O power point de Bolsonaro/Moro

"Sergio Moro começou a provar a volta do cipó de aroeira. Gaguejou em seu pronunciamento quando reconheceu que nem Lula nem Dilma interferiam politicamente nas investigações da Polícia Federal", escreve a jornalista Tereza Cruvinel

Jair Bolsonaro e Sergio Moro
Jair Bolsonaro e Sergio Moro (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sergio Moro começou a provar a volta do cipó de aroeira. Gaguejou em seu pronunciamento quando reconheceu que nem Lula nem Dilma interferiam politicamente nas investigações da Polícia Federal. Dela, disse o nome completo. 

A Lula, que condenou num processo que ainda pode ser anulado por conta de tantos vícios e da inconsistência das provas, referiu-se gaguejando ao "ex-presidente Luiz...". A nova vida de Moro na planície começa prestando esclarecimentos ao STF sobre as acusações que fez a Bolsonaro.  E em breve o STF vai julgar a ação de Lula arguindo sua parcialidade.

O maior cretinice da Lava Jato contra Lula foi perpetrada pelo menino de ouro de Moro, o procurador Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa do Ministério Público,  quando acusou Lula de ser chefe de uma organização criminosa, apresentando um power point que caiu no ridículo.

Ontem a peça de Dallagnol inspirou outro slide de  power point, mas ridicularizando o discurso patético em que Bolsonaro tentou responder às acusações de Bolsonaro. Fugindo da questão central - suas tentativas de controlar a PF com um diretor de sua escolha, justamente na hora em que avançam inquéritos que podem alcançar seus filhos e aliados que disseminaram fake news e  organizaram e financiaram o ato golpista de domingo passado - Bolsonaro divagou sobre temas impertinentes ao problema, que foram do desligamento do aquecedor da piscina do Alvorada aos namoros de seu filho.

Ria um pouco, porque o clima está pesado e vai ficar pior. O pico da pandemia vai começar e agora a crise política vai galopar.

Powerepoint de Bolsonaro/Moro

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247