O Homúnculo

Em tempos nos quais o “terraplanismo” ganha adeptos e quando reinventam a “Revolta da Vacina” e muitos também aderem a teoria conspiratória de que o vírus teve origem em tática de domínio do planeta (por comunistas, é claro, aqueles que desde os tempos do golpe de 1964 assombram os “cidadãos do bem”, aqui no Brasil) eu quero apresentar a minha “viagem na maionese” – trata-se do “Homúnculo”

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Em tempos nos quais o “terraplanismo” ganha adeptos e quando reinventam a “Revolta da Vacina” e muitos também aderem a teoria conspiratória de que o vírus teve origem em tática de domínio do planeta (por comunistas, é claro, aqueles que desde os tempos do golpe de 1964 assombram os “cidadãos do bem”, aqui no Brasil) eu quero apresentar a minha “viagem na maionese” – trata-se do “Homúnculo”.


Consta que dois cientistas (Leeuwenhoeck e Hamm), lá pelo século XVII, afirmaram que dentro do espermatozoide havia uma miniatura de ser humano – o homúnculo – que depositado nos órgãos sexuais femininos gerariam o homem (ou a mulher evidentemente)  .


Para confirmar essa tese voltei no tempo e viajei até 1677 (não me perguntem como, isso é segredo) e como o combustível à minha disposição era pouco, convidei telepaticamente a dupla para virem ao meu encontro. Marcamos em Gaspar, no topo do morro onde o hoje se situa a Igreja Matriz.


Levei sanduíches de mortadela e guaraná “Jesus”, aquela obra prima lá do Maranhão, e fizemos um agradável piquenique. O papo foi lastreado em bases científicas e altamente esclarecedor (se bem que não entendi nada do que eles falaram). Decidi abandonar a tese dos dois, até porque quase todo mundo já sabe que a concepção de um ser humano ocorre de forma bem diferente.


Daí, ainda mais intrigado, fui à luta ou melhor fui revirar alfarrábios em busca de minimamente solver esse mistério.


Foi assim que me deparei com um seriado de 1916 que fizera muito sucesso durante a Primeira Guerra. Nessa obra o “Homunculus” seria o personagem central, artificial e aterrorizante em um filme alemão do cinema mudo.


Falando em terror, há o “Homúnculo de Penfield” que coletaria os dados da nossa representação corporal, seja sensorial ou motor, e que se for afetado, pode levar a uma doença curiosa: o membro fantasma.


Assim, projeto de ser humano, criatura artificial aterrorizante ou responsável pela sensação de “membro fantasma” (que afeta pessoas que tiveram membro (s) amputado (s)), em qualquer das suas concepções concluí que o tal “Homúnculo” não é “flor que se cheire” e que possui sua elevada carga de malefícios. Há homúnculos entre nós. 


Os Homúnculos são indivíduos de intelecto limitado, de caráter falho e mesquinho, quase sempre truculentos. São bravateiros, não tem a menor empatia por qualquer ser vivo e apresentam acentuado complexo de inferioridade, o que os torna desconfiados e particularmente perigosos. Em relação aos humanos são machistas, homo fóbicos, xenófobos, simplesmente execráveis.


Se um Homúnculo chega a uma posição de poder tende ao autoritarismo e, por almejar ser ditador, fará de tudo para eliminar as instituições democráticas. A História está repleta de indivíduos assim. Hitler é um exemplo. 


Contudo, ainda bem, como Deus é daqui Homúnculo brasileiro é nada mais que um “Mito”.  Ou não?

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email