são expressão do fascismo. Seus autores cometeram crime e devem ser investigados, processados e condenados
Os tiros disparados com intuito de atingir o ex-presidente Lula e demais integrantes da Caravana foram praticados por milícias armadas, ou seja, grupo paramilitar, que são vedados pela Constituição. Ações dessa natureza são expressão do fascismo. Seus autores cometeram crime e devem ser investigados, processados e condenados (Foto: Raimundo Bonfim)

Os tiros disparados com intuito de atingir o ex-presidente Lula e demais integrantes da Caravana foram praticados por milícias armadas, ou seja, grupo paramilitar, que são vedados pela Constituição Federal. 

Ações dessa natureza são expressão do fascismo. Seus autores cometeram crime e devem ser investigados, processados e condenados.

Esse atentado terrorista é uma demonstração da ascensão da cultura do ódio e do fascismo no país. Grupos políticos praticam agressões contra quem pensa diferente, mas sobretudo, contra aqueles que têm posição de esquerda, defendem direitos socais, mulheres, juventude, igualdade racial, LGBT.

Na história da humanidade o fascismo gerou o Estado totalitário, como ocorreu na Itália na Era Mussolini. 

O fascismo num primeiro momento pratica ações de intimidação e humilhação daqueles que  consideram adversários e ao final,  partem para a eliminação física.

Quem atirou em direção ao comboio que acompanhavam a Caravana, teve como objetivo matar quem no interior dos veículos, o  que configura no mínimo tentativa de homicídio.

Antes da II guerra mundial os grupos fascistas na Itália contaram com leniência e apoio das forças de segurança e políticas daquele país. Não é por acaso que a Caravana do ex-presidente Lula, na região Sul do país teve pouca proteção e assistência da polícia estadual, sendo que no Paraná predominou a omissão  das polícias estadual e federal.

Há fortes indícios de que o atentado contra a Caravana e o ex-  presidente Lula, teve a participação de grupos de extrema direita como  o MBL - Movimento Brasil Livre e de pessoas ligadas ao presidenciável Jair Bolsonaro.

Uma prova que esses grupos não têm entre seus objetivos o combate a corrupção, é que não fizeram nenhuma manifestação e ou protestos contra  corrupção,  quando se trata de políticos não petistas, quando os denunciados são de outros partidos, eles se escondem. 

Será o MBL que atua aqui, se equivalem aos Camisas Negras que na Itália pré-fascista atacavam mulheres, jovens, grevistas e outros grupos que se colocavam contra o fascismo? 

Se comprovado a participação do MBL nas ações criminosas, seus financiadores como o Itaú, Ambev e Riachuelo do presidenciável Flávio Rocha terão que ser responsabilizados por patrocinarem grupos fascistas e práticas criminosas. 

Bolsonaro também é culpado, ao estimular ódio e  violência contra o ex- presidente Lula e a esquerda. 

Além da Caravana ter sido alvejada por tiros, toda semana uma pessoa é agredida ou hostilizada em restaurante  ou outros locais públicos ao ser identificada como sendo de esquerda. 
Essas ações violentas e terroristas são  provas cabais de que o perigo do fascismo ronda o país, com amplo apoio do capital internacional, dos meios de comunicação, da burguesia, do  sistema de Justiça e do governo que derivou do golpe e do  impeachment.

Os grupos e financiadores que praticam em plena luz do dia ações fascistas e terroristas são os  mesmos que lideraram o golpe contra a presidenta Dilma e, continuaram  atacá-la por intermédio do governo golpista e corrupto que  tomou o Estado brasileiro de assalto. 

Estas forças golpistas congelaram  por vinte anos recursos para as áreas sociais, destruíram leis trabalhistas, avançam na privatização de setores estratégicos do país como petróleo, mineração, água e solapam a soberania nacional.

Não satisfeitos em terem derrubado do poder a presidenta da República e eliminado políticas socais destinadas aos mais pobres, agora, esses grupos com o claro objetivo de impor sua vontade política perseguem em praça pública a esquerda e as forças populares.

E pior,  pretendem até mesmo eliminar da disputa presidencial, o mais competitivo candidato do campo democrático, o ex- presidente Lula.
Diante da escalada do fascismo e da grave ameaça à nossa frágil democracia, para 2018 aumentam as tarefas das forças de esquerdas, democráticas e dos movimentos sociais. Além das mobilizações para impedir a condenação do ex-presidente Lula, garantir eleições livres e democráticas, faz-se necessário e urgente uma ampla unidade política contra o fascismo.

Para dar conta dessa tarefa histórica e imperativa é necessária uma grande frente política  composta por  movimentos populares e sociais, por partidos de esquerda, do campo democrático em especial o PT, PC do B, Psol, PCO, PDT, PSB, as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

As diversas candidaturas no campo da esquerda não podem ser pretexto para não marcharmos juntos no combate a ascensão do fascismo, pelo direito de Lula ser candidato, por eleições livre e democráticas. Combatemos juntos o fascismo ou corremos sério risco de vermos instalar no país o regime totalitário. Vamos juntos detê-lo,  e já!

 

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247