O fracasso da Operação Lava Lula

Até que a Operação Lava Lula, ops, Lava Jato estava indo bem, tudo se encaminhando para o grand finale que era colocar Lula no xadrez a fim de implodir sua candidatura em 2018, e esses procuradores estragaram tudo! Estragaram, principalmente, o Natal do juiz Sergio Moro. Mas o estrago pode ser maior: pela primeira vez a Operação Lava Jato, ops, Lava Lula caiu na boca do povo e foi motivo de chacota

Até que a Operação Lava Lula, ops, Lava Jato estava indo bem, tudo se encaminhando para o grand finale que era colocar Lula no xadrez a fim de implodir sua candidatura em 2018, e esses procuradores estragaram tudo! Estragaram, principalmente, o Natal do juiz Sergio Moro. Mas o estrago pode ser maior: pela primeira vez a Operação Lava Jato, ops, Lava Lula caiu na boca do povo e foi motivo de chacota
Até que a Operação Lava Lula, ops, Lava Jato estava indo bem, tudo se encaminhando para o grand finale que era colocar Lula no xadrez a fim de implodir sua candidatura em 2018, e esses procuradores estragaram tudo! Estragaram, principalmente, o Natal do juiz Sergio Moro. Mas o estrago pode ser maior: pela primeira vez a Operação Lava Jato, ops, Lava Lula caiu na boca do povo e foi motivo de chacota (Foto: Alex Solnik)

Até que a Operação Lava Lula, ops, Lava Jato estava indo bem, tudo se encaminhando para o grand finale que era colocar Lula no xadrez a fim de implodir sua candidatura em 2018, e esses procuradores estragaram tudo!

Estragaram, principalmente, o Natal do juiz Sergio Moro.

Mas o estrago pode ser maior: pela primeira vez a Operação Lava Jato, ops, Lava Lula caiu na boca do povo.

Foi motivo de chacota.

Isso é denúncia que se faça?!

Nem o Reinaldo Azevedo apoiou, ele que é o primeiro interessado em derrubar Lula – posição que disputa cabeça a cabeça com Diogo Mainardi.

Em dois anos a operação ganhou status que nenhuma outra operação político-messiânica-policial tinha tido, transformando-se em entidade própria, com marca registrada, virou unanimidade nacional, aplaudida de pé, aqui e em Wall Street.

E em sua trajetória que ajudou a criar condições para o impeachment, e assim afetar a economia, e ferir a maior empresa do país, muitos políticos e empresários e executivos foram presos, muitos delataram, dinheiro foi devolvido, dizem, histórias dos esgotos da política foram contadas. Mas, como em toda investigação que se preze, nada disso tem valor se não se descobrir quem é o chefe. Toda quadrilha tem um chefe, sem chefe cai por terra a tese da quadrilha.

Ainda mais numa investigação como essa em que desde o começo o alvo principal era Lula.

Em dois anos de investigações, a Veja atuou mais contra Lula do que a Lava Jato.

Suas capas foram mais contundentes do que as descobertas.

Empolgados com o sucesso do impeachment, que apoiaram em peso, os procuradores acharam que um power-point resolveria tudo e apostaram nele. Todos queriam ver as contas bancárias do Lula recheadas de dólares, mas os procuradores só mostraram uma cozinha Kitchens no sítio e outra no tríplex e outras benfeitorias desse porte para justificar a convicção de que ele era o "comandante máximo".

Não tiveram nem coragem de denominá-lo chefe de quadrilha.

Pobre Sergio Moro! Estava certo que na próxima viagem aos Estados Unidos seria mais uma vez condecorado pelos americanos por ter derrubado, com uma só cajadada a presidente e o ex-presidente, um barbudo tal como Fidel, que, do jeito que ia, estava a caminho de se transformar no maior líder de esquerda da América Latina. A primeira parte do plano deu certo, Dilma foi deposta, mas derrubar Lula ficou difícil depois da ridícula exposição pública dos procuradores.

Moro não pode mandar prender Lula com base numa denúncia desmoralizada pelos brasileiros.

A menos que corra o risco de ser também desmoralizado.

A Operação Lava Jato, ops, Lava Lula em vez de condenar Lula está absolvendo-o.

A Operação Lava Lula, ops, Lava Jato fracassou.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247