O prefeito ovacionado

O prefeito paulistano / Só vive atrás de plateia. Este político sem plano / É péssimo desde a estreia. O filho da burguesia / Foi convidado a Bahia / Por quem nunca deveria / Nem supor a triste ideia

Doria
Doria (Foto: Varneci Nascimento)

O prefeito paulistano
Só vive atrás de plateia
Este político sem plano
É péssimo desde a estreia
O filho da burguesia
Foi convidado a Bahia
Por quem nunca deveria
Nem supor a triste ideia.

Um vereador cretino
Inventou esta marmota:
Conceder título grã-fino
Ao contador de lorota
Que tão mal administra
Na gestão super sinistra
Que ele mesmo registra
E depois divulga em nota.

Ser soteropolitano:
Se não nasceu, só merece,
Se for quase supra-humano,
Ter nome digno de prece,
Ao lado de gente honrosa
Irmã Dulce, a caridosa,
Castro Alves bom prosa
Estes sim, ninguém esquece.

Registramos na lembrança
Os feitos do milionário:
Tirar leite de criança;
Mentir quando necessário.
Achincalhar os pintores;
Rejeitar buquê de flores;
E molhar os moradores
De rua é ser ordinário.

Enquanto a claque o seguia
Protegendo e bajulando
Outro grupo na Bahia
Estava se preparando
Buscando o lugar perfeito
Procurando o melhor jeito
Quando avistou o prefeito
Alguém findou disparando.

Aquele benéfico ovo
Acertou mesmo de cheio
Presente do nosso povo
Para o gestor tão alheio
À dor da população
Pela horrenda atuação
A melhor premiação
É um ovo bem no meio.

Uma pontaria daquela,
Teve atirador de elite
Por essa cena tão bela
Agora vem o convite:
Combater seu vil discurso
Talvez ajuntar recurso,
Para promover um curso
De ovada sem limite.

Já sabemos qual o gênio
Conseguiu tamanho feito
O melhor desse milênio
Porque nem deixou suspeito
Sem ferir, quebra e já desce,
Se todo mundo quisesse
Ovacionar quem merece
Ser tudo, menos prefeito.

Nossa terra tem gerado
Rui Barbosa e Caetano,
Gilberto Gil, Jorge Amado,
Não é qualquer desumano
Que vai virar um de nós
Ainda mais sendo algoz
Desrespeitoso e feroz
Nunca será um baiano.

Essa condecoração
Pareceu tão insolente
Premiar tal cidadão,
Arrogante e prepotente,
Esse agressor de mendigo
É declarado inimigo,
Por representar perigo
Muito grave para a gente.

A bondade não tolera
Seu perverso fingimento
Isso nos deixa uma fera
Pelo insano tratamento
Aos ciclistas da cidade,
Aumento em velocidade,
A morte solta à vontade,
Tem causado sofrimento.

Portanto fique de aviso:
Pode surgir qualquer dia
Paulistano de juízo
Com a mesma pontaria
Para causar outra festa
Acertando bem na testa
De político que não presta
Outro ovo da Bahia.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247