O mistério da iniquidade

Paulo disse que o “Senhor Jesus mesmo o matará (O Iníquo) com o sopro de sua boca”. Isto é, a ministração da Palavra da Verdade, que é o sopro do Senhor, porá a fim a todo o regime que se apoia na mentira. E, para isso, o Cristo conta com os que amam a verdade e, por decorrência, abominam a injustiça, o conluio e a manipulação criminosa.

Dallagnol parece corromper a Justiça pregada por Jesus Cristo
Dallagnol parece corromper a Justiça pregada por Jesus Cristo

Paulo de Tarso, à comunidade cristã de Tessalônica, Grécia, disse que, na sociedade, já operava o mistério da iniquidade.

Disse, também, que esse mistério, um espírito destrutivo, que, de repente, toma de assalto a sociedade, daria lugar ao aparecimento de um líder, que ele chamou de “O Iníquo”, movido por tal fenômeno.

Já, João, o escritor do evangelho homônimo, disse que vários líderes iníquos surgiriam a partir desse espírito, isto é, ele viu o desenrolar deste comportamento em várias culturas e gerações.

O que caracteriza estes tais líderes é poderem ser tachados de anticristos, e a marca comum é o que foi chamado, por Paulo, de prodígios da mentira, com todo o engano de injustiça.

O apóstolo das gentes disse, porém, que esses líderes só assumiriam quando o que os detém for afastado.

O que detém o avanço desse tipo de líder é o amor à verdade.

A falta desse amor, dessa ética, desse apego ao direito é o que permite a chegada ao poder desses anticristos.

Nisso consiste esse mistério da iniqüidade: as pessoas mais insuspeitas serem persuadidas por esse espírito de ódio à verdade e ao direito, a ponto de terem a mentira, a dissimulação, a distorção dos princípios que garantem a imparcialidade judicial e a opressão como norma, e, pior, invocarem o que têm por mais sagrado para justificar tal escolha.

Claro, por detrás de toda essa manipulação, determinando o comportamento, está o amor às riquezas e à acumulação, em detrimento da igualdade e do comunitário, como denunciado pelo próprio Cristo.

E são os agentes desse sistema maligno que promovem tal iniquidade, que não poupa pessoas nem biomas.

Não conheço melhor forma de descrever o que vem acontecendo no país desde o golpe de 2016, de fato, desde o movimento, tido por muitos, como “insuspeito”, de 2013.

Não conheço melhor forma de descrever o comportamento dos três poderes da república, desde o golpe de 16.

Contudo, Paulo disse que o “Senhor Jesus mesmo o matará (O Iníquo) com o sopro de sua boca”.

Isto é, a ministração da Palavra da Verdade, que é o sopro do Senhor, porá a fim a todo o regime que se apoia na mentira.

E, para isso, o Cristo conta com os que amam a verdade e, por decorrência, abominam a injustiça, o conluio e a manipulação criminosa.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Jandira Feghali

O massacre como política

Quem deterá o governador Witzel? Com certeza não será sua humanidade, já que comprovou não lhe restar nenhuma. É preciso transformar nossa indignação em protestos e ações institucionais e políticas...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247