O fracasso de um projeto golpista

www.brasil247.com - Bolsonaro em encontro com embaixadores
Bolsonaro em encontro com embaixadores (Foto: Clauber Cleber Caetano/PR)


Um projeto fracassado é aquele cujo resultado não atinge o objetivo almejado. Essa definição pode se aplicar ao golpe que Bolsonaro está tramando contra as eleições de outubro.   

Para ser bem sucedido, é preciso que instituições de peso como o Congresso, Judiciário, Forças Armadas e a imprensa estejam engajadas, mas não parece que seja o caso.  

Bolsonaro conta com um ‘núcleo duro’ de civis e militares que está intimidando militantes nas ruas, ameaçando candidatos de esquerda como fizeram na Praça Saens Peña, aqui na Tijuca.  

Essa gente pode garantir uma boa gritaria após a derrota do ‘mito’, pode até impedir uma ou outra manifestação pela vitória de Lula, mas não sustentaria uma aventura por muito tempo. 

Apesar do alinhamento do Ministro da Defesa, as Forças Armadas têm dado sinais de que não estão alinhadas ao discurso golpista de Bolsonaro e que irão respeitar democraticamente o resultado que vier das urnas.  

Um general da ativa, entrevistado pelo site UOL, disse que Paulo Sérgio, ministro da defesa, sabe que as Forças Armadas são instituições de Estado, e não de governo. 

A reunião com embaixadores, que seria uma tentativa de conquistar apoio contra o sistema eleitoral brasileiro foi um fiasco, e pode ter servido para soterrar de vez as pretensões golpistas do presidente. 

Sem encontrar apoio interno para replicar sua intenção de ‘melar’ as eleições, Bolsonaro busca desesperadamente algum aliado fora do país que acene um sinal de positivo, mas não está sendo fácil. 

Esperemos de tudo nas eleições, até ‘eleitores’ de Lula denunciando que o nome do candidato não apareceu nas urnas, dando mais munição ao golpe: “Viu só? Até eleitores do PT estão denunciando a fraude”, dirão bolsonaristas. 

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email