O governo que virou suco

O jornalista Alex Solnik, que também é membro do Jornalistas pela Democracia, afirma que o PSL, "o partido que elegeu a segunda maior bancada da Câmara dos Deputados e o presidente da República com o discurso de combate à corrupção mostra a sua verdadeira face em apenas 40 dias de governo"; "É um partido de aluguel e é assim que funciona", dispara 

O governo que virou suco
O governo que virou suco (Foto: PSL/Divulgação)

Por Alex Solnik, para o Jornalistas pela Democracia - Atual chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, o advogado Gustavo Bebbiano foi o responsável pela distribuição de verbas do fundo partidário aos candidatos do PSL, do qual era presidente interino.

A quatro dias das eleições, dia 3 de outubro de 2018, a direção nacional do partido enviou R$400 mil para a candidata a deputada federal pelo Pernambuco, Maria de Lourdes Paixão.

Ela recebeu mais que o candidato a presidente.

Diz ela ter gasto 95% do valor numa gráfica que confeccionou 9 milhões de santinhos e 1,7 milhões de adesivos às vésperas do pleito.

No endereço da gráfica funciona o Martelinho de Ouro Almeida. O material gráfico é como a Conceição: ninguém sabe, ninguém viu. A candidata teve 274 votos.

Pernambuco é a terra do PSL, que é o partido do presidente da República. O único que aceitou bancá-lo. Não se sabe, até hoje, sob quais condições.

O fundador e atual presidente, Luciano Bivar diz que não é com ele. E é verdade. Está mais do que provado que o dinheiro público foi repassado pela direção nacional do partido, então sob comando de Bebbiano.

Mas essa é apenas uma parte da história. Falta saber onde foram parar os R$400 mil.

A história é um repeteco do recente escândalo mineiro. O atual ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio também distribuiu dinheiro a candidatas laranja em Minas, onde foi o deputado mais votado.

O partido que elegeu a segunda maior bancada da Câmara dos Deputados e o presidente da República com o discurso de combate à corrupção mostra a sua verdadeira face em apenas 40 dias de governo. É um partido de aluguel e é assim que funciona.

Laranja madura, à beira da estrada, tá bichada, ô Zé, ou tem marimbondo no pé - já dizia o célebre samba de Ataúlfo Alves.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

As caçadas de Witzel
Teju Franco

O Estado exterminador

É assustadora a inação das instituições do país em relação ao governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel. O homem é um genocida. Parece que só Luis Nassif está dando a devida gravidade ao fato

Ao vivo na TV 247 Youtube 247